Um exercício difícil

"Gestão zero título."

É o que o jornalista Eduardo Peixoto, que cobre o dia-a-dia do Flamengo para o Globoesporte.com, publicou em seu Twitter logo depois da derrota do time de basquete rubro-negro para o Universo, ontem de manhã.


Tomem cuidado.

Tudo o que é escrito sobre o Flamengo - inclusive aqui, claro - passa pelo filtro pessoal de quem escreve. E depois, pelo de quem lê.

Peixoto não gosta da gestão de Patrícia Amorim, após cinco meses. É direito dele, claro, e vivendo dentro do clube, ele não deve tirar suas impressões do nada. Muita gente também não gosta; eu, que não teria votado nela, acho que já errou bastante, mas também mostrou alguns acertos interessantes e é preciso esperar e observar mais pra formar opinião pra valer. De qualquer forma, usar a derrota do basquete por dois pontos, na quinta partida, para alfinetar com um "gestão zero título" não é razoável.

Primeiro, porque estamos chegando à metade do primeiro ano de seu mandato. É óbvio que é cedo, muito cedo, para fazer qualquer avaliação de Patrícia Amorim, especialmente em cima de conquistas. E pode inclusive acontecer de chegarmos ao fim do ano sem qualquer taça levantada e, ainda assim, acharmos que o trabalho foi bem feito. Afinal, ganhar e perder é do jogo.

Segundo, porque é claro pra todo mundo que este time de basquete foi montado na administração passada (inclusive em um trabalho iniciado pela própria Patrícia, que merece elogios pelo grande elenco que mandou e críticas, muitas críticas, pelos meses sem salário pelo qual ele passou). O trabalho desta administração quanto ao basquete merece até elogios por ter conseguido dois patrocinadores em pouco tempo. O acordo com a Sky, aliás, já se mostrou ainda mais interessante pela relação da empresa com a equipe, fazendo ações de ativação do patrocínio, com seus clientes podendo pagar meia no ingresso, cards com as imagens dos jogadores sendo distribuídos e muita gente com a camisa da empresa ocupando espaço na última partida na HSBC Arena.

E afinal de contas, foi uma derrota normal. O Universo investiu mais no basquete que o Flamengo nesta temporada e não é nenhum absurdo que tenha ganho o título. Ainda mais da maneira que foi: apenas na última partida, na última cesta, depois de outras duas vitórias igualmente apertadas.

Porém, mesmo assim você vai ler aqui e ali gente concordando com o "gestão zero título", atribuindo a derrota à incompetência ou ao azar da atual diretoria, falando na perda do título para um "freguês", enfim. Críticas que talvez tenham tido seu ponto de partida na leitura daquela frasezinha naquele Twitter formador de opinião. É assim mesmo.

É claro que já houve muitos grandes motivos para criticar esta gestão, e eu mesmo já o fiz aqui. Haverá ainda muitos outros, inclusive ao próprio Zico, que ainda não assumiu 100%. Pode acontecer de tudo se tornar uma enorme decepção ou confirmação das piores expectativas.

Porém, é preciso tentar perceber nas tantas notícias que saem da Gávea e arredores o que é simples informação e o que está sendo modificado demais pelo tal filtro pessoal. O mesmo Eduardo Peixoto que soltou aquele simples "gestão zero título" em seu Twitter pessoal vai escrever sobre negociações e contratos num portal com audiência infinitamente maior - e todo mundo vai ler o texto sem nem perceber a assinatura do repórter. Ele vai acertar e errar, como todo mundo, claro. E será a fonte básica para a formação da opinião de muita gente.

Assim, quando receberem uma informação de qualquer fonte com alguma crítica a quem quer que seja, tente perceber o quanto essa crítica é baseada no fato em si, o quanto é baseada em implicância por outros motivos (razoáveis ou não). E daí tentem formar sua opinião.

É um exercício difícil de fazer, para todo mundo.

42 comentários:

djmangueira disse...

Tudo que o sr. Peixotinho escreve merece um desconto - e olha que eu o sigo no Twitter também.

HENRIN BUENO disse...

Monnerat, acho que é a primeira vez que discordo totalmente de algo que vc escreve.

A Patricia é uma lazarenta que se cerca dos piores indivíduos na Gávea para sua gestão horrível.

Estava se afogando e só tinha um recurso antes de afundar. Chamar o Zico. Agora o Mestre vai ter que chegar e ainda arrumar a casa toda bagunçada que Dona Patricia e seus asseclas deixaram.

Ela é péssima! É azarada! Não dá!

André Monnerat disse...

Henrin, você tem todo o direito de achar ela uma lazarenta etc. etc.
Meu texto nem diz o contrário.

Só diz que falar isso porque perdeu um jogo de basquete por 2 pontos pra um time que teve bem mais dinheiro pra investir não é razoável. E que as pessoas devem procurar embasar suas opiniões mais em fatos, menos em implicância.

Quanto ao Zico, tudo o que eu tenho a dizer é que há anos que se fala na volta dele, que todo mundo quer, que todo mundo tenta.

Ele resolveu aceitar a ideia só agora. Pode até ter sido o "último recurso" dela, mas algum mérito pra isso ela deve ter.

HENRIN BUENO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
HENRIN BUENO disse...

Flamengo não perdeu um jogo por 2 pontos. Perdeu mais um título! Perdeu decisão para o Botafogo. Perdeu decisão para o LdU. Ou seja, todo título que o Flamengo disputa está perdendo, seja por fatalidade (digamos o basquete), seja pela péssima gestão (futebol).

Flamengo não perdeu o título para o Brasília só neste jogo, perdeu nos 2 outros que perdeu tb.

Ou seja, o Flamengo com ela não é um clube vencedor, é um looser.

Zico vai vir, é um vencedor, mas vai ter que lidar com gente que fizeram e fazem de tudo para estragar o que veio de bom da Gestão passada do Delair/MB. Zico terá paz? Ou Artur Rocha e Helio ferraz colocarão as unhas de fora?

Sinto muito, mas o mais plausível é o Zico não aturar estes malas e pedir as contas por incompatibilidade de postura, idéias, etc.

Bruno CML disse...

Avaliar o trabalho apenas por titulos é um equivoco giganstesco. Nos ultimos anos ganhamos uma copa do brasil, um tri carioca, um brasileiro, bi brasileiro de basquete e a gestão do Marcio Braga foi muito longe de ser boa.

A PA errou bastante sim, e tambem acertou, mas se ela fosse homem as criticas seriam muito mais amenas, tenho certeza absoluta disso.

HENRIN BUENO disse...

Vou reproduzir aqui um comentário do Cordeiro que achei perfeito na FlamengoNet sobre esta "gestora":

A questão é simples: se for pra reestruturar o time só em casos extremos. Em 2005-2006, nem time tínhamos. Criaram uma base e foram levando. A diferença fundamental é termos um time campeão brasileiro formado e a diretoria o desmontou sem o menor esforço. O caso Maldonado é emblemático.

Caguei se a responsa era do Braz, Helinho ou do Peixotão. Nos três meses desse ano há uma constante: a presidente. Que teve tempo o suficiente para se preparar e planejar o que faria com o futebol ANTES de ser eleita. Mesmo após eleita, o Márcio Braga liberou o clube para que conferisse como estava tudo e se planejasse como uma gestora séria. E não como uma dondoca que não sabe o que fazer depois do chá das cinco ou fora dos esportes olímpicos.

A presidente teve tudo na mão. O time está sendo desfeito porque é melhor pro clube? Está sendo desfeito porque está dentro do planejamento dessa diretoria?


Não. Perde-se o time porque a presidente é uma incompetente, demitiu o responsável pelas renovações na primeira perda de título, demorou um mês para resolver o futebol e nesse período não fez ABSOLUTAMENTE NADA pelo clube e deixou jogadores-chave vencerem o contrato e/ou sem substitutos. Isso tudo com o carro-chefe do clube. Patrícia demonstrou desrespeito até mesmo com os próprios esportes olímpicos q passaram a ser vistos como inimigos do futebol, quando são parceiros, complementos ao carro-chefe do Flamengo.

É por isso que perdemos o time. Falar o contrário, faz parecer que a Patrícia foi uma vítima das circunstâncias ao invés da presidente com maior apoio ao se eleger e com times campeões em vários deptos e consegue, semana após semana, desbravar recordes como perder uma final pro Bota, perder um clássico pro Flu, perder depois de 24 anos e ser a primeira mandatária em décadas do clube aplaudida pela torcida adversária.

A gestão zero-título até aqui. E se mudar algo, a constante Amorim tem seus créditos. Mas eu tenho pra mim que a nossa grande chance tem quatro letras e nenhuma delas tem "y".

By Tiago Cordeiro

Anônimo disse...

Concordo com a opinião do Henrin.
A derrota no basquete não torna a atual gestão mais ou menos competente, mas é fato que a vitória seria usada pela presidente para encobrir sua incompetência - suas entrevistas invariavelmente mencionam a campanha no basquete ou a contratação do Cielo.
Assim como é fato que nos acostumamos em 2010 a ler nos jornais que os times que jogam contra nós estão quebrando tabus - foi assim com o Botafogo, Fluminense, Goiás etc etc.
A presidente sabia da saída de nossos atacantes e dava entrevistas dizendo que confiava na permanência destes - mostrando que não havia qualquer ação no sentido de repor as peças.
Agora vamos ter que aturar.. Super-Helinho, R. Lourenço e cia.

Tiago Cordeiro disse...

Eu acho sacanagem também falar isso pela perda do título de basquete, muito embora ele tivesse carências que até quem não entende de basquete percebia e ela não resolveu a tempo.

Mas beleza. Perder é do jogo. Se um dia o Flamengo chegar em CINCO finais - incluindo duas competições nacionais e uma intercontinental - será um time de ponta. Então o basquete é do jogo.

Pra mim, as críticas a ela se referem ao longo de cinco meses de gestão. Tem menos a ver com resultados e mais a ver com as ações e omissões da presidente.

E o "gestão zero-título" pra mim foi uma forma de ver uma gestão que tem feito praticamente todo o possível para PERDERMOS títulos ao invés de ganharmos. Torço para que o Zico reverta isso. E aí aplaudirei a presidente como co-responsável do retorno do Galinho.


Sobre o Peixoto: vou evitar criticá-lo profissionalmente e a sua opinião. Concordo q há uma precipitação, mas pra mim o grande problema mesmo é a exposição desnecessária que ele se impõe. Todos os conflitos de interesse que você citou são pertinentes e é um erro comum de repórter no twitter entregar o que pensa de uma forma que costuma comprometer o que escreve.

Todo jornalista têm o direito de opinar. Mas fazer isso publicamente traz um peso desnecessário a cada reportagem.

Fabricio C. Boppré disse...

É só ver os comentários da galera para entender o que todos julgam ser importante: contratar atacantes, ganhar clássicos, ganhar títulos. Eu também já tenho minhas opiniões sobre erros e acertos da presidente, mas concordo com o André, só vou formar uma opinião sólida sobre a atuação da Patrícia depois de algum tempo, quando enfim pudermos concluir se a dívida tá sendo controlada e diminuída, se o CT tá pronto, se o clube tá mais organizado, se os salários estão em dia, se os compromissos estão sendo dignamente cumpridos, entre outras coisas menores desse tipo... coisas que, se não dão títulos imediatos, ao menos nos dão a certeza que, a médio prazo, não ficaremos mais 17 anos sem ganhar um campeonato brasileiro.

André Amaral disse...

Eu fico pensando no Zico, o que ele viu na presidente para aceitar o cargo de executivo do futebol?

Cara, a quanto tempo ouço que Zico nunca assumiria nada no Flamengo enquanto tivesse certas pessoas no poder, o que mudou?

Será que Zico foi enganado pela lábia da Patrícia? Eu acho que não.

Falam em desmanche do time do hexa, pô, todos sabiam que era um time com "prazo de validade", ou alguém não sabia que Adriano e Love estariam fora na metade do ano?

Cabe agora a diretoria correr atrás de reforços, e não entrar em desespero por pressão da torcida.

Eu ainda aguardo o time que será formado, a torcida está presa a base do hexa, a base foi praticamente mantida, o treinador foi mantido, o dirigente foi mantido, tivemos o melhor ataque do Brasil, tinha tudo para ser uma grande Libertadores, mas infelizmente o resultado não veio..

Eu só exijo um time forte para o brasileiro, como tivemos nos dois últimos anos.

E deixem Zico trabalhar!

Tiago Cordeiro disse...

Essa de time de aluguel não me convence.

A dupla de ataque ia sair no meio do ano. Eu sei disso, você sabe e todo mundo sabe. Era o ponto forte desse time.

O que a diretoria faz?

Nada.

Tentou e tenta uma improvável permanência de cada um, mas era óbvio que dificilmente ficariam. Ainda assim, o nível dos reservas era tão fraco que compensaria um substituto que tivesse alguma chance de ser titular.

E a gestão fez o quê? Nada.

O Maldonado pode ser que fique, mas a diretoria SUPLICOU para que saísse. Tanto que dificilmente fica. O Álvaro não vem rendendo nada o ano todo e depois do Alex Silva não tentaram mais nenhum zagueiro. Nenhum.

Foi mal, mas ela merece essas críticas sim. Eu sou contra as pessoas pedindo impeachment (não dá pra banalizar a palavra), achar que a gestão passada foi só brilhante e não teve erros (Cabañas manda abraços), mas que ela está pedindo pra ser vaiada, está.

Aliás, ela está indo tão bem que teve torcida adversária gritando o nome dela ao invés de vaiar. Nem com o Eurico isso rolou.

Bosco Ferreira disse...

Tenho um grande respeito pelo jovem André Monnerat. Acompanho este blog desde muito antes das eleições, e sou testemunha da maneira elegante, democrática, beirando a impossivel imparcialidade humana que o Monnerat conduziu esse blog dando espaço e informações de todos os candidatos.

Mas Monnerat, não consigo entender tanta letargia, incompetência, falta de iniciativa. Até parece uma dondoca perdida numa cozinha.

Sinceramente amigo, não entendo a sua paciência e a sua compreensão, acho até que se você fosse dessa diretoria estava agora justamente censurando a torcida por cobrar o fim das férias de vocês.

André! Acorda cara. Estão acabando com o clube e você vem nos pedir paciência, cobrar compreensão cara.

Estamos em um barco a deriva, mas você, os defensores da Patrícia, ela, e o tal conselho de notavéis, estão na beira da piscina do barco de férias tomando champanhe enquanto o barco faz agua. A torcida fica lá no porão remando a chicotadas, e quando a coisa complica vocês chegam com aquela conversa arrastada na lingua dos notaveis de que estamos no mesmo barco e temos que nos unir. Brincadeira!

Tente descubrir o significado da palavra paciência e venha para o nosso lado pedir o impeachmet dessa sonolenta, incompetente, perdedora, destruidora.

Cobrar só no segundo ano? E o primeiro ano é férias? Quem garante que não estaremos na segundona em 2011 com esse timeco de Fernados e essa presidente azalada?

A primeira presidente do Flamengo que é aplaudida por torcedores arco-iris. Com um comentário desses André, não duvido que você também comece a ser visitado pela torcida arco-iris para vir aqui te aplaudir.

Régis disse...

Belo Texto André. Concordo totalmente com você.
Não sou nenhum fã da Patrícia, pelo contrario, na minha opinião existem varias falhas na administração dela, nas demissões do Dep. de marketing, na condução do futebol com a demora nas renovações, entre outras coisas. Mas a campanha do basquete foi muito boa e nisso a administração merece sim elogios, perder da maneira que perdemos faz parte do jogo. Entrar na onda de cornetar sem analisar cada uma das situações separadamente é perda de tempo. Vamos cobrar e criticar qdo preciso, mas se não tivermos um pouco de bom senso para deixarmos o imediatismo um pouco de lado, nem o Zico dá jeito.

Bosco Ferreira disse...

Achar que a nossa revolta é porque perdemos um jogo de basquete é uma brincadeirinha chata. É sofismar a realidade.

Monnerat você estava dormindo desde Dezembro, após o resultado da eleição? E acordou agora foi?

Tiago Cordeiro disse...

Bosco, pega leve.

O Monnerat não está defendendo a Patrícia. Ele propõe que a gente tente separar o que é a crítica razoável da mera implicância.

Eu não duvido que haja machismo e nem que haja preconceito pela presidente ter surgido dos esportes olímpicos. Só acho que isso não apaga as asneiras que ela faz.

Na boa, ele tá pedindo para as pessoas tentarem ser mais reflexivas e menos impulsivas na hora de criticar. Acho que você está sendo agressivo à toa. Eu discordo do texto - leia meu comentário aí - mas tanto eu quanto o André e você temos o mesmo amor pelo clube e a mesma preocupação.

Régis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tiago Cordeiro disse...

Régis, não acredito q essa gestão consiga existir no Flamengo. Tem q haver um equilíbrio. Senão a torcida vai tornar mto mais difícil.

Mas se fosse possível escolher, eu até aceitaria sim. Mas acho q esse é o jeito mais difícil de se estruturar.

Régis disse...

E fica ainda a pergunta:
Se na administração da Patrícia o Flamengo estruturar seu CT do Ninho do Urubu passando a ter um bom CT, pagar todos os salarios de atletas e funcionarios em dia, controlar e pagar em dia as dividas monstras do clube evitando penhoras e ações trabalhistas, profissionalizar o Dep. de futebol com um modelo empresarial que diminua a corupção dos dirigentes e os gastos sem sentido que vemos hoje, melhore a elaboração dos contratos, dê mais atenção as categorias de base afastando na medida do possível os empresarios chupa-sangue, coloque em pratica um planejamento real de gastos com contratações de atletas que realmente necessitamos sem essa de agradar empresários ou empresas.
E ao mesmo tempo durante esse período nossos titulos forem 1 Taça Guanabara, 1 Brasileiro de Basquete e Torneios da Natação com o Ciello. Qual a nota seria dada a administração dela?
Está aí a raiz da questão.
O que queremos para o Flamengo nos proximos 10 anos?

Bosco Ferreira disse...

É isso aí Monnerat peguei pesado contigo. Peço-te dsculpas pela emoção não controlada. Ok?

E aí faço da pergunta do Regis a minha pergunta.

Paulo Considera disse...

Concordo 100% com o Monnerat.

Paulo Considera disse...

E respondendo a pergunta do Régis:

se ela fizer isso tudo, mas sem ganhar títulos, a nota dela seria 8.

Nota que até hoje nenhum presidente mereceu.

E daria uma nota 6 pra Patrícia analisando esses primeiros 5 ou 6 meses.

Ronel disse...

Gostei demais da foto!

Freire disse...

O negócio é o seguinte: se a Patrícia Amorim se chamasse Patrício, tivesse barba, bigode, personalidade truculenta e já tivesse ocupado algum cargo no futebol do Flamengo, não receberia 10% das críticas que tem recebido.

André Monnerat disse...

Pra deixar bem claro: eu achar que criar um bordão "gestão zero título", depois de 5 meses de mandato e por causa de uma derrota NORMAL no basquete é algo nada razoável não quer dizer que eu ache que tudo o que a Patrícia fez até agora estava certo. Nem que eu ache que todo mundo que está insatisfeito com ela é só por causa do basquete! Esse não é o caso nem do Eduardo Peixoto, que, como eu disse, tem todo o direito de achar a gestão dela horrível e deve ter seus motivos pra isso.

Aliás, quem lê o que eu escrevo aqui - e eu sei que quem está comentando aqui lê - não deveria achar isso. Mas normalmente a culpa desse tipo de coisa é de quem escreve, e não de quem lê.

Só estou pedindo mais equilíbrio e que as pessoas caiam menos na pilha. "Gestão zero título" é pilha! É simplificador, é bobo, não acrescenta nada e, ainda mais a esta altura, não quer dizer nada. É pilha!

Talvez valha eu escrever um post específico sobre o que vejo de acerto e erro até agora. Mas agora tenho reunião, não vai dar não.

Folha disse...

Parabéns André, Regis, Freire...

Já comentei em algum post anterior, chega a ser irracional essa raiva com a presidente, lembro de ter escrito "beira o machismo". Acho que já posso retirar o "beira".

Essa mesma galera colérica já deve ter aplaudido muita gente muito píor que ela, em termos de competencia, de carater e de postura.

Com essa mentalidade da conquista de títulos, contratando sem critério pra agradar a nossa infeliz torcida, conseguimos ficar 17 anos sem um título brasileiro, quase não caminhamos na construção de um CT compatível com a grandeza do clube, sem mencionar na politicagem medieval que rola la dentro.

Lembrando um momento interessante, vamos continuar querendo "um grande craque", na esperança infantil de que é isso que resolve o problema do time ou vamos querer uma grande estrutura???

Cada vez tenho mais medo da torcida!!! Agora entendo pq tem certas coisas que continuam acontecendo no futebol.

=Beto= disse...

Que bom que você escreveu isso Folha... Me poupou tempo! hehehe
Concordo 100%

Raphael Perret disse...

Perfeito, Monnerat. Parabéns pelo post. É FUNDAMENTAL separar a crítica emocional, pilhada, da crítica embasada em fatos. Um bom exemplo desse tipo de crítica é a do Tiago Cordeiro, reproduzida aí nos comentários.

Tiago Cordeiro disse...

Acho feio isso de que a Patrícia só é criticada por ser mulher.

De novo, a tentativa de vitimizar a mulher. Na boa, é simplista dizer que ela só é criticada por isso, muito embora eu concorde que há um ranço machista em certas críticas.

Thiago disse...

Concordo com o Monnerat.

Aliás, essa crítica toda em cima da Patrícia ocorre muito mais pelo fato de ser mulher do que pelas decisões tomadas.

Se fosse homem a paciência seria muito maior. Outros presidentes foram muito piores e contaram com a paciência da torcida por muito mais tempo.

A Patrícia mal chegou e já querem a cabeça dela.

Dani Souto disse...

André falou e disse!!!

O time do Hexa tinha prazo de validade. Como todo time campeão em um clube que não tem dinheiro para segura~los.

Abs

Dani

André Amaral disse...

Cordeiro

Claro que ela merece críticas, eu já fiz, todos nos já fizemos, e críticas baseadas em fatos reais, sem ranços de politicagem ou machistas, são perfeitas.

Eu acho que ela errou em ter dado todo poder ao Braz, e acabou que ele se lambuzou todo.

Não concordo quando falam que foi uma covardia demitir o Braz, que "no primeiro erro demitiram o cara", pô, Braz infelizmente não errou uma vez, foi uma sequência de erros que levou a sua demissão, e no final morreu abraçado com Andrade.

Ele foi se desgastando, tanto que a presidente teve que intervir nas renovações do Andrade, Angelin e do caso Pet, mas faltou o pulso firme para não deixar o caldo entornar.

Braz foi elogiado por ter apostado bem em Álvaro e Maldonado ano passado, mas não foi feliz em ter apostado em Ramon e Michael, fora Andrade que não usou o estadual para fazer o Pet jogar.

Sobre a dupla de atacantes, estavam confiantes que Adriano ficaria, já era, ele não quis ficar, mas agora justiça seja feita, estão tentando de todas as formas fazer o Love continuar até o final do ano.

De qualquer forma, é missão da diretoria manter o nível dos nossos atacantes.

E sobre Maldonado eu até agora não entendo o que querem com o cara, na boa, parece que não querem que ele continue, não dá pra entender.

Tiago Cordeiro disse...

André, não acho q ela demitiu o Braz no primeiro erro, realmente. Ela demitiu na primeira chance. Daí a covardia.

Até porque, vamos lá: se ela não concordava com regalias e o escambau, que proibisse. Ao invés disso, foi deixando até a primeira queda, na competição menos importante do ano.

De qualquer jeito, meu ponto é: se era pra demitir assim, tinha que botar o substituto no dia seguinte. E não levar um mês pra fazer um conselho que ia decidir o que fazer. Parece piada.

E sobre a dupla de atacantes eu não concordo. Nunca pus fé que nenhum dos dois ficaria além da libertadores.

André Amaral disse...

Aí eu concordo, tanto que ela na primeira entrevista disse que Adriano teria que rever a sua postura, e depois falou o tal "enquanto a bola estiver entrando".

Ela foi dando a corda para ele se enfocar, apesar de algumas intervenções que ela fez.

Mas a demissão do Braz/Andrade foi muito mais pela campanha medíocre da Libertadores, do que pelo estadual.

E concordo que foi surreal esse um mês com a cadeira do futebol vazia, não tem explicações, lógica nada...

Alan disse...

Excelente post, Monnerat. Concordo com cada vírgula dele.

E quanto à gestão da Patrícia, só eu que apoio ela e acho que ela vem fazendo uma excelente gestão?

SRN

André disse...

Apenas mais uma informação aqui de Porto Alegre para CONFIRMAR a INCOMPETÊNCIA e FALTA DE PREPARO da atual gestão: no programa esportivo da RÁDIO BANDEIRANTES LOCAL as 17:30 o comentarista JOÃO GARCIA revelou em email enviado pelp próprio Luiz Felipe Scolari que estavam ENCERRADAS as conversas com o Flamengo por causa do vazamento da negociação. Como a PISCINEIRA não tem culpa nisto, se foi ELA mesmo que vazou a notícia???

Não concordo com esse argumento de tempo para trabalhar...ela deveria ter montado um projeto antes da tomada de posse para ser efetivado desde o primeiro dia. Sabia quais eram os compromissos e qual era a situação do clube.

Esta gestão é o que chamamos em engenharia de gestão REATIVA. Espera os fatos para tomar uma decisão. Seria muito mais sensato se fosse PRÓ-ATIVA e vou me abster de explicar este termo.

Aos que defendem esta gestão espero que saiam as ruas nos próximos 10 anos levantando a taça de "CAMPEÃO DO BALANCETE".

Abraço André
Juninho de Porto Alegre.

Bosco Ferreira disse...

No início ví muita gente criticando a Patricia apenas porque ela é mulher. Coloquei-me na defesa dela e até chamei os críticos de machistas lá no Buteco. Até hoje nunca aplaudí nenhum diretor do CRF, ao contrário sempre sonhei em um dia ver no FLA um presidente digno de aplauso. Torcí pelo Areias, mas como ele não conseguiu nem formar uma chapa passei a torcer pela Patrícia. Espero aplaudir o Zico como o aplaudí como jogador, seria o primeiro dirigente rubronegro a receber um aplauso meu.

Bosco Ferreira disse...

Campeão do banlancete!!!
Muito engraçado. E ainda tem gente que daria nota 8, se ficassemos apenas com esse tipo de conquista.

Bosco Ferreira disse...

Patrícia Amorim trabalha em silencio. Uma pena que nós machistas e a serviço de outros cartolas da oposição não compreendemos a tática dela. Rs. http://oglobo.globo.com/esportes/rmp/#298104

HENRIN BUENO disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
HENRIN BUENO disse...

Quer dizer que se critica a moça é pq ela é mulher, qual a lógica nisso? Nenhuma. Machismo está mais em quem defende ela por ser mulher do quem a critica por ela, infelizmente, ser a presidente atual do Flamengo estar cometendo um erro atrás do outro na Gestão.

Pou parar vcs.

Ela ganhou algum título?

Não!

Ganhou alguma decisão??

Não!

Então "Gestão Zero título" está valendo.

O basquete não perdeu um jogo por 2 pontos...Perdeu uma decisão! É fato! Não foi uma derrota do basquete por 2 pontos, foi a decisão do título do campeão brasileiro!

Então não vamos tergiversar...

poshichen disse...

cara, achar q é tudo culpa dela só demonstra a falta de senso critico. O q ela fez qdo chegou na gávea? deixou todo a gestão do futebol nas mãos do MB e foi ver a questão estrutural,patrimonial do flamengo e de todos os esportes.
não foi com a "omissão" dela q o futebol ou o basquete pararam de responder. Quem estava lá,continuou lá. Quando o futebol saiu dos trilhos o que ela fez foi impor o ritmo dela,pq nada q deu certo na conquista do titulo estava funcionando mais. E daqui em diante o que veremos é a profissionalização do time e não essa baderna q é ter q pagar um bicho absurdo,dar aumentos sucessivos pra jogadores e o q vai restar pro time quitar suas dividas? o clube tb tem q ter renda.Os jogadores vem e vão, o q fica é o flamengo e a estrutura. Muitos criticam ela pq ela não tem trazido resultados,mas ela está trazendo sim,patrocinios fortes, cobrando dos jogadores., quando que um jogador como o Álvaro sairia do flamengo por causa de indisciplina? nunca. A mamata está acabando, se neste momento as coisas não estavam dando certo em relação aos titulos, não foi por vontade,se for reparar com calma,não há garantia de que conseguiriamos os titulos mesmo com outro presidente.
Pq Zico só voltou agora na gestão de uma mulher? mesmo com TODOS os presidentes tentando traze-lo? pq ele é amigo dela??? NÃO, claro que não, é pq COM ELA, o galinho viu QUE O TRABALHO QUE ESTÁ SENDO FEITO É SÉRIO.
FLAMENGO É MUITO MAIS Q ALGUNS TITULOS PERDIDOS.SE fosse assim teriamos q ter cobrado muito mais dos outros presidentes,coisa q não aconteceu.