Estadual 2010 - Taça Guanabara - 4a. rodada - Flamengo 3 x 2 Americano

Daria pra fazer uma porção de análises sobre esta vitória de hoje do Flamengo sobre o Americano, na primeira vez em que um time mais próximo do que se imagina o titular entrou em campo na temporada. Mas a verdade é que pra cada uma delas, há que se dar algum desconto. Jogo de campeonato estadual, contra time pequeno, em início de temporada, tem dessas coisas.

Por exemplo: dá pra dizer que o Flamengo jogou mal, muito mal. No primeiro tempo, todas as chances de gol - inclusive as duas que entraram - foram entregues, muito entregues, pelo Americano. O lance que Vagner Love preferiu cruzar em vez de chutar saiu de uma trombada de cabeça constrangedora entre dois zagueiros campistas. O pênalti que deu no primeiro gol foi cometido de maneira grotesca e desnecessária. No segundo gol, saído de um escanteio, a zaga comportou-se de maneira realmente infantil. E, tirando estes três lances, não houve mais nada. Foi um jogo ruim de doer.

Mas aí vem o desconto a ser dado: é início de temporada, certo? Ninguém na melhor forma, o time ainda tentando se encaixar, ok - há que se ter alguma paciência.

No segundo tempo, o time chegou a ser pressionado pelo Americano - que, atrás no placar, procurou sair mais pro jogo, trocou muitos passes no seu campo de ataque e, vejam só, chegou a fazer dois gols.

O desconto: não só é início de temporada, como ainda houve a expulsão esquisitaça de Léo Moura, ainda na primeira metade da etapa.

E não dá pra não falar do terceiro gol, numa tabela que cruzou metade do campo entre Adriano e Vágner Love - jogada que vai ser muito repetida nos programas esportivos por aí, pra falar sobre o potencial da dupla.

Os descontos: foi a única jogada que os dois conseguiram combinar durante todo o jogo. E, além disso, o time do Americano é ruim demais, o pior que vi jogar até agora em 2010 (e é bom dizer: foi goleado de 5 pelo Olaria...). O jeito como marcaram a jogada foi de chorar - parecia lance de pelada de churrasco.

Isso tudo não quer dizer que não dê pra tirar nada da partida. Minha impressão é que, embora muito esteja se falando sobre a mudança de esquema do time para este ano, Andrade acabou armando a equipe de modo até bem parecido com o que fazia ano passado.  Kléberson, por exemplo, está jogando bem aberto pela direita, numa função bem parecida com a que Willians cumpria em 2009. Só que, em vez de ter Zé Roberto pela esquerda, aberto e voltando pro meio, agora há Vagner Love, centroavante, centralizado e avançado. E isso, fora o nível das atuações do principal armador do time, pode fazer bastante diferença se a estrutura for mesmo mantida assim.

O problema é que, jogando desta forma, o meio-campo fica dependente demais de Petkovic. Se ele não estiver bem, as opções de criação no setor ficam inexistentes - e hoje o sérvio mal foi visto em campo. Léo Moura, pela direita, ainda tem a companhia de Kléberson para criar algo - pela esquerda, Juan ficou bem mais sozinho. E Adriano e Vagner Love realmente se esforçam para jogar juntos e mostrar que podem ter um bom entrosamento, mas insistem demais nas jogadas pelo meio. Seria de se esperar que Love fizesse o papel de cair mais pelas pontas e ajudar a abrir a defesa adversária, mas não é como ele está se posicionando.

Isto é: dados todos os descontos - ainda é cedo para qualquer veredito definitivo sobre o que quer que seja, para qualquer euforia ou depressão -, há muito trabalho a fazer. No papel, os jogadores são bons e o potencial é interessante. Mas é preciso ver se a coisa vai se encaixar em algum momento na prática.



27/01/2010 - 19h30 - Flamengo 3 x 2 Americano
Maracanã, Rio de Janeiro

Árbitro: William de Souza Nery (RJ)
Auxiliares: Hilton Moutinho (RJ) e Luiz Felipe Scofield (RJ)
Cartões amarelos: Léo Moura (Flamengo); Oliosa, Zambi, Leandro Leite e Jader (Americano)
Cartão vermelho: Léo Moura (12'/2ºT)

Gols: Adriano (Pênalti, 40'/1ºT), Fernando (49'/1ºT), Diego Sales (35'/2ºT), Vagner Love (36'/2ºT) e Itacaré (46'/2ºT)

Flamengo: Bruno, Léo Moura, Ronaldo Angelim, Álvaro e Juan; Toró, Fernando, Kleberson (Lenon, 48'/2ºT) e Petkovic (Fierro, 14'/2ºT); Vagner Love Adriano. Técnico: Andrade.

Americano: Wender, Oliosa (Dudé, 28'/2ºT), Elson, Leandro Dias e Cirilo (Rafinha, 20'/2ºT); Leandro Leite, Edinho, Jader e Diego Sales, Itacaré e Zambi (Patrício, intervalo). Técnico: Heron Ferreira.

6 comentários:

Igor disse...

Concordo com vc, o jogo foi horrível. E o terceiro gol do Fla foi tosco. Pelada de churrasco, como vc disse.
Mas, contra esses times pequenos no começo de temporada, o importante sao os 3 pontos mesmo. Quero ver agora é no Fla-Flu!

Eidler disse...

As vezes até acho bom o Flamengo fazer apresentações pífias como estas para a imprensa não começar a babar em cima e jogar um oba-oba para dentro do clube. Gosto de ver os outros times como favoritos e depois o Mengão vai lá e mostra no futebol. Mas este ano não tem como esconder que no papel, o elenco do Flamengo ainda é um dos melhores do Brasil, mesmo tendo perdido algumas peças chaves do hexa.

Não estou sendo pé frio, mas mesmo se vier resultado ruim domingo, não vou ficar abalado, pois sei que os tricoletas vão se empolgar, mas no final, o Mengão, sempre no sapato, ganha tudo.

Marcos Monnerat disse...

O Fla x Flu de domingo é um jogo absolutamente sem nenhuma importância. O resultado não fará nenhuma diferença com relação à classificação de um ou de outro para a semifinal da Taça Guanabara já que os times pequenos esse ano estão bizonhos e não fazem nenhuma frente aos grandes despreparados física e técnicamente.

Portanto, que se dane o Fla x Flu de domingo.

Arthur Costa disse...

Acho q foi vc msm q falou isso ano passado... o Toró sempre fica quase na linha dos zagueiros. O q da um espaço enorme na intermediária do FLA. O Maldonado se posicionava de um jeito q não ficava este espaço... além do Airton por alí tbm.

Flora disse...

vc vai fazer um post sobre o patrocinio, e a repercusão de como a marca foi colocada no mento?

Queria saber sua opinião.

Acho que tem gente exagerando um pouco, dizando que nao vai comprar nada da batavo e inclusive gente querendo que ela va embora logo, apesar de ser o nosso maior patrocinio na historia.

enfim, achei muito grande a imagem da pastora (sei o que é aquilo) brega e feia demais. nem foi o azul que me incomodou pq já esta assim a anos.

mais nada pra tamanha revolta.

SRN

André Monnerat disse...

Flora, meu post anterior até foi sobre o patrocínio.

Como escrevi: acho que ficou muito grande. Preferia que o clube tivesse normas mais rígidas sobre o tamanho e as cores aplicadas nos patrocínios de uniforme. Acho que eles podiam tranquilamente ter usado a marca horizontal deles também na frente - ficaria melhor pra todo mundo.

Porém, já teve coisa muito pior por aí. Como escrevi, aquele BR verde e amarelo no peito, que era uma segunda marca na frente da camisa, me incomodava mais do que esse aí.

E resolver boicotar a patrocinadora do clube, depois que ela assinou o seu maior contrato de patrocínio da história, não me parece atitude lá muito inteligente não. Se alguém é culpado nisso aí, não é a empresa, é o clube. Acho que vale se manifestar sobre o assunto - mas com a diretoria do Flamengo, e não com a Batavo, que não colocou arma na cabeça de ninguém pra poder estampar sua marca na camisa.