Botafogo, Botafogo, campeão. E agora?

Prometi que falaria ainda do Botafogo, campeão com méritos deste Estadual. Pois bem.

"Com méritos", claro. Ganhou os dois turnos. Concentrou-se nos momentos mais necessários, em um torneio que se decide pra valer em muito poucos jogos. E teve um técnico que entendeu as limitações do time e o armou do jeito que dava. Isso vocês já leram por aí.

Não foi tanto o caso do jogo de domingo. Desta vez, não foram tantas as bolas levantadas para a área do adversário; no duro, o Flamengo abusou mais do jogo aéreo do que o Botafogo. O time também não jogou tão recuado quanto em outras partidas; com Túlio Souza (que eu vi como um bom lateral no Coritiba, mas até hoje não convenceu no Botafogo) e Renato no meio, adiantou um tantinho sua marcação. E assim conseguiu manter o Flamengo um tanto mais afastado de sua defesa do que andou acontecendo em outros clássicos. Na frente, Herrera foi sempre uma preocupação, correndo como o verdadeiro loco da dupla.

É bom dizer ainda que funcionou como funcionou graças a uma entrega comovente de seus jogadores, que desde o início do jogo corriam, marcavam, se jogavam - e vibravam, comemorando cada dividida, cada carrinho, cada chutão. O Botafogo entendeu que era uma final, que era O jogo do clube na temporada.

É isso: ao contrário do que significava para o Flamengo, este foi o jogo mais importante do Botafogo em 2010. A não ser que, no Brasileiro, surja alguma decisão de vaga na série B. Hipótese que não é tão remota assim.


* * * * * * * * * * * * *


É bom lembrar que o Botafogo foi eliminado da Copa do Brasil pelo Santa Cruz, que acabou de ser derrotado em sua casa, com mais de 30 mil pessoas no estádio, pelo Atlético-GO. E que em todos os clássicos anteriores, apesar dos resultados não terem sido ruins em sua maioria, foi amplamente dominado pelos adversários. Não dá nem pra falar em "defesa bem armada para tentar vencer nos contra-ataques"; o que se viu na maioria das vezes foi Flamengo, Vasco e Fluminense perdendo gols em sequência na frente de Jefferson, sem que o Botafogo conseguisse sair da defesa. O comentário que eu mais ouvia dos torcedores dos adversários do alvinegro, depois de verem seus times enfrentando os comandados de Joel, era: "eles não conseguem trocar dois passes, é ridículo!".

Não foi assim nesta final. Mas o time, motivado pela chance de ser campeão, jogou em seu limite - o que não vai acontecer ao longo das 38 rodadas de um campeonato de pontos corridos. Durante quase todo o campeonato, o Botafogo jogou futebol de rebaixável. E mesmo no domingo, quando teve uma atuação festejada até com certa razão, passou o jogo inteiro sem criar uma única jogada de perigo real para Bruno, que não me lembro de ter feito sequer uma defesa em toda a partida.

Com o que tem lá, a entrada de Renato no lugar de Lúcio Flávio e um bom aproveitamento de Túlio Souza e Edno pode até melhorar um tanto a situação, tornando o time mais capaz de colocar a bola no chão. Mas, pra ter uma garantia maior de não passar um perrengue sério no Brasileiro, deveriam ir atrás de reforços.

O título carioca não precisa fazer mal - pelo contrário, pode fazer bem, pela visibilidade que dá ao time. Mas é bom que a diretoria não se engane com ele e ache que já tem um bom time. Doeu ouvir o presidente Maurício Assumpção dizendo que agora sonha com a Libertadores e que "com este time vai até a Lua".


* * * * * * * * * * * * *

Nem Joel Santana deve ter este otimismo todo com o time atual do Botafogo. Antes, já se ouvia que ele condicionava sua permanência a aumento de salário e reforços para o elenco. E agora, já há o papo de que ele é o plano B da diretoria do Fluminense, caso Muricy não vá para as Laranjeiras.

O que seria um mico momumental dos dirigentes tricolores. Não que a própria demissão de Cuca, por si só, já não tenha sido esquisitaça. Por mais que o time tenha tropeçado nos clássicos, o Fluminense mostrou um bom futebol na maior parte do tempo. Seu maior defeito foi perder gols em demasia, o que causou as derrotas para Flamengo, Vasco (na semifinal da Taça GB - não parece ter sido o caso na Taça Rio) e Botafogo. Acreditava mesmo que o Fluminense poderia fazer uma campanha bastante boa no Brasileiro. Mas agora, ao que tudo indica, será contratado um novo treinador com um estilo totalmente diferente do de Cuca. E aí, sabe lá no que isso vai dar.

6 comentários:

Felipe Thiroux disse...

Concordo que ser eliminado pelo Santa é um baita mico mas dizer que o time de Recife foi goleado pelo Atlético-GO também é um exagero... o placar foi de 2x1. Isso não é goleada...

Rui Moura disse...

Os costumeiros comentários frouxos e despeitados de flamenguistas que não sabem perder. Enfim...

Saudações Gloriosas!

Freire disse...

Ótima análise. O mais doloroso de tudo isso é ver o Flamengo do jeito que está. Imagine o time atual sério, organizado, aplicado, dando seu máximo em jogos importantes e com Adriano em forma e concentrado. Não seria uma máquina, teria defeitos, mas dava pra fazer a gente acreditar em algo mais.

André Monnerat disse...

Francês, não sei de onde tirei a goleada. Corrigi lá.

Rui, meu caro - não acho que seja despeito. Mas beleza, esperemos mais um tempo pra ver se eu estou tão errado assim.

Valeu pela visita!

Pedro disse...

O Botafogo é, de fato, um time medíocre, e jogou como tal no domingo. Não dá pra dizer que eles não fizeram chuveirinho: qualquer falta no meio-campo, e era bola pra área.
Ganhou porque o Flamengo deu dois penaltis ridículos pra eles. Além do quê, a classificação nas duas semifinais de turno foi esquisita: na TG, aquele jogo da 'desexpulsão' contra o Flamengo; na TR, o gol em impedimento clamoroso do Herrera.
Portanto, o 'com méritos' merece ser matizado.

Marcos Monnerat disse...

Eu acho que naquele jogo da taça Rio o Flamengo faria quantos pênaltis fossem necessários para o Botafogo vencer. Nunca vi jogador gostar tanto de agarrar adversários dentro da área...

O time do Botafogo venceu merecidamente. Como disse o Joel, em três jogos contra o Fla venceu dois e empatou um. E jogando com aquela raça que jogaram, fica difícil de ganhar de qualquer time que seja.

Agora, vamos colocar as coisas em perspectiva. O time do Bota é fraco e se não se reforçar vai penar no Brasileiro sim.