Estadual 2011 - Taça Guanabara - 1a. rodada - Flamengo 2 x 0 Volta Redonda

Como Luxemburgo prometeu, a pré-temporada continuou - e, com a mesma escalação, não mudou muito em relação ao último amistoso em Londrina


* * * * * * * * * *

A gente sabe que o Flamengo ainda tem muito o que mudar, com as entradas de Thiago Neves, Ronaldinho e até Bottinelli. E estava avisado: no início do Estadual, o ritmo seria de pré-temporada. Assim, não é surpresa que, escalado com o mesmo time que atuou no amistoso contra o América-MG, o Flamengo não tenha mostrado em seu primeiro jogo oficial em 2011 nada de muito diferente do que havíamos visto em Londrina.

A análise tática que fiz sobre o primeiro tempo do jogo contra o América-MG, em que a formação foi a mesma que iniciou esta partida contra o Volta Redonda, continua valendo. Vários problemas se repetiram: a lentidão na saída, a falta de opção de jogo pelo meio. E, principalmente, a dificuldade em transformar o 4-5-1 em que o time atua quando está se defendendo em um 4-3-3 quando tem a bola. E um motivo forte para isso foi o posicionamento de Fierro e Renato na hora de defender.

Para este esquema funcionar, a marcação não pode ser tão recuada assim - e Fierro e Renato marcaram muito, mas muito atrás. Quando alguém recuperava a bola e olhava pra frente, havia quase ninguém para recebê-la e levá-la ao ataque. Novamente, Deivid ficou isolado demais. E mesmo quando a bola chegava a ele, levava séculos até alguém se aproximar para trocar alguma ideia - era tempo demais para os jogadores saírem de suas posições lá atrás e se juntarem ao ataque. Fierro ainda fazia mais esforço para se apresentar e, assim, ainda saíram duas ou três jogadas no primeiro tempo entre ele e Léo Moura. Mas Renato foi quase que um jogador a menos. Realmente torço para que Luxemburgo não esteja reservando para ele uma vaga de titular neste meio-campo.

Defensivamente, o time até teve mais trabalho hoje do que no último domingo. O Volta Redonda, vejam vocês, me pareceu um time melhor do que o América-MG - talvez estejam treinando há mais tempo. A verdade é que, na maior parte do tempo, o jogo foi no mínimo equilibrado; o Volta Redonda até teve mais posse de bola e deve ter criado quase que tantas chances de gol quanto as poucas que o Flamengo teve. Mas, contra um time obviamente limitado e com tanta gente marcando à frente da área, o Flamengo conseguiu a maior parte do tempo ser eficiente e evitar que o adversário chutasse com perigo ao seu gol.

No segundo tempo, Marquinhos entrou no lugar de Fierro, se colocou mais à frente e foi até bem, o que facilitou um tanto a vida do outro atacante - que passou a ser Wanderley. Àquela altura, o Flamengo já vencia e logo aumentou a vantagem, o que também fez com que os espaços fossem mais generosos. Mas fico mesmo curioso pra ver o tamanho do efeito que terão Thiago Neves e Ronaldinho - tanto na produção ofensiva, que precisa melhorar, quanto na defensiva, que pode sofrer com dois jogadores menos marcadores entrando juntos no time.


* * * * * * * * * *

Deivid voltou a jogar mal. Lento, se mexe pouco, dá pouca sequência aos lances. A temporada tá no início, claro, mas o que ele mostrou até agora não animou em nada. Wanderley, que entrou em seu lugar, ao menos se mexeu mais e melhor. Mas não é difícil que a torcida, mesmo com a estreia dos reforços, fique reclamando da falta de bons atacantes.

Willians, jogando como volante mesmo, foi bem. Marquinhos, que não tinha tido chances nos amistosos, também. Vander foi vaga-lume, quase não pegou na bola no segundo tempo, mas teve o mérito de ir pra cima e tentar alguma coisa no lance do primeiro gol, em que levou sorte.

Mas o melhor em campo mesmo, vejam vocês, ainda foi o velho Léo Moura. Que jogada no segundo gol.



19/1/2011 - 22h - Flamengo 2 x 0 Volta Redonda
Engenhão - Rio de Janeiro, RJ
Renda/Público: R$ 137.170,00/ 6.881 pagantes

Árbitro: Pathrice Maia (RJ)
Assistentes: Rodrigo Pereira Joia e Silbert Faria Sisquim
Cartões amarelos: Fabinho (Volta Redonda)

Gol: Vander (40'/1ºT), Wanderley (16'/2ºT)

Flamengo: Felipe; Léo Moura, Welinton, David e Egídio; Fernando, Willians, Fierro (Marquinhos 12'/2ºT) e Renato; Deivid (Wanderley 12'/2ºT) e Vander.
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Volta Redonda: Mauro; Padovani, Lombardi, Ávalos; Thiago Maciel, Jonílson, Tiago Costa, Radamés (Adenis 36'/2ºT) e Lopes (Glauber); Jean e Leandrinho.
Técnico: Marcio Bittencourt

3 comentários:

Tiago Cordeiro disse...

André, oq vc achou do Volta Redonda individualmente?

Flora disse...

Vou falar dos reforços:

Quanto ao Vander não achei tão vaga-lume quanto vc. Achei que no primeiro tempo o melhor do time, se movimentando muito, procurando a jogadas, mas jogando sozinho fica difícil. E mesmo sumindo no segundo tempo ainda deu 2 ou 3 bons lançamentos, inclusive o do último lance de perigo do time, um lançamento pro Marquinhos que chutou nas redes pelo lado de fora. Cheguei a gritar gol. rs

O Wanderley foi bem também, não só por causa do gol. Está me surpreendendo fazendo muito bem o pivô quando a bola chega, conseguindo dar boa continuidade as jogadas quando a bola passa por ele. É que faz tanto tempo que não via isso com o Val Baiano, Diego e David que acho até estranho. rsrs

Enfim, tenho que falar mal do Renato. Ele e ninguém é quase a mesma coisa. Lento, não consegue dominar uma bola. Os seus chutes não vão fazer falta, agora que teremos ótimos chutadores como o Thiago Neves, o Ronaldinho e dizem que o Bottinelli também.
Pra mim é reserva do reserva Vander.

André Monnerat disse...

Tiago, hoje foi feriado aqui,fiquei o dia fora...

Mas achei o Volta Redonda bem razoável tecnicamente, pro que a gente costuma esperar dos pequenos do Rio. Talvez estejam se preparando por mais tempo, mas me pareceu um time melhor, por exemplo, que o América-MG, que vai jogar a série B do Brasileiro.

Gostei do ala direito, o Thiago Maciel. Os dois volantes, Jonílson e Radamés, são manjados e quebram o galho como cães de guarda. E tem o Jean na frente, que tem dificuldade pra concluir, joga muito de cabeça baixa, mas é sempre um cara que incomoda.

Faltou no meio-campo um cara de passes mais objetivos. Quando o Glauber entrou no segundo tempo, fez um pouco este papel - acho esse cara curioso, já vi fazer várias boas partidas, mas não consegue se firmar em lugar nenhum. E falta um centro-avante melhor na frente, pra definir.

Na base do chute mesmo: acho que o Volta Redonda e o Macaé serão os pequenos com mais chance de incomodar nesse Estadual.