Balanço 2009: os números oficiais da dívida do Flamengo

Sem muito aviso, sem ninguém prestar muita atenção, com meses de atraso e enquanto todo mundo está de olho na Copa do Mundo, eis que o Flamengo divulgou o balanço de 2009. São os números oficiais de receitas e despesas do ano passado, além da situação atual da dívida do clube. Depois de ler estes números, fica ainda mais difícil acreditar que a diretoria possa investir milhões em reforços de peso para o time.


Como fiz em 2008, vou publicar por aqui uma pequena série de posts sobre alguns pontos do balanço. Neste primeiro, o foco vai ser a dívida do clube.

- A dívida total do Flamengo hoje é de R$344 milhões. No fim de 2008, era de R$333 milhões. Ou seja: houve um crescimento de 3% no ano passado.

- O passivo a descoberto do clube é de R$79 milhões. Traduzindo: se o Flamengo pudesse vender tudo o que possui apenas para pagar as dívidas, continuaria devendo R$79 milhões.

-
Desta dívida, R$193,6 milhões são de longo prazo. O valor é alto, mas esta é a parte menos preocupante da dívida, pois está toda negociada para ser paga parceladamente. A enorme maioria disso se refere aos débitos com o governo que foram incluídos no acordo da Timemania, mas também entram na conta as dívidas com Romário (R$10 milhões) e Petkovic (R$7 milhões).


* * * * * * * * * * * * *

Agora a parte mais complicada: o passivo circulante - ou seja: dívidas que devem ser pagas até o final deste ano - é de R$151 milhões, R$2 milhões a mais do que era no final de 2008.

As receitas totais do Flamengo no ano passado foram de R$120 milhões. Isso quer dizer o seguinte: se o Flamengo mantivesse este número em 2010 e usasse todo o dinheiro pra pagar estes compromissos, ainda faltariam R$30 milhões - isso sem nem começar a pagar todas as despesas deste ano.

Como se administra nesta situação? O que a diretoria faz ao longo dos anos é pegar empréstimos e pedir adiantamentos de receitas para ir jogando estas dívidas cada vez mais pra frente. É por isso que o Flamengo está preso a perder de vista no contrato de venda de ingressos com a BWA, por exemplo. E é por isso que Kléber Leite dizia que a crise mundial tinha prejudicado tanto a vida do Flamengo: com o crédito ficando escasso no mercado pra todo mundo, ficou ainda mais difícil para o clube pegar novos empréstimos na praça - ainda mais com o nível de endividamento que ele já tem.

Pra seguir sua vida normalmente, o Flamengo não precisa zerar toda a sua dívida - mas precisa encontrar uma maneira de lidar com ela. Tem que negociar com os credores, saber quanto tem que pagar da dívida no ano e colocar isso no orçamento, para não ficar sujeito a penhoras, ações na Justiça, dificuldades de crédito e outras dificuldades.

* * * * * * * * * * * * *


Mas afinal, o que é esta dívida gigantesca do Flamengo?

- R$34 milhões de impostos e contribuições sociais. Depois que parou de precisar das certidões negativas do Estado para receber da Petrobras, este tipo de dívida estourou - cresceu R$11 milhões em relação a 2008. Hoje o Flamengo deve R$19 milhões em imposto de renda na fonte sobre os salários, fora dívidas de IPTU, ISS, FGTS, PIS, INSS e outros. É isso: em 2009, o Flamengo não deu nenhuma prioridade ao pagamento de seus impostos.

R$ 26,3 milhões de "contas a pagar". Aí entram dívidas de curto prazo referentes a compras de jogadores (R$9,4 milhões); prêmios, direitos de imagem e luvas para os jogadores (R$10,5 milhões); comissões a agentes (R$1,5 milhão); e outras contas não especificadas, que chegam a R$6,5 milhões.

R$13,8 milhões de obrigações trabalhistas e sociais. Aí entram rescisões contratuais, salários, férias, 13o salário e outros. No final de 2008, a situação era pior - o clube tinha R$18,2 milhões de dívidas deste tipo.

- R$23,4 milhões de empréstimos bancários. Este número cresceu mais de R$5 milhões em relação a 2008. R$19,4 milhões são com o Banco Industrial - até 2008, a dívida com este banco era de menos de R$4 milhões). Trata-se de um banco de crédito, sem rede de agências, especializado no que eles chamam de middle market (empresas com faturamento anual de R$12 a R$100 milhões por ano). Seu controlador é Carlos Alberto Mansur, dono da Vigor - que chegou a ser especulada como possível patrocinador do time ano passado.

- R$9,5 milhões de empréstimos de outras instituições - basicamente CBF, FERJ e Clube dos Treze.

- R$ 21,5 milhões de receitas a realizar - ou seja: adiantamentos. O Flamengo pegou adiantados R$8,2 milhões dos contratos com a Olympikus (no fim de 2008, eram R$9,5 milhões, mesmo sem o contrato ainda em vigor), R$1 milhão de direitos de TV (eram R$1,4 milhões em 2008) e R$12 milhões da Ingresso Fácil, relativos à bilheteria dos jogos (em 2008, eram R$15 milhões).

- Entra ainda nesta conta R$21 milhões de provisão para contingências - ou seja: dinheiro reservado para pagar ações em andamento na Justiça. São R$4 milhões de ações trabalhistas e R$17,2 milhões de ações cíveis. Em 2008, o valor desta provisão era maior: R$36,5 milhões.

17 comentários:

Anônimo disse...

Isso é grave.
Mas tenho uma curiosidade: Quem e quanto nos devem? Ano passado, com a decisão do brasileiro, citaram que o Grêmio nos devia R$ 7 milhões do Rodrigo Mendes. Deve existir outras informações.

André Monnerat disse...

Anônimo, vou chegar lá. :)

Bosco Ferreira disse...

E porque o conselho impede a implementação de dinheiro do torcedor não aceitando o aumento do quadro de sócios?

Como pode apenas 3342 pessoas quatro clãs, decidirem sobre algo tão grndioso que pertence a 40 milhões de cidadãos?

Você mesmo sabe que grande parte desse povo não torce pelo Flamengo, herdaram ações de sogros e de parentes.

Como podemos entender que o Internacional tenha mais de cem mil sócios pagando cem reais por mês, o Ceará que não tinha nenhum em um ano e meio já possui 18 mil sócios adiplentes pagando sessenta reais por mês com direito a voto e a assistir todos os jogos oficiais como mandantes em portões especias e sem filas na maior comunidade. É só passar o cartão e a borboleta gira. Eu mesmo já presenciei antes da copa.

Ruím é o nosso caso com uma população espalhada no mundo querendo participar e não deixam.

André Monnerat disse...

Bosco, só não é verdade que o Inter tenha 100 mil sócios pagando 100 reais por mês.

O valor atual da mensalidade do plano disponível para se associar é de R$22.

Tiago Cordeiro disse...

É como eu disse: entendo os sacrifícios que estão sendo feitos agora, mas só espero que esses números melhorem ao invés de piorarem.

Acho ótimo que diminuam a folha em busca do fim das dívidas, mas desde que isso afete essas dívidas. No mínimo, a Patrícia podia ter como foco fazer a gente cair pra casa dos 200 ao invés dos 300.

Enfim, números surreais mesmo. A grande chance do Flamengo é aumentar sua arrecadação.

Tiago Cordeiro disse...

Em tempo: essa parte de dívidas com agentes, passes de jogadores e afins devia ser paga pelos dirigentes da ocasião. É um absurdo terem contratado sem terem cumprido essa obrigação.

Bosco Ferreira disse...

Menos que o Ceará Monnerat? Mas mesmo que fosse R$ 20 reais por mês, não sei o que impede o Fla arrecadar da torcida através da co participação social? Aliás, eu sei. Querem a nação longe da galinha dos ovos de ouro deles.

André Monnerat disse...

Bosco, sendo sincero, não conheço o programa do Ceará. Vou até dar uma pesquisada em algum momento pra ver como funciona. Mas o valor do Inter eu tenho certeza (e está disponível no site deles).

De qualquer forma, eu concordo que o clube tinha que ter um programa mais, digamos, democrático para atrair sócios.

André disse...

André Monnerat e Bosco Ferreira,

Apenas esclarecendo uma dúvida da aldeia de Porto Alegre, os mais de 100 mil sócios pagantes em dia do Internacional estão espalhados em várias modalidades diferentes. Os R$22,00 atuais citados pelo André não refletem a média arrecadada pelo Inter. Realmente existem planos de R$22,00, de R$30,00, R$50,00 e R$100,00 (valores médios). Alguns tem direito a ingresso outros a meia entrada e outros não tem. Outro ponto importante do programa de associação EXTREMAMENTE bem sucedido do Internacional é o direito a voto de TODOS os associados com um pelo menos 3 anos (acho que é 3, pode ser mais ou pode cser menos)de contribuição em dia. Este ponto é IMPORTANTÍSSIMO para agregar mais sócios. A eleição do Internacional é maior que a de muitos municípios brasileiros.

André Monnerat disse...

Juninho,
Sei que os R$22 não é o valor médio. É o valor pro plano que está disponível no site deles.

Eu sei, por exemplo, que existia um plano que dava acesso aos jogos de graça, sem pagar nada - e que não é mais possível se associar nesta categoria. Se mantém nela quem se associou na época.

Tinha um plano bem mais caro também que dava acesso à sede social ("Parque Gigante", não é isso?). Mas não encontrei mais essa informação no site do clube, não sei se também fecharam essa categoria pra novos sócios.

André disse...

Apenas para completar, como das inúmeras vezes que dicutimos (amigavelmente como bons rubro-negros), André, acho VITAL que para turbinar um plano de sócios dar direito aos Ingressos de TODOS os jogos do Flamengo em que ele seja o mandante E (isto eu nunca falei mas é verdade) também o direito ao VOTO nas eleições presidenciais e do CONSELHO DELIBERATIVO como fez o Internacional.

O prgrama do Grêmio não contempla esta opção do voto nas eleições e esta é uma das principais causas da diferença do número de sócios entre Inter (+-100.000) e do Grêmio(+-40.000). Entretanto o Grêmio também possui planos com INGRESSO incluído e planos com meia entrada com PREFERÊNCIA de compra antecipada.

Ambos possuem INFINITAMENTE mais sócios que o Flamengo, e este possui INFINITAMENTE mais torcida. Este paradoxo é realmente INACEITAVEL. Fora as diferenças na organização da rede de lojas, departamento de marketing, ações anti-pirataria que se quiser posso te dar mais esclarecimentos.

Um abraço,
Juninho.

Tiago Cordeiro disse...

Eu acho que dá pra ter diferentes tipos de planos. Não concordo que seja fundamental o direito ao voto no clube. Duvido que a maior parte da torcida realmente se interesse por isso.

André Monnerat disse...

Juninho, você está enganado. O plano de sócio-torcedor do Grêmio dá direito a voto sim: http://www.gremio.net/user/NewPlan.aspx?language=0&i=assoice-se

Já escrevi aqui várias vezes que atrair mais sócios deveria ser uma prioridade. E sou a favor de planos com preços bem mais democráticos dando direito a voto. Acho importante isso para o Flamengo como instituição.

Mas, como o Tiago, não creio que isso seja este chamariz todo para o grande público não.

André Monnerat disse...

Aliás, já escrevi aqui sobre o projeto de sócio-torcedor do Grêmio e do seu programa de relacionamento com a torcida, o Artilharia Tricolor: http://www.sobreflamengo.com.br/2010/05/socio-torcedor-o-exemplo-do-gremio.html

E eles têm 53 mil sócios. A mensalidade atual é de R$33.

Márcio disse...

A torcida quer ajudar financeiramente, mas o clube parece que não quer essa ajuda..a politica dentro do clube atrapalha e parece que quem está lá quer mais é ver o clube no buraco e na 2ª divisão, esse ano estou com muito medo, o time é bem fraquinho..

minha pergunta: prq o fluminense que deve mais que o flamengo, segundo o site UOL, contrata esse monte de jogador pagando uma fortuna? o clube não pode pegar a verba da unimed pra pagar dividas e só pra contratar ? flamengo tem um dos maiores patrocinios do brasil e perde até pra botafogo em disputa de contratação.
vasco acabou de chegar da 2ª divisão, deve mais que o flamengo e contrata um monte..

pra mim alguma coisa errada tem no flamengo..sem falar q o marketing do clube na minha opinião é fraco.

com a torcida que o clube tem, era pra tá nas cabeças em contratações.

LAMENTÁVEL

Bosco Ferreira disse...

Ví uma entrevista do presidente do Ceará dizendo que encontrou o clube com um pequeno quadro social cujo último sócio havia aderido a muitos anos atrás. Como os títulos já estavam todos pagos e remidos, não havia nenhuma receita oriunda de sócios.

Ele lançou o projeto sócio torcedor com a contratação de um ex ídolo do clube, Mota, que disputou a série B classificando clube para a série A, depois de muito tempo fora da elite.

Com a apresentação do ídolo, o clube conseguiu motivar a torcida e hoje conta com 18 mil sócios se contarmos apenas os que estão em dias, em menos de quinze meses do lançamento.

Há três tipos:

1) R$28 reais bronze com direito a arquibancada comum nos jogos de mandante.

2) R$38, reais prata com direito as cadeiras superiores nos jogos mandantes.

3) R$ 60 reais ouro nas cadeiras inferiores (mais conforto) e o direito a votar e ser votado.

Não há necessidade de requisitar os ingressos, é só passar o cartão magnético na catraca.

Para evitar atravessadores, nos jogos não mandante, os ingressos são vendidos em lugares especiais e fáceis de adquirir, cada sócio tem o direito a comprar o número de ingressos de acordo com o número de famíliares que foram declarados no cadastro.

Há portões especiais para a entrada dos privilegiados sócios torcedores.

O mais importante: É tornado público mensalmente na internet o balancete do programa sócio torcedor.

O que o CRF espera para lança-lo? A chegada do imperador ano passado teria sido um bom momento.

Bosco Ferreira disse...

André, é mesmo o fim da héra Felipe Melo ou teremos outras versões no futebol brasileiro para 2014?

O Airton não é bem mais técnico e mais inteligente que ele?