Dá pra ser otimista com Luxemburgo no Flamengo?

Pra começar, devo dizer que os maiores erros de Zico na condução do time propriamente dito referem-se ao treinador. Manter Rogério Lourenço durante a parada para a Copa do Mundo foi um erro ainda maior do que a aposta em Silas – que, claro, deu muito errado, mas era até justificável na época. E o Flamengo teve a oportunidade de tentar ao menos dois bons nomes que estavam livres, mas deixou passar: Adílson Batista e Dorival Júnior. Agora, vem aí Luxemburgo.

No curto prazo, o time pode melhorar. Luxemburgo não tem feito bons trabalhos, mas Silas andou errando demais. E, disposto a reverter sua imagem de decadente, o novo técnico deve chegar pra trabalhar sério, se concentrar pra valer nos treinos e no trabalho tático do time e encontrar soluções melhores do que o antigo treinador. É isso: Luxemburgo tem a seu favor a capacidade já comprovada (que não vinha sendo mostrada em seus últimos trabalhos, é verdade); a comparação com seus antecessores recentes, realmente muito fracos; e ainda a baixa expectativa em torno do time – a essa altura, vai ficar todo mundo satisfeito se o time simplesmente não for rebaixado sem perrengue demais.

Ou seja: pra até o fim desta temporada, o time deve chegar onde as pessoas esperam. Pra depois, vai saber.

Mas realmente não tem sido mesmo muito saudável ficar pensando no que vai ser do Flamengo mais pra frente mesmo. Independente de Luxemburgo.

* * * * * * * * * * * * * *

Não, não gosto da ideia de Luxemburgo voltando ao Flamengo. Ele cobra caro (mas tem que ver como isso foi negociado agora, que está em baixa) e há todos aqueles motivos extracampo sobre os quais não vou nem escrever aqui – todo mundo lê por aí e eu não sei nada a mais do que sai na imprensa; mas devo dizer que levo mesmo este tipo de coisa muito em consideração.

Mas, fora isso, Luxemburgo tem sido péssimo em montar suas equipes, acumulando uma sequência de indicações esquisitaças de jogadores em todos os seus últimos trabalhos, desde o Santos. O que pode ser ainda pior se for confirmado que ele vem com os tais “poderes de manager”, aproveitando o vácuo que ficou com a saída de Zico. Alguns defensores de seu trabalho gostam de falar que ele pegou times não tão bons assim em Palmeiras e Santos e esquecem que ele mesmo pôde escolher os jogadores – no caso do Santos, sem nem ter que se preocupar muito com limite de dinheiro, pois os cofres estavam cheios após as vendas de Robinho, Diego e companhia e puderam até bancar um salário estratosférico para manter Zé Roberto por aqui um bom tempo.

Sem falar que, em campo, o trabalho tático não tem sido bom. No Atlético-MG, especialmente, foi algo de assustador. A cada vez que eu via o time em campo, a bagunça era maior – ninguém sabia sua função, ninguém conseguia trocar dois passes, um negócio ainda mais feio do que Rogério Lourenço fazia no Flamengo. Ele chegou a escalar uma dupla de ataque formada pelos dois meias que tinha à disposição, Daniel Carvalho e Diego Souza, deixando no meio-campo gente sem o menor jeito pra criar nada.

Mas é isso: ele está em baixa, sabe que está em baixa e deve, agora, chegar determinado a provar que ainda sabe trabalhar bem – ainda mais no seu “time do coração”, como sempre gostou de falar.

E este fator time do coração, ao qual ele sempre falou que voltaria – até como dirigente -, somado à sua obsessão por “projetos” e “estrutura”, pode até deixar algum legado no Flamengo. Luxemburgo participou bastante da montagem do CT do Santos, hoje considerado um dos melhores do país. Ele pode chegar agora para tentar ajudar Patrícia e companhia a limpar um pouco sua barra, avançando no projeto do CT que era a grande bandeira de Zico em sua chegada. Pode ser otimismo demais pensar nisso, mas Luxemburgo e Patrícia estão se unindo num momento muito ruim para os dois, e sabem que não podem continuar tão por baixo assim mais tempo, ou as chances de se levantar ficarão ainda menores.

É questão de saber se eles conseguirão mostrar capacidade agora pra mostrar algum serviço.

7 comentários:

Bosco Ferreira disse...

Não gostei muito disso não. Não vou com muito com esse cara. Pelo que já lí na imprensa, acho que ele está agora no lugar certo e com a gente certa. E haja catinga.

Luis disse...

O Luxemburgo tem que fazer o que ele sabe/sabia fazer: treinar times. Ultimamente ele vinha sendo general manager, instrutor, aspirante a político/senador etc etc etc.

Além disso, não sei quanto vamos pagar a ele, mas o atual nível de receitas e endividamento do clube não acomodam a remuneração normal dele. Corre o risco do Mengão quebrar de vez ...!!!

anitta disse...

também sou otimista como vc e acho q ele pode dar certo. se bem que a meta dele é não cair e só. por enquanto.

André Monnerat disse...

Bosco, também não gostei não. Tá escrito isso no texto.

Mas tentei enxergar algum possível lado bom. Vamos ver...

Bosco Ferreira disse...

Quem sabe ele não consiga algo. Pelos menso ninguem vai boicota-lo nos pedidos de contratações, além do mais as coisas podem andarem no rítimo que devia ter andado com o Galinho.

The Dog disse...

Luxemburgo explicou ainda que terá participação na estruturação do clube, principalmente do CT Ninho do Urubu, em Vargem Grande, e que pretende fazer com que os treinos da equipe sejam sempre realizados no local.

- Vamos construir melhorias para o CT. A prioridade são um hotel e um refeitório. Colocamos isso no contrato. Estou tendo a oportunidade de ajudar o Flamengo. Esse foi outro fator que me fez voltar. A estrutura tem de começar de imediato. Os treinamentos do Flamengo vão ser aqui. As pessoas falam que é longe, mas os jogadores têm Mercedes, BMW... Eles vão poder vir para cá - declarou. (Lancenet)


Como o Andre disse no texto, e isso me soa bem animador, adeus treino na politicagem da Gavea.

lussiannosousa disse...

Uma coisa famosa no Luxa é a capacidade de ele fazer ''tal'' atleta jogar, extrair tudo que o cara tem de bola. Semprei pensei que ele seria o cara que poderia dar jeito no Klebérson. Veremos.

Tirando o salário, que ja dz - o esmo de sempre aliás - que está na base do de muricy, eu acho uma boa.