A vida mais fácil do mundo*

* Texto para a coluna semanal no FlamengoNet

Bom, pra começar, este link: Adriano não aparece na Gávea e está fora do jogo.

Vou dizer que a cada vez que leio algo assim, percebo o quanto deve ser difícil o trabalho de Gilmar Rinaldi. Como diabos ele vai convencer seu cliente a voltar para a rotina puxada que lhe colocou em depressão e largar a vida boa que leva hoje no Rio de Janeiro?

Vamos pular a parte da discussão em que alguém pergunta "você preferia o Obina?", ou a que se comenta pela enésima vez que "se não fosse assim ele estava na Itália". Todos concordamos que Adriano é bem melhor que Obina, todos sabemos que as regalias fazem parte do pacote contratado.

Mas o que realmente me impressiona é como é difícil Adriano realmente se motivar com alguma coisa. A primeira convocação para a Seleção, ano passado, foi capaz de fazê-lo treinar, se esforçar para entrar em forma, se animar com a ideia de ir para mais uma Copa. E aquele gászinho ali foi em boa parte responsável pela arrancada rumo ao Hexa. Mas, depois disso, Adriano não ligou muito para a reta final do Brasileiro, prestes a conquistar o título que sua torcida aguardava havia 17 anos; também não parece estar lá muito empolgado este ano, com a aproximação do prazo final para Dunga definir seu grupo (e olha que até o Grafite mostrou mais serviço do que ele na Seleção neste último jogo...). O cara vai ao trabalho quando quer, quando não quer não vai, e é isso aí. E o Flamengo, enquanto isso, age o tempo todo como se o Imperador realmente estivesse apenas fazendo um favor ao clube estando por aqui. Não dá pra assustar o bicho, claro; qualquer movimento em falso pode fazê-lo bater as asas e voar pra longe. Não é isso?

Daqui a alguns dias o Flamengo viaja para a Venezuela, onde jogará pela Libertadores, e imagino que Adriano não vá treinar até o embarque - como não treina pra valer desde o jogo contra a Universidad Catolica (teve lá os seus 45 minutos insossos em campo contra a Irlanda, beleza). Mas foi assim que o Flamengo foi campeão brasileiro, então tá tudo certo.

5 comentários:

Anônimo disse...

O critério "jogar bem" não é exatamente o que vale na seleção. O Adriano não jogou nada em todas as vezes que entrou com o Dunga.

Porém, ainda acho que a tal vaga dele na seleção do Dunga está a perigo.

[Cara, parabéns pelo blog. Eu acho que é único ler alguém analisar o Flamengo da forma que vc faz: com conhecimento e equilíbrio, mesmo sendo flamenguista]

Marco

Roberto de Moraes/RJ disse...

E agora sai a notícia que nem pra Venezuela ele vai. O negócio só melhora...

Bosco Ferreira disse...

Não é só o Imperador que está devendo não.

A diretoria (Brás e Paty) não estão nem aí para o nosso dinheiro.

Se estivessem já teriam feito o sócio torcedor.

Quanto ao Imperador logo que passe a copa do mundo ele vai se cansar de novo e tirar férias.

O melhor seria começar a planejar o seu substituto independentemente dele sair.

Se podemos pagá-lo podemos segurar o Love e contratar novamente o Zé Roberto ou outro no nível.

André Amaral disse...

Escrevemos sobre o Adriano ao mesmo tempo que acontenceu essa história absurda...rss

Inacreditável...surreal

Cris Marassi disse...

Adriano recebu o "título" de Imperador. Para imperadores não há regras, nem cobranças, só mordomias... Imperadores só saem dessa vida qdo morrem ou sao depostos. Adoro o Adriano, confesso! Mas está na hora do nosso time e da própria torcida decidirem ter um último imperador pra dar lugar a jogadores, cuja mençao de seu nome apenas, sem necessidade de apelidos que o exaltem, já o chamem à grande responsabilidade que é jogar usando o manto sagrado...