Estadual 2011 - Taça Guanabara - Final - Flamengo 1 x 0 Boavista

Gol de falta de Ronaldinho garantiu que a primeira taça do ano fosse para a Gávea


* * * * * * * * * *

Luxemburgo ainda não achou sua equipe ideal. Como de costume, hoje fez novas mudanças na maneira do time jogar. Na defesa, contra um time bem mais fraco, as coisas pareceram bem resolvidas; no ataque, sem surpresa, o time seguiu sem enconttrar seu jeito de jogar.

Em todo o Brasil, os times correm atrás de grandes meias que possam fazer diferença em sua criação. Em tese, o Flamengo contratou este ano ao menos dois - e Luxemburgo, hoje, os colocou juntos no ataque, deixando a armação para outros menos talentosos e que, hoje, foram muito pouco efetivos (Renato e Bottinelli). Lembrou o Luxemburgo de 2010 no Atlético Mineiro, que fazia a mesma coisa escalando como dupla de ataque Diego Souza e Daniel Carvalho.

A decisão, desta vez, foi influenciada pela melhora nos últimos jogos quando Negueba entrou e Ronaldinho foi para o comando do ataque. Mas não é esta a posição para Ronaldinho - que, aliás, vem circulando por várias funções, sem que se dê a ele a chance de jogar onde foi melhor na Europa, aberto pela esquerda. Hoje, tirando seu gol, ele não foi muito produtivo, jogando abaixo do que tinha conseguido contra o Botafogo. E ainda por cima, no final, deu muitos sinais de cansaço, sem conseguir acompanhar os contra-ataques que o time tentava puxar quando já vencia por 1x0.

De qualquer forma, o time mostrou qualidade no início na marcação no campo do adversário. Graças a ela, o Flamengo pressionou e criou duas boas chances de gol antes da parada técnica. Mas é algo difícil de se manter durante toda a partida e, à medida em que o ritmo diminuía, a vida do Boavista foi ficando mais tranquila. Foi assim nos últimos 20 minutos do primeiro tempo.

Negueba entrou no intervalo no lugar de Bottinelli, que não só foi mal como também já parecia cansado. Começou criando jogadas pela direita, mas o efeito foi menor do que em jogos anteriores e o Boavista foi conseguindo trocar cada vez mais passes. Mesmo com a entrada de Diego Maurício no lugar de Egídio (que foi muito acionado, mas errou todos os cruzamentos que tentou), Ronaldinho seguiu como centroavante, sem conseguir muita coisa; Diego, que poderia ocupar melhor o comando de ataque, foi jogar aberto, sem criar muitas jogadas, enquanto Thiago Neves, centralizado no meio, insistia em tentar resolver tudo sozinho, como tem feito demais nos últimos jogos. Do jeito que a partida seguia, a impressão de que uma disputa de pênaltis estava próxima era cada vez maior.

Mas tudo se resolveu numa cobrança de falta muito bonita de Ronaldinho - embora tenha me dado a impressão de que o goleiro do Boavista poderia pelo menos ter tentado ir na bola. Quando o time de Saquarema poderia tentar ir pra cima de forma mais efetiva, com Alfredo Sampaio colocando mais um atacante, Renato conseguiu cavar a expulsão do artilheiro adversário. Com um a menos, o Boavista até tentou atacar, mas o Flamengo encerrou o jogo sem ter sofrido um susto sequer.

O título foi merecido, tanto pelo jogo quanto pela campanha, mesmo sem o time ter conseguido empolgar ninguém até agora. Mas ao menos é melhor estar assim e ter ganho o que precisava ganhar do que ter ficado pelo meio do caminho, como os outros ficaram. Agora, haverá a tranquilidade de trabalhar já sabendo que o lugar na final está garantido. Só vamos torcer para que isso não dê a todos a impressão de que a pré-temporada pode seguir por muito mais tempo ainda. Daqui pra frente, é hora deste time começar a se encaixar de verdade e passar confiança de que estará pronto quando os títulos realmente mais importantes estiverem em disputa.




27/2/2011 - 17h - Flamengo 1 x 0 Boavista
Engenhão - Rio de Janeiro, RJ
Público/renda: 36.102 pagantes, R$1.198.930,00

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ), auxiliado por Dibert Pedrosa Moisés e Luiz Antônio Muniz de Oliveira
Cartões amarelos: Renato Abreu e Ronaldinho Gaúcho (Flamengo); Leandro Chaves, Júlio César, Edu Pina, Gustavo e Santiago (Boavista).
Cartão vermelho: Frontini (Boavista).

Gol: Ronaldinho Gaúcho (Flamengo), aos 27 minutos do 2o tempo.

Flamengo: Felipe, Leonardo Moura, Welinton, David e Egídio (Diego Maurício); Maldonado, Willians, Renato Abreu, Thiago Neves (Ronaldo Angelim) e Bottinelli (Negueba); Ronaldinho Gaúcho. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

Boavista: Thiago, Bruno Costa (Joílson), Gustavo, Santiago e Paulo Rodrigues (Max); Júlio César, Edu Pina, Leandro Chaves e Tony; André Luís (Raphael Augusto) e Frontini. Técnico: Alfredo Sampaio.

6 comentários:

vôo do urubu disse...

A cachorrada chora e o bonde passa. Sem freio.

Saudações rubronegras!

Luis disse...

Time pragmático (tomara que sigamos com sorte) e muito mal escalado.

Raphael Perret disse...

Fiquei revendo o gol ontem e achei indefensável. Se o Thiago voasse na bola, não pegava. Foi um tiro muito rápido e muito no canto, quase na trave. Por décimos de segundos achei até que não tivesse entrado. Sinistro. Se fosse na decisão do Carioca, seria um gol pra lembrar o do Pet em 2001.

A boa notícia disso tudo é ver o Ronaldinho, ainda que em bola parada e com atuação razoável, decidindo um jogo. É promissor.

Ad@1LtoN disse...

Eu deveria estar contente com o titulo. Mas tá complicado aturar é o Luxa, que até agora não arrumou o time.

Valente Filho disse...

Eu nem ligo muito para taça Guanabara e campeonato estadual, mas ligo para o Flamengo. Agente pensa muito o Flamengo que queremos ter e descolamos da realidade, do ser flamengo nas coisas mais simples. Ontem cheguei em um aniversário depois do jogo no aniversário e meu primo cantando me lembrou desta joia e o que é ser flamengo.

http://www.youtube.com/watch?v=lHa9ZpqeN6U

Valente Filho disse...

Só para não passar batido. O jogo mais participativo do Ronaldinho, mesmo fora de posição.
Precisamos melhorar porque queremos mais.