A alteração que melhorou o Uruguai, o fracasso de Parreira e outros palpites sobre a Copa

Desde ontem em São Paulo a trabalho, não pude me dedicar como gostaria à Copa, ao blog e ao Twitter. Não fiz a atualização com a rodada de ontem por aqui, não adiantei meus palpites e, dos jogos de hoje, só vi os gols das vitórias da Argentina e do México. Mas deu pra dar uma passadinha aqui agora pra deixar alguns comentários - e as apostas para as partidas de amanhã.



Sobre o que já passou...

- A primeira rodada no grupo A teve dois jogos de baixo nível que deixaram a impressão de que tudo poderia acontecer. Não à toa, os técnicos de três das quatro equipes mudaram seus times para a segunda rodada - menos o incompreensível Domenech. Mas o cara convoca declaradamente baseado em astrologia, então nada vindo dele deve surpreender.

Não vi o México x França de hoje, mas a alteração promovida na seleção uruguaia - recuando para o meio-campo o melhor jogador do time, Diego Forlán, fazendo-o participar mais do jogo e abrindo mão do terceiro zagueiro para colocar mais um atacante - deu muito certo. A Celeste dominou completamente o time da casa e deixou a impressão de que, se tivesse jogado com a mesma postura contra a França, poderia ter conseguido a vitória. Até porque, naquele jogo, o que mais faltou ao time foi justamente a qualidade no meio que Forlán conseguiu dar ontem.

- Parreira segue sem ter conseguido uma única vitória em Copas do Mundo por alguma das muitas seleções que dirigiu, além do Brasil. Depois do fracasso de ontem, muitos lembraram disso e começaram as piadinhas sobre o treinador. E realmente, os africanos não sacaram que o time deles é mesmo ruim e só poderia conseguir alguma coisa na base da estrela de Papai Joel. Mandaram muito mal de trocar o treinador.

Mas vejam vocês como são as coisas: pouco antes do início da Copa, Parreira chegou a dar um não ao Cruzeiro, que queria contratá-lo para o lugar de Adílson Batista. E, depois do empate na estreia contra o México, vi mais de um comentarista dizendo que "finalmente Parreira voltava a fazer um trabalho convincente".

- É curiosa a contradição do torcedor de futebol. Todos reclamavam sem parar da baixa qualidade e dos poucos gols dos primeiros jogos na África do Sul; mas, ao mesmo tempo, adoram ver um favorito se dar mal (desde que não seja o seu time, claro) e vibraram com a derrota da Espanha - mesmo sendo contra o retrancão à coreana que a Suíça armou, em que se viu até 8 jogadores dentro da própria área mesmo em lances que não eram de bola parada.

E agora, depois da zebra e com a perspectiva de mudanças inesperadas nos cruzamentos das oitavas-de-final, ainda fica a curiosa polêmica: é melhor pro Brasil enfrentar o fraquíssimo time da Suíça ou a até-outro-dia-favorita Espanha? Há quem prefira jogar contra o time melhor, "por questão de estilo". E é capaz até de estarem certos.

- Devo dizer: apostei em fracasso mesmo da França nesta Copa e devo acertar os dois classificados do Grupo A. No B, a Argentina está garantida, como todo mundo podia imaginar, e a disputa pelo segundo lugar ainda está aberta entre Coreia do Sul e Nigéria (a não ser que a Grécia apronte uma senhora zebra contra o time de Maradona). Apesar das duas derrotas iniciais, uma vitória simples dos nigerianos sobre a Coreia do Sul deve garanti-los nas oitavas. Não é nada de impossível.

- Pra registrar, as minhas apostas para os jogos de hoje: Argentina 2 x 1 Coreia do Sul; Grécia 1 x 0 Nigéria; México 2 x 0 França. Errei todos os placares, mas acertei os três vencedores e sigo bem na disputa - que vai começar a se definir mesmo quando soubermos os cruzamentos do mata-mata. Por enquanto, estou bem.


Sobre o que vem por aí amanhã...

-
Depois da convincente exibição da estreia, a Alemanha é ainda mas favorita para o jogo contra a Sérvia. Vi pouco da estreia dos sérvios; mas me parece difícil que eles marquem tão mal quanto os australianos, que colaboraram e muito com o show germânico, que teve sua bela troca de passes muito facilitada pela marcação ao mesmo tempo recuada e à distância do adversário. A Sérvia deve ser um teste mais firme pra gente ver se a Alemanha é mesmo tudo isso. Meu palpite, dado antes do início da Copa: Alemanha 2 x 1 Sérvia. E acho que posso acertar.

- Não vi nem Eslovênia, nem Estados Unidos jogando na estreia. Mas já adiantei aqui que apostei nos americanos indo longe na Copa e, pelo que li da estreia eslovena, mantenho minha aposta: Estados Unidos 2 x 0 Eslovênia.- Também não vi ainda Inglaterra e Argélia jogando. Não vou me alongar em comentários, portanto. A aposta é de Inglaterra 3 x 0 Argélia - e é bom os britânicos conseguirem algo assim, pra ficarem mais confortáveis na disputa pelo primeiro lugar do grupo (que provavelmente será decidida no saldo de gols) e fugirem do cruzamento com a Alemanha logo nas oitavas.

2 comentários:

André disse...

Estou esperando ansiosamente voltar os posts sobre o Flamengo...acho que o pavor está começando a chegar aí no Rio de Janeiro na torcida do Flamengo...já não tínhamos atacantes de qualidade, agora não temos nem quantidade. Sobrou só o Diego Maurício...Adriano se foi, Love vai ir, Mezenga tá na Polônia, Dênis Marques está desaparecido, Sóbis assinou com o Internacional daqui de Porto Alegre...cara...o futuro é NEGRO!!!

Estamos trazendo o Renato Abreu já com certa idade, o Pet está idoso e agora bixado do tornozelo, a diretoria está fazendo de tudo para o Maldonado sair, O Bruno já não dá mais...a situação é de calamidade...não sei esse ano...tô com medo mesmo...

Bosco Ferreira disse...

Gostaria de saber a sua opinião sobre esse poste:É um poste que deveria ser publicado em todo blog da Nação.
http://www.butecodoflamengo.com/2010/06/o-processo-judicial-da-taca-das.html