Festa para Ronaldinho mostrou que o Flamengo é o Flamengo - em todos os sentidos

Há a torcida gigantesca, o potencial incrível. Mas ainda falta saber como realmente aproveitar ao máximo



* * * * * * * * * * *

Ronaldinho chegou e, em seu primeiro contato oficial com a torcida rubro-negra, pôde ver de forma concreta o quão correta estava aquela frase que ele soltou, provavelmente de forma despretensiosa, na coletiva circense do Copacabana Palace: o Flamengo é o Flamengo. E isso quer dizer muitas coisas.

Pra começar: a imagem do gramado abarrotado, com 20 mil pessoas numa quarta-feira à tarde, pulando, cantando e fazendo festa apenas pra ver o jogador falar meia dúzia de palavras, foi algo de impressionante. Se alguém tinha alguma dúvida sobre o poder mobilizador da união das marcas Flamengo e Ronaldinho, ela acabou hoje. E se é pra fazer este tipo de operação para trazer este tipo de jogador, produzir imagens assim faz parte do show. Podem crer que o trabalho da Traffic de arrumar empresas dispostas a participar disso ficou bem mais fácil com estas imagens em mãos, assim como o da diretoria em convencer que o espaço que está ficando vago na camisa vale muito. É algo que vai dominar os telejornais de hoje, os jornais esportivos de amanhã e vai correr - já está correndo - o Mundo. O Flamengo é o Flamengo.

Também é impressionante perceber como ainda não estamos preparados para este tipo de evento por aqui. Foi tudo feito no susto, sem que ninguém soubesse exatamente o que seria necessário pra algo assim correr bem e ser bem aproveitado. Começou com o portão caindo na entrada dos torcedores no gramado - e qualquer um que conheça aquele portão e aquela calçada estreita poderia prever que algo assim aconteceria. Continuou, apesar do clube ser patrocinado pela Ambev, com a falta de bebida e comida à venda para os presentes - produtos oficiais do Flamengo, então, nem pensar. Seguiu com o palco armado sem nenhuma menção a qualquer patrocinador e lotado de gente que ninguém sabia bem por que estava ali. E foi simbolizado pelas imagens de Ronaldinho ao lado de Peruano - um cara que nada mais é que um sócio e torcedor, como milhares -, vivendo com a chamativa camisa azul e amarela mais um de seus muitos momentos de glória dispensável. Na coletiva que aconteceu logo depois, ainda houve quem largasse na mesa em que Ronaldinho falava dois bonés que me pareceram ser de torcida organizada, e ninguém se mexeu para tirá-los dali, onde disputavam espaço com as marcas das empresas que colocam dinheiro no clube. O Flamengo é o Flamengo.


* * * * * * * * * * *

Em seu blog, Paulo Vínicius Coelho descreveu a mecânica da parceria entre Flamengo e Traffic: dos cerca de R$1 milhão por mês que Ronaldinho receberá, o clube terá que pagar apenas cerca de 20%. A Traffic terá o direito de explorar a imagem de Ronaldinho, levantando patrocinadores para pagar os outros 80% e ficando com o possível lucro; se não for bem sucedida, o prejuízo financeiro fica por sua conta. Luis Augusto Velloso, diretor executivo do futebol, afirmou à ESPN que a Traffic terá direito a um pedaço da arrecadação do Flamengo com o patrocínio principal de sua camisa, mas apenas a partir de um determinado valor - que já não representará uma diminuição em relação a 2010.

Se é assim, foi um belo negócio. Olhando as cenas de hoje, sabemos do potencial de mobilização de Ronaldinho. E pensando na organização do evento, é bom saber que o clube não dependerá de suas habilidades em aproveitar ao máximo este potencial para que a conta feche. Só posso dar parabéns a Patrícia Amorim e aos demais envolvidos no negócio. A alegria que ela estampou no rosto pelo momento é merecida - imagino o alívio que não deve estar sentindo por ter ganho essa.

Mas isso é só o começo e só ter Ronaldinho não resolve nada. Agora, é esperar pra ver no que vai dar, fora e, principalmente, dentro de campo - que, afinal, é a razão de tudo isso.

7 comentários:

Marcelo Constantino disse...

A questão que persiste pra mim é: o que/quanto o Flamengo deu ao Milan pelo Ronaldinho?

Notícia em Verso disse...

A novela foi demorada, quase não termina
Flamengo, Grêmio, Palmeiras... marcação em cima
Tentando repatriar jogador com status de estrela
Coisa que não se acreditava de nenhuma maneira

Um a um os times foram saindo da disputa
Queixaram-se do empresário Assis e sua conduta
Pelo jogador, um torneio em formato de leilão
O que não tem transparência termina em confusão

Para os gremistas, frustrados, agora ele é mercenário
Pelé disse que ele deveria jogar por amor, sem salário
Lembro: do Santos, o atleta do século jogou no Cosmos depois
Com certeza amor pelos norte-americanos é que não foi

E agora a maior torcida do país comemora a contratação
Foi recepcionado por uma multidão: portões ao chão
Uma expectativa maior que o número de torcedores
Por quatro anos estará na Gávea, em todos os corredores

Esperam um retorno de quem um dia encantou
Pois do Barcelona para cá parece que se apagou
Promessa de um espetáculo por partida verão
Para quem embolsa um BBB por mês... obrigação

(http://noticiaemverso.blogspot.com)

André disse...

Com certeza como negociação foi um "golaço" da nossa presidente.

Agora é esperar para ver se o Ronaldinho vai justificar todo este investimento de Trafic, Flamengo e outras empresas que com certeza chegarão.

Vamos ver se vai mostrar todo esse empenho nos treinos e jogos como prometido na coletiva de ontem. Tomara que faça mesmo o que disse: voltar com seus dribles e gols que tanto nos marcaram na época de Barcelona.

Vamos lá Ronaldinho, SÓ DEPENDE DE VOCÊ !!!

vôo do urubu disse...

Ronaldinho sabe. Flamengo é Flamengo. A um tempo substantivo e adjetivo. A palavra para descrever a festa vc foi no alvo: impressionante. Mas houve outra, q vc tbm notou: amadorística. Cara, na boa, se houvesse profissionalismo ali, vendia-se tudo que estivesse à venda, de bebida a escudinho. Ano passado fui à arena dos Magic, em Orlando, impressionante o profissionalismo dos caras. Um jogo é um acontecimento esportivo e financeiro. Vendem tudo. As lojas abarrotadas vendendo, vendendo. E o jogo comendo firme. Ontem à tarde na Gávea, razoável parcela do projeto R10 já estaria equacionada.

Saudações rubronegras!

Victor disse...

Agora: a torcida É voluvel. Ele veio, fizemos festa, só faltou jogar arroz apra celebrar a união. Mas se não jogar e os resultados não vierem...

Bosco Ferreira disse...

Espero que esqueçam jogadores problemáticos como o Adriano. Não duvido que alguem fale em traze-lo de volta, haja visto que o seu clube não o aguentará mais por muito tempo.

Uma fórmula dessa poderia quem sabe trazer o Wagner Love Airton e até manter o Diego Maurício para uma valorização maior.

rnagato disse...

Monnerat,

viu a reportagem no Extra sobre a expectativa de arrecadação do Flamengo?

Eles mostram a divisão da arrecadação.

O Flamengo receberia R$ 28 milhões e o que ficar acima disso seria dividido da seguinte forma:

- Flamengo: 10% (pois pagará 20% do salário do Ronaldinho, R$ 200 mil);

- Traffic: 40% (pois pagará 80% do salário do Ronaldinho, R$ 800 mil);

- Ronaldinho: 50%.

Confira em http://verd.in/hz4.

SRN!

Nagato