O tamanho do preju

Como escrevi no texto anterior, abrir o Maracanã para jogos com o público que o Maracanã teve ontem é rasgar dinheiro. Flamengo x Madureira teve renda de R$67.560,00 e despesas de R$105.824,24 - a maior delas com a taxa cobrada pela Suderj, de mais de R$45 mil. Somando nisso aí o custo do antidoping, pago pelo Flamengo, e eis o tamanho do preju rubro-negro: R$41.382,24.

Prejuízo nos jogos desta Taça Rio não é exclusividade do Flamengo, claro. No mesmo Maracanã, o Fluminense atraiu um pouco mais de gente para ver seu jogo contra o Friburguense e saiu com saldo negativo de R$24 mil. Mas não é só o Mário Filho que abriga jogos deficitários; o Vasco perdeu R$27 mil jogando em São Januário contra o Volta Redonda e R$19 mil no Engenhão contra o Bangu (a equipe de Moça Bonita, mandante e perdedora do jogo, ficou com a fatia maior do prejuízo: R$24 mil). O Botafogo, que ainda não jogou em casa neste turno, ainda conseguiu o fantástico lucro de R$3.800 em Campos, contra o Americano.

Pensem nos salários pagos hoje a Carlos Alberto, Adriano, Vagner Love, Fred, Kléberson, Conca e El Loco Abreu e respondam: está ou não na hora de repensar o formato dos Estaduais?

6 comentários:

lucasgf disse...

Quem anida comparar os públicos dos estaduais deste ano com do ano passado? Piorou muito mesmo ou foi proporcional ao aumento dos preços dos ingressos?

Num tem jeito, se está refém dos horários da TV, tem que pensar em alternativas de atrativos, na venda principalmente.

AF STURT disse...

Acho que tem que tomar diversas medidas.O formato do campeonato carioca é até bom,porém é muito contraditório o poder dos pequenos em relação aos dos grandes e ainda os grandes também,mesmo com jogadores bons,não está fazendo nenhuma boa apresentação.

Roberto de Moraes/RJ disse...

Estadual com 16 clubes é puro devaneio. Aquele número de 12 clubes que tínhamos até uns 3 anos atrás estava mais do que suficiente. Poucos jogos, estadual acelerado e realmente emocionante pois os pequenos realmente possuíam alguma chance. Agora com mais 120 jogadores dispostos em clubes pequenos esfacelou de vez a força deles e a vontade de jogar dos grandes. Ontem no Macara foi sofrível - pagantes haviam uns 2000 mas na amarela na minha frente eu só vi turistas (gringos e brasileiros - até torcedor do Sport tinha!), flamengos mesmo eram raros gatos pingados como eu. Tá foda de aturar (e olha que eu até gosto de estadual).

Bosco Ferreira disse...

Amigo AF STURT, como pode ser bom um formato de campeonato onde se joga varias partidas deficitárias que nem o Sportv quer transmitir?

De interessante mesmo tivemos o Fla X Flu e a semifinal com o Botinha? Se tivéssemos vencido jogaríamos uma terceira partida com o Vasco.
Mas só se tivéssemos vencido a semi final.

Estamos pagando para jogar. O melhor formato de campeonato estadual hoje é o lá de Pernambuco.

Enxutinho, apenas DEZ clubes, o sistema é o de pontos corridos com ida e volta classificando os quatro primeiros para um mata-mata com ida e volta.

A final com dois jogos, e o clube de maior número de pontos na primeira fase leva a vantagem do empate na final.

O mais engraçado é que o modelo do carioca já provou que é o mais deficitário do país mas não se adimite repensá-lo.

André Monnerat disse...

Bosco, acho que o Carioca está longe de ser o mais deficitário do país. O de São Paulo, por exemplo, é muito, mas muito pior, e eles invejam o nosso formato. E eu, por exemplo, não gostaria dessa fórmula do Pernambucano - seriam nada menos que 18 rodadas antes de chegar ao primeiro mata-mata.

Eu sou a favor de uma reformulação no calendário que mudaria totalmente a concepção dos estaduais. Já escrevi disso por aqui.

Mas hoje, dentro da lógica atual do calendário, o grande problema do formato do Carioca é o número de clubes. Enquanto era com apenas 12 clubes, estava até razoável.

Fora a fórmula, tem mais coisas pra rever. Há alguns fatores bem óbvios prejudicando o público - especialmente horários dos jogos e preços dos ingressos.

AF STURT disse...

Bosco é o que o André falou.

A formula do nosso campeonato é boa,se joga turno e depois há semifinais que na mairia das vezes tão classicos com casa cheia.
Depois vem returno ,mas não com repetição do turno,que eu acho legal,com o mesmo esquema para as semi.
Esse formato é muito bom,imagina se tivessamos 20 clubes disputando o carioca em turno com g-4 igual ao paulista?
O caso de pernanbuco eu não conheço, porem pelo que andre comentou, parece não ser bom também.
Agora o pior que eu conheço é o mineiro.12 times,tirando o galo e zero os outros é do mesmo nivel do que os do interior do rio para pior e clasificam 8,depois do turno...Isso é ridiculo!

Creio que no Rio os problemas estão muito relacionados a falta de investimento das instituições inclusive no interior.E claro a também outros como ingressos caros,jogos tarde,muitos times e etc...

saudações rubro-negras!