Que sejam atentos nos exames médicos de Marquinhos no Flamengo

Fato: na situação atual de seu elenco, o Flamengo não precisa apenas de qualidade no ataque - mas também de número. Se Rogério decidir escalar dois atacantes entre os titulares, fica sem ter quem colocar no time reserva nos coletivos. Todo mundo ainda está esperando os nomes que tenham pinta de que podem assumir de cara a vaga de titular; por enquanto, apenas apostas - e Marquinhos, ex-Vitória, é mais uma.


A contratação ainda não foi anunciada oficialmente, mas é como se tivesse sido - afinal, o site oficial já publicou entrevista com o jogador, que está passando pelos exames médicos. E é bom que eles sejam mesmo muito cuidadosos, pois Marquinhos, tão jovem, já tem um grande histórico de contusões.

Nascido em 1989, Marquinhos é formado nas divisões de base do Vitória e ganhou destaque no time de cima em 2008, com apenas 18 anos. Na época, a equipe dirigida por Vagner Mancini já atuava no 4-2-3-1 que hoje é moda em todo o mundo e foi sensação do campeonato, aparecendo entre os primeiros colocados por boa parte da campanha. Os dois jogadores que atuavam abertos, entre o meio-campo e o ataque, eram ele e Willians, igualmente jovem - e os dois foram talvez as maiores revelações do campeonato. Ainda na metade da campanha, já estavam comprados pela Traffic e sabia-se que, no ano seguinte, jogariam pelo Palmeiras.



Parecia uma aposta certeira do clube paulista, mas não deu certo. Os dois tiveram problemas de contusão o tempo inteiro em que estiveram por lá, não conseguiram sequência de jogos e, nas oportunidades que tiveram, não convenceram. Antes mesmo de chegar ao Palmeiras, Marquinhos pediu dispensa da Seleção Sub-20 para a qual foi convocado, no fim de 2008, por uma lesão muscular; no início da temporada 2009, teve uma hérnia inguinal que o deixou um mês parado. No resto do ano, continuou passando muito tempo no departamento médico.

Neste início de temporada, andou tendo oportunidades com Antônio Carlos, mas basta dar uma pesquisada pelo seu nome nas comunidades do Palmeiras no Orkut pra sentir que a rejeição da torcida a ele é total. Por lá, sai agora com fama de chinelinho e "baladeiro" - e isso pesou para, ao que parece, entrar de gaiato na confusão que deu na demissão do técnico Antonio Carlos, que achou que Marquinhos estivesse entre o grupo de jogadores que chegaram atrasados à reapresentação do grupo por estar em uma festa madrugada adentro. Na verdade, Marquinhos havia apenas dormido demais no hotel, mas levou bronca do treinador na frente de todo o elenco; o atacante Robert, que estava na tal "balada", decidiu defendê-lo e começou uma grande discussão que, na época, noticiaram que teria dado até em troca de socos (o que foi desmentido depois).

Em um ano e meio de Palmeiras, Marquinhos jogou apenas 32 partidas, boa parte saindo do banco. Não fez nenhum gol. Tentará agora, no Flamengo, recuperar o rumo promissor que sua carreira tinha no Vitória. No início do ano, Willians já havia deixado o Palmeiras para tentar o mesmo no Fluminense. Até agora, não deu certo; jogou pouco, não conseguiu vaga de titular e voltou a enfrentar contusões. É torcer para o mesmo não acontecer com Marquinhos na Gávea.


* * * * * * * * * * *

Seu contrato com o Palmeiras acaba no dia 31/7 e ainda aparece no registro da CBF. Se não houver uma rescisão antes, poderá jogar no Flamengo a partir do início de agosto. Segundo as notícias, o Flamengo não paga nada por sua chegada e vai arcar apenas com seu salário. Sendo jovem, de uma posição em que o elenco está necessitado e vindo barato, me parece uma aposta válida - mas é apenas isso mesmo, uma aposta. Não é um artilheiro nem um meia armador: atua mais pela ponta (é destro), podendo jogar como segundo atacante ou como um meia aberto - algo como fazia Zé Roberto no Flamengo de 2009.

2 comentários:

André disse...

Segundo vc mesmo: uma aposta.

Não acha que o Flamengo está apostando demais? Até parece que futebol virou cassino...

Tiago Cordeiro disse...

Não sei. Muita aposta em um elenco inflado. Cedo ou tarde vamos precisar que chegue quem resolva.

Se não chegar, esses aí não resolvem sozinhos.

Se chegarem, vai ter jogador sobrando, se acomodando e bancando o Gil no elenco.

Esses nomes precisavam chegar na reapresentação durante a Copa. Daí, estariam, pelo menos, entrosados. Agora era o momento de chegar quem resolvesse.

Desse jeito vai ficar difícil. O efeito de 2009 será BEM MAIS difícil esse ano. Bem mais.