Os trabalhos de Jorginho e Silas, com exatamente o mesmo tempo em seus clubes

Silas e Jorginho assumiram seus atuais times na mesma rodada, com a mesma maratona de jogos pela frente e a mesma falta de tempo para treinar. De lá pra cá, o aproveitamento do Goiás é de 46%, contra 29% do Flamengo. Antes da troca de treinadores, o Flamengo tinha 41% de aproveitamento, o Goiás 25%. É isso: o momento do Goiás é melhor.

E se muitos reclamam do meio pouco criativo que Silas escala, a fórmula de Jorginho - que foi bastante cogitado para assumir o Flamengo na época da queda de Rogério - para recuperar o Goiás é ainda mais, digamos, conservadora. Ele passou a armar o time com três zagueiros e três volantes; Bernardo, o jovem armador vindo do Cruzeiro que era o maior destaque antes da troca de técnico, foi barrado em nome de um meio-campo mais "pegador", no qual o volante Carlos Alberto, ex-Figueirense e Atlético-MG, é o mais criativo. Isso tendo como homem-gol o horroroso Rafael Moura, o He-Man. Na boa: no papel, não deveria ser visto como razoável que o Flamengo jogue de igual pra igual com este time. Mas futebol tem de tudo (foi escalado assim que o Goiás enfiou 3x0 no São Paulo, no Morumbi) e o momento é esse aí.


* * * * * * * * * * * *

Ao que parece, a única alteração no time em relação à última partida será a entrada de Maldonado no lugar de Toró, que está contundido. Em tese, é uma boa substituição. O chileno é bem melhor que Toró no passe e no senso de colocação. Se Maldonado estiver em boas condições de jogo (o que não dá pra saber ao certo), o time vai ganhar tanto na marcação quanto na saída de bola, dois defeitos graves que têm aparecido sempre.

Mas a influência na criação de jogadas, outro grande defeito da equipe desde antes de Silas chegar, não deve ser grande. Maldonado é um bom volante, mas não é armador. E pra resolver a armação, o treinador tem se limitado a trocar Renato por Pet, Pet por Renato, Renato por Pet. Há outras opções, já chegaram até a serem testadas, mas foram deixadas de lado sem motivo aparente. Galhardo, dizem, foi bem contra o Vitória quando entrou e, desde então, não ficou mais nem no banco (o que deve acontecer hoje); Diego Maurício deu passe pra gol contra o Vitória, marcou contra o Prudente, mas a partir daí só entrou no final do jogo contra o Fluminense e não mais apareceu em campo. Por quê?

Estranho ainda que Val Baiano esteja sempre sendo relacionado e Leandro Amaral nunca mais tenha sequer viajado com a delegação; ou que Fierro esteja, como li por aí, treinando como lateral direito reserva do time sub-23. Marquinhos tem viajado com o time, mas também não foi testado em momento algum. Enfim: quero crer que quem acompanha os poucos treinamentos que o Flamengo tem feito consiga entender melhor as razões de Silas. É fato que ele chegou num momento complicado, sem conhecer o elenco, no meio da fase mais complicada do campeonato, com maratona de jogos e pouco tempo pra treinar. Mas, por enquanto, o treinador me parece mesmo perdido e empacado em determinadas escolhas que já poderiam ter sido deixadas pra trás.


* * * * * * * * * * * * * *

Acredito que, mesmo com derrotas agora por determinadas escolhas erradas de momento, o Flamengo tem a ganhar no longo prazo com as escolhas de prioridades que parecem estar sendo feitas agora. Não sou dos que fica contrapondo o discurso de profissionalismo de Zico aos maus resultados atuais do time em campo - acho este um caminho perigoso, inclusive. É mais fácil ser vencedor pagando em dia e levando o trabalho de todos a sério do que o contrário. E certas reações que tenho visto por aí, de gente ligada à Gávea, me fazem mesmo acreditar que tem gente sendo muito incomodada por mudanças que estão acontecendo.


Escrevi isso apenas para entrar no assunto: realmente acho péssimo que se deixe torcedor organizado entrar na Gávea pra ter reunião com jogadores. É algo que vai contra o discurso de profissionalismo, organização, moralização etc. etc.

Não sei o efeito prático de curto prazo que isso pode ter. Mas abrir este tipo de possibilidade é dar a estes torcedores (que têm um incrível tempo livre em suas vidas, a julgar pelos horários em que resolvem ir à Gávea, e certamente não me representam) um poder que nunca deveriam ter. É uma porta perigosa de se abrir.

5 comentários:

Paulo Sales disse...

Caro André,
As mudanças de Silas no jogo contra o Palmeiras foram patéticas. O time perdendo por dois a zero e ele tira Juan para colocar outro lateral, sem qualquer experiência. Depois tira Toró para colocar Correa, outro volante. Como ganhar um jogo assim? Defendi muito a saída de Rogério, mas Silas tem acrescentado pouco ao time. Parece, como você disse, perdido, sem eira nem beira. É conservador, parece não conhecer as características dos jogadores e não consegue dar padrão a time. Estou seriamente preocupado com o rebaixamento.

lussiannosousa disse...

Tá parecendo o Flu 2009. Medalhão escalado pelo nome e jogadores que estão 'voando' em campo não jogam ou seuqer são relacionados. Cuca percebeu, barrou um monte e todos sabem como terminou.

André disse...

Na boa André. Inúmeras vezes você disse que "existem pessoas incomodadas com as mudanças implantadas pela atual diretoria".

Eu não li nada na imprensa e, posso estar esquecido, acho que você nunca fez uma coluna explicando quais foram estas mudanças. Caso tenha conhecimento acho que seria útil compartilhá-las.

O que eu enxergo daqui de Porto Alegre é que continua tudo na mesma e com algumas decisões RIDÍCULAS!

Por exemplo: Nossa melhor revelação no ano e na posição de maior carência foi escanteada e emprestada para o GOIÁS - falo de CAMACHO.

Outra: Como é possível manter o JUAN no elenco com as atuações PATÉTICAS deste jogador que já foi útil mas já passou da hora de vazar.

Mais uma: como uma diretoria dita "profissional" contrata jogadores APENAS pelo currículo. Não sabem como estão jogando? Não sabem as condições físicas? Se sabem, como permitem que jogadores SEM A MENOR CONDIÇÃO FÍSICA (DEIVID, RENATO ABREU e TORÓ) entrem em campo?

Outra: Quando assumiram o comando não sabiam que o PETKOVIC tinha 38 anos e CERTAMENTE seria INSUFICIENTE para as prentenções do clube? As suas atuações em 2009 já foram o último suspiro de um paciente terminal no seu leito de morte.

Outra: Como uma diretoria "profissional" contrata jogadores baseado em DVD!??!?!??? Vide a situação PATÉTICA do episódio BORJA.

Outra: Como aprovar uma contratação HORROROSA como a do Val Baiano ?!?!?!?! O cara estava há "trocentos" meses no México e não jogou 10 partidas. Isto cheira a uma decisão tomada por "profissionais" com conhecimento TÉCNICO!??!??? Vão dizer que o cara fez 17 gols ano no Brasileiro de 2009. Tudo bem. O Souza foi artilheiro, o Dimba foi artilheiro...já sabemos o que deu...

Continuo esperando para ver estas mudanças da diretoria profissional do Flamengo.

O Zico É o nosso MAIOR ÍDOLO, sua honestidade NUNCA será discutida, a Patrícia Amorim também tem a melhor das intenções, mas a verdade é que ATÉ AGORA não saiu uma linha POSITIVA na imprensa para que eu repense a minha opinião.

A única coisa que me lembro é o tal investimento no ninho do urubu que fica a "1000" km do RJ e que será mal visto por qualquer jogador que for contratado.

Aqui no sul os jogadores treinam no "quintal" de casa. Isto gera bem estar e conforto. Os atletas gostam de treinar no Grêmio e no Inter. As instalações são boas e podem ir almoçar em casa tranquilamente. Podem falar o que quiserem, mas que isso ajuda, ajuda.

Enfim este é o meu desabafo contra esta diretoria "profissional" que nunca jogou "Championship Manager" para avaliar os quesitos dos jogadores antes de contratar.

André Monnerat disse...

Juninho, você fala só das contratações de jogadores, que é o que fica mais visível e de efeito imediato. E aí você vai avaliar só os resultados em campo, que são ruins. Por isso, está puto deste jeito. Como todo mundo (e eu inclusive, vendo o time jogando).

O CT é longe pra mim - não é tão longe pra quem mora na Barra ou Recreio, maioria dos jogadores. Infelizmente, não há espaço no Rio de Janeiro pra construir um CT na Zona Sul ou coisa do gênero. O Flamengo precisa de um CT, todo mundo sabe disso, todo mundo sempre cobrou. E os jogadores podem almoçar não em casa, mas no próprio clube, de maneira correta - é o que se faz nos melhores CTs do país.

Os salários estão em dia, o que é o mínimo e faz diferença - vimos isso ao longo dos últimos 15 ou 20 anos - e sempre foi cobrado. O organograma das categorias de base, pelo que se diz, foi todo refeito e a equipe remontada, com prioridade pra formar os jogadores e não ganhar títulos de base - como ganhamos costumeiramente nos últimos anos sem revelar ninguém. E não revelar jogador é outra coisa que todo mundo vê que acontece no Flamengo há décadas e faz muita, muita diferença na situação do clube.

Também sei que há um projeto em andamento, pra ser apresentado ao fim do ano, pra finalizar a profissionalização do departamento de futebol. É questão de ver como é o projeto e se será mesmo posto em prática. Mas a chance disso acontecer é agora. Se não for agora, não sei mais quando vai ser.

No duro, o que mais me convence de que tem mudanças acontecendo é exatamente a reação de gente que está lá há muitos, muitos anos e agora inventa de tudo - inclusive contra a moral do Zico, que você mesmo diz que não pode ser atacada - pra tentar derrubá-lo. Se tá incomodando tanto, alguma coisa que não está aparecendo pra fora está acontecendo.

No mais, o que eu acho é que o Zico assumiu há alguns meses, com campeonato em andamento, contratos em andamento, orçamento em andamento. Pode ser que ele simplesmente mande mal mesmo, não saiba escolher jogador nem técnico nem coloque alguém que saiba pra fazer o trabalho, não mude tudo o que tem pra mudar. E acho até que ele já errou aí várias vezes neste pouco tempo. Mas acho também que algumas conclusões definitivas demais estão sendo tomadas em muito pouco tempo por muita gente.

Pode ser que eu quebre feio a cara, mas prefiro esperar um pouco pra ficar proclamando o fracasso desse jeito. Até porque a gente sabe quem está em volta se apresentando como alternativa.

Gabriel Folha disse...

As colocações do Juninho foram mais razoáveis dessa vez, menos passionais, e as respostas perfeitas.

No futebol brasileiro, especialmente no Rio, é muito comum vc contratar pra tentar reviver o passado, que muitas vezes nem foi tão bom assim.

Isso explica a volta do Renato (que nunca foi bom), isso explica um Palmeiras com Valdivia e Marcos Assunção. Faz parte de "jogar pra torcida".

Esse "jogar pra torcida" de forma literal, pq é ela quem cria os idolos. No caso do Flamengo, Bruno, Obina, Renato...

Essa mesma torcida que, lamentavelmente, tem acesso ao clube e aos jogadores. Imagina o tipo de cobrança que é feita. Olha a estirpe da galera que vai lá.

Qnto ao CT, é longe pra gente que sempre morou na Zona Sul, é perto pra maioria dos jogadores que moram na Barra e Recreio.

Independente disso, se vc ganhasse $150, $200 mil de salário, vc poderia, ou morar perto, ou ter o bom senso de não reclamar de onde vc trabalha.

A verdade é que o Silas é, pra dizer o mínimo, absolutamente medíocre, vê o futebol sempre pelo senso comum, não arrisca, não tenta nada de diferente.

O foda é que antes era o Rogério...