Brasileiro 2010 - 10a. rodada - Flamengo 1 x 1 Avaí

O Flamengo deixou escapar a chance de chegar à terceira vitória consecutiva, especialmente por seus melhores momentos no primeiro tempo. Mas o time voltou a mostrar defeitos que já haviam aparecido contra o Atlético-GO - inclusive o de recuar além do recomendável quando a vantagem não era tão tranquila assim.


Os primeiros 15 minutos do Flamengo foram realmente muito bons. Marcou no campo do adversário, tomou muitas bolas, trocou passes com qualidade de um lado pro outro e criou chances. O gol foi um símbolo deste curto período: bola de pé em pé até a conclusão fria e certeira de Diego Maurício.

Porém, depois disso Antônio Lopes mudou o posicionamento do Avaí, que conseguiu avançar, evitar a troca de passes do Flamengo e até criar pelo menos duas boas chances de empatar. O ímpeto não durou tanto; nos últimos 15 minutos do primeiro tempo, o Flamengo conseguiu se reequilibrar, esfriar o jogo e até chegar perto de ampliar.

Mas aquele período de maior domínio do Avaí deixou claro que o meio-campo do Flamengo, quando pressionado, tem dificuldades. Os jogadores individualmente têm qualidade, mas não parecem posicionados da melhor maneira. Correa (que foi bem, melhor que na estreia) está jogando sozinho e sobrecarregado como único volante. Willians se coloca mais adiantado e tem dificuldades de se posicionar assim. Até aparece pra torcida em lances isolados - uma arrancada pro ataque, um pique pra cortar uma bola do lado da área -, mas ocupa mal os espaços e não ajuda no toque de bola na frente. Pet acaba tendo que recuar mais do que devia, inclusive pra marcar, e alguma hora ele acaba cansando. E Kléberson atua boa parte do tempo como um meia tão ofensivo quanto Pet, numa posição em que realmente nunca o vi rendendo bem.

No segundo tempo, o Avaí voltou com duas alterações e foi pra cima. O Flamengo recuou demais e a tentativa de Rogério pra sair da pressão foi trocar um atacante - Pacheco, que começou até razoavelmente bem, mas foi sumindo, sumindo, sumindo... - por um meia, talvez pra adiantar Pet para o ataque. Não deu muito certo, mas a verdade é que a pressão do Avaí, que não tinha dado mesmo em nenhuma chance clara de gol, com o tempo foi diminuindo.

Só que o Flamengo em nenhum momento ameaçou ir atrás de seu segundo gol, confiando demais na vantagem que tinha, e os catarinenses acabaram achando o seu numa falta de muito longe, que deu a impressão de ser defensável. Recuaram e esperaram o Flamengo, que não teve organização pra furar a retranca - não teve jogadas organizadas pelas pontas e insistiu demais em enfiadas de bola pelo meio que nunca passavam pelo paredão montado pelo adversário na frente de sua área - e quando chegavam a Diego Maurício, sempre de costas pra defesa no meio de três zagueiros, batiam e voltavam.

* * * * * * * * * *

Os destaques do time ficaram mesmo por conta do primeiro tempo - no segundo, quase todo mundo caiu. Mas Léo Moura fez uma grande primeira etapa, assim como Correa. Na zaga, Angelim esteve bem, mas o surpreendente Wellington (suspenso pro próximo jogo...) apareceu até melhor. Juan e Pet também tiveram bons lances. Falta mesmo ao time, além de uma maior qualidade no ataque que é difícil de ter só com quem está lá, conseguir manter mais seu ritmo ao longo do jogo (o que inclui também pensar em como preservar Pet de correr o que não consegue mais e encontrar opções pra quando ele tiver que diminuir a marcha) e descobrir maneiras de render melhor quando é pressionado.

21/7/2010 - 21h - Flamengo 1 x 1 Avaí
Maracanã - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$ 364.165 / 14.051 pagantes (19.085 presentes)


Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)
Auxiliares: Alessandro Alvaro Rocha De Matos (BA - FIFA) e Katiuscia Mayer Berger Mendonça (ES - FIFA)
Cartões amarelos: Welinton, Cristian Borja, Kleberson e Guilherme Camacho (Flamengo); Marcos e Patrick (Avaí)

Gols: Diego Maurício, 10'/1ºT (1-0); Gabriel, 29'/2ºT (1-1).

Flamengo: Marcelo Lomba; Leonardo Moura, Welinton, Ronaldo Angelim e Juan; Willians, Correa (Rômulo, 34'/2ºT), Kleberson (Cristian Borja, 30'/2ºT) e Petkovic; Vinícius Pacheco (Guilherme Camacho, 17'/2ºT) e Diego Maurício. Técnico: Rogério Lourenço.

Avaí: Renan; Patrick, Gabriel, Emerson e Eltinho; Marcinho Guerreiro, Diogo Orlando (Marcos, intervalo), Rivaldo e Caio (Vandinho, 31'/2ºT); Robinho (Davi, intervalo) e Roberto. Técnico: Antônio Lopes.

9 comentários:

Lussianno disse...

Esse jogo foi bom pra eu conseguir esquecer aquele 2x1 contra o Goiás - uma espécie de Bra x Russia do vôlei feminino pra mim. Agora não são apenas 3 pontos perdidos, e assim segue o campeonato.

Serviu pra tb pra lembrar que nosso time é meia boca, e o técnico pior ainda =/

Max Amaral. disse...

temos um problema de elenco, sim. Mas acho que o problema maior está no banco. Nosso treineiro não sabe o que fazer depois que o jogo começa.
Impressionante como o Antonio Lopes (de quem eu particularmente não gosto) deu uma aula hoje de "leitura" de jogo e reorganizou o seu time, ainda no primeiro tempo...

Buno CML disse...

Eu não vou criticar o time nesse empate porque eu esperava muito menos dele depois da pausa pra Copa com o desmonte do time e com o caso do Bruno, mas fui surpreendido positivamente...
Agora é torcer pro Val Baiano entrar bem porque nao temos ataque e o Renato Abreu substituir o sempre inoperante Kleberson,.

Mas esse ano é isso aí, fazer um campeonato sem sustos e programar o ano que vem, é tempo de reestruturação.

André disse...

Vou como todos os outros. Já estava começando a torcer como torcia no começo do ano mas este empate foi bom para cair na real.

Temos que somar o maior número possível de pontos antes que os bons times se arrumem para escaparmos do rebaixamento. Para isto estes 7 pontos foram excelentes.

Nosso time é médio como tantos outros no campeonato com o agravante de termos muitos jogadores com mais de 30 anos como Petkovic, Leo Moura, Angelim, Renato Abreu, Kléberson, Correa... Isto nos confere uma desvantagem física relevante.

Outra coisa: Não sei o que se passa na cabeça do Kléberson. Se cansou da profissão que se aposente então, porque a contribuição dele é próxima de ZERO e ainda acha que pode ficar tentando dar passes de calcanhar quando até de frente é complicado para ele.

Estou impressionado com a vontade do Juan que está correndo como poucas vezes vi ele correr.

Quando ao Val Baiano que é a GRANDE esperança de alguns...se ele é a esperança...deus nos abençoe. Gordo como um porco o ano inteiro, está treinando já faz um tempo e ainda não pode nem ir pro banco...

Por último o gol do avaí não pode ser classificado como frango mas podia ser defendida com algum esforço. Foi um chute forte mas de muito longe. Foi a síntese do Flamengo: muito esforço mas se apertar...peida...

Anônimo disse...

Lembram que eu disse apos a vitoria sobre o Atlético-GO ?
Vamos torcer para que o FLAMENGO consiga ao menos a LIBERTADORES.

Leonardo disse...

Com esse treinador vamos passar sufoco nesse campeonato até o Zico cair na real!

Por mais que sejamos exigentes no sentido de termos um elenco de alto nível (como tínhamos até bem pouco tempo), poucos times estão com elenco melhor.. então não dá pra se esconder atrás da diretoria esperando reforços, tem que trabalhar com o que tem ai...

E que substituição foi aquela, colocando o Rômulo?! Aliás, o que é Romulo??? e cadê o Maldonado???

Bosco Ferreira disse...

O problema não é o treinador, remontamos um time de futebol que perdeu SEIS dos onze titulares que ganharam o hexa campeonato,

Dos CINCO que ficaram, Kleberson e Pet ainda não encontraram um bom futebol do ano passado, e os substitutos dos outros meiocampistas, o Renato Silva não estreou e o Correia apesar de jogar bem sofre com o inicial processo de adaptaçã.

Para o ataque, infelizmente os problemas herdados da administração passada impede a chegada de nome a altura dos que sairam e os que chegaram ainda são uma incógnita.

Infelizmente esse ano vai nos fazer sentir no coração como fomos mau administrados nos últimos dezessete anos.

Apenas um título importante.

Para mim estaduais e copa do Brasil é título para enganar otários, ou para acalentar mineiros (mineiro só ganha estadual)

Tiago Cordeiro disse...

André, o Thiago Humberto que foi pro Vitória seria útil pra isso. Mais experiente que o Camacho e com um estilo que lembra um pouco o Pet.

Acho que tem um certo exagero ao se falar do Rogério. Ele tem um elenco desequilibrado nas mãos e vai fazer o quê?

Tem algumas coisas nele que realmente me incomodam, mas não sei se o time recua só por ordem dele. Há tempos que esse elenco é assim. Na real, em 2009 já fazia como ontem só que o Adriano definia um tiquinho melhor que o Diego Maurício. :)

E sobre o Pet: era pra ele ter sido sacado depois que o Camacho entrou. Só apareceu em cobranças de faltas. Aí eu acho que é um erro do Rogério. Parece estar respeitando demais o Pet, que é o craque desse time, mas tem sérias limitações físicas. Ontem podia ter sido o primeiro a ser substituído.

Até entendo manter o cara pra tentar resolver em um escanteio ou cobrança de falta - e ontem ele esteve perto disso - mas acho mesmo que ele podia ter saído antes. Foda que não consigo cornetar o Rogério por isso. Tira o Pet e põe quem? Enfim, é difícil quando você tem poucas opções.

E de qualquer jeito, acho que falta um pouco mais de catimba ao elenco. Aquela coisa de saber segurar o jogo. O juiz ontem deixou o jogo correr e toda hora os caras pediam faltas bobas. Era pra terem sido mais firmes, prendido a bola, feito falta... Enfim, segurado o jogo.

Foda criticar o Lomba, mas a bola me pareceu menos indefensável do que falaram. Típico gol que o Bruno tomava.

Leonardo disse...

Últimas notícias são de que não poderemos escalar o David porque não há previsão de se ter a quantia pedida pelo seu empréstimo.

Será que não podíamos cobrar (pelo menos) a mesma quantia pedida pelo David no empréstimo do Fierro????
Será que o David é melhor jogador??

Não duvido que ainda fiquemos sem receber nada do Boca Juniors e sem um jogador que poderia ser útil - vide últimas atuações de Kleberson, Camacho, Pacheco etc etc..