O debate de ontem - e quem vocês acham o melhor candidato?

E ontem aconteceu o último debate da campanha para a presidência do Flamengo. Todos os candidatos foram convidados, o que fez com que Patrícia Amorim participasse pela primeira vez; Delair, no entanto, de última hora avisou que teria que ir a Brasília e faltou. Ficou mesmo cheirando a retirada estratégica - não quis se expor num momento em que só deve estar pensando em capitalizar a boa fase do time e o possível hexa. O que atrapalhou um tanto o programa em sua função de ajudar aqueles que podem votar a escolherem o melhor candidato.

Com um formato engessado, típico dos debates eleitorais tradicionais por aqui - "o senhor tem 1 minuto para a resposta", "o senhor tem 30 segundos para a tréplica..." -, na maior parte do tempo não foi possível que os candidatos se aprofundassem muito em suas respostas. Algumas das perguntas mais interessantes e incisivas vieram dos jornalistas convidados - mas é pena que não tenha havido espaço para que eles pudessem comentar as respostas dos candidatos, ou mesmo perguntar novamente em cima delas. Mas a verdade é que é mesmo difícil organizar um programa mais interessante com seis candidatos, ainda mais sabendo que qualquer um ali estaria louco pra se aproveitar de qualquer margem pra falar mais que os outros.

E não sei mesmo que peso a conversa toda de ontem pode ter na decisão daqueles gatos pingados que irão resolver, na segunda-feira, quem vai cuidar nos próximos anos de um clube com tantos milhões de torcedores. Aliás, lamento muito que, em toda a campanha, o tema de como atrair mais rubro-negros para participarem da vida do clube, frequentando ou não a Gávea, tenha sido tão mal explorado - quando, pra mim, deveria ser uma das grandes prioridades.


* * * * * * * * * * * * * *


Vocês podem ler sobre o debate e ver vídeos nas matérias do Globoesporte.com:

- Aqui, uma geral sobre o que se falou no debate
- Vídeo de Clóvis Sahione
- Vídeo de Lysias Itapicuru
- Vídeo de Patrícia Amorim
- Vídeo de Pedro Ferrer
- Vídeo de Plínio Serpa Pinto

E você pode ver também o que eu e muitos outros twittaram durante o programa usando a tag #DebateFlamengo.


* * * * * * * * * * * * * *


De modo geral, todos foram unânimes em apoiar a continuidade de Andrade no ano que vem e a manutenção da base do time deste ano. Também falaram bastante que o sucesso da equipe em campo não deve ser capitalizado por A, B ou C - recado claro para Delair; Plínio ainda aproveitou para defender sua própria participação na montagem deste time. E todos, claro, falaram em resgate da credibilidade, choque de ordem, respeito ao orçamento etc. e tal. Muitas vezes apareceram também promessas sobre novos investidores que já estariam acertados para chegarem em 1/1 - mas que, ao que parece, só tomarão coragem de bater na Gávea se o candidato X vencer.

Alguns comentários sobre a participação de cada um:

Clóvis Sahione - que chamou a atenção por se exaltar em diversos momentos - falou muito sobre o que seria a base de sua plataforma para revitalizar a Gávea e atrair novos sócios: levar o CT dos profissionais para a Gávea, para atrair para lá a torcida e assim dar nova vida à sede. Eu nem sou contra a proposta não, mas ela não representa novidade nenhuma - afinal, o time treinou na Gávea todos estes anos e só passou a frequentar o Ninho do Urubu mais assiduamente no meio de 2009. Ou seja: a presença dos jogadores por lá não foi, por todo este tempo, o catalisador que ele pretenderia. Sahione defendeu ainda a volta da Petrobras - que ele diz que aconteceria por suas relações com o atual Ministro de Energia - e disse ter no bolso os apoios de Bradesco e Carrefour para bancar esportes olímpicos, também por ter bom relacionamento com gente destas empresas. É um caminho personalista que não me soa muito bem. Na verdade, sua postura vai quase sempre um tanto na contra-mão da modernidade profissional que tantos esperam ver chegando ao Flamengo.

Mas ele tem bons momentos ao falar da maneira de lidar com a dívida - da necessidade de ter advogados competentes para brigar sobre as questionáveis, algo de que ele tem moral mesmo pra falar, e de sentar imediatamente para negociar com os credores de débitos já reconhecidos. O nome de um ex-diretor do Bradesco, peça-chave de sua chapa, parece realmente bom para o trabalho. Só é meio forçado o bordão "Lula, devolve o dinheiro do Flamengo" que usa para defender que o Estado deva perdoar toda a dívida rubro-negra com os cofres públicos.


* * * * * * * * * * * * * *


Lysias Itapicuru, o mais desconhecido do grande público, falou sempre com clareza e desenvoltura. Foi objetivo, por exemplo, ao responder sobre a transformação do clube em empresa - que ele é contra, além de não ver como única alternativa para o profissionalismo no clube. Falou também da vontade de ter um estádio na Gávea, mesmo sem descartar o Maracanã; sobre a votação do orçamento do clube para o ano que vem, que aconteceria ontem mesmo em cima de uma proposta que não previa nenhum percentual para pagamento de dívidas; e sobre a simpatia que tem pelo projeto já existente no clube para um CT, orçado em 25 milhões - para economizar, ele usaria a mansão que o clube tem em São Conrado para hospedagem do time, tirando-o do hotel 5 estrelas que hoje usa, enquanto as novas instalações não estivessem prontas.

De modo geral, não houve tempo para grandes aprofundamentos em suas propostas, mas saiu-se bem no espaço que teve. Foi curiosa apenas a incrível troca de elogios entre ele e Sahione, que se repetiu algumas vezes ao longo do programa.


* * * * * * * * * * * * * *



Patrícia Amorim, como quase todos, defende a reorganização administrativa do clube, o respeito ao orçamento, a busca por "dinheiro novo", o investimento em estrutura - linhas gerais bastante coerentes com o que o Flamengo realmente precisa. Mas foi (o que tem até desculpa pelas limitações de tempo) bastante genérica em suas respostas, gaguejou bastante e escapou pela tangente de alguns assuntos - como, por exemplo, a situação difícil que o basquete e a ginástica olímpica enfrentavam quando ela estava à frente dos esportes olímpicos. Se recusou, como outros, a revelar quem será o homem forte do futebol na sua gestão - um entrevistador mais esperto poderia, naquele momento, ter perguntado ao menos qual seria o perfil ideal desta pessoa, e a resposta já daria para tirar muita coisa. O que ouvi de melhor em sua participação foi a promessa de que terá um ex-presidente do Banco Pactual participando da gestão para lidar com a dívida do clube.


* * * * * * * * * * * * * *


Pedro Ferrer agradeceu bastante pelo espaço que ganhou no debate, pois sentiu-se excluído da campanha pela maioria dos veículos - e reclamou até de não ter sido incluído nas pesquisas de opinião. E, em seu discurso, bateu bastante na tecla da ética e da independência, ressaltando que vem do único grupo com pessoas que não participaram antes da gestão do clube; falou ainda que não montou a chapa prometendo cargos e que falta a muitos na Gávea pensarem antes no Flamengo do que em si próprios. Em alguns momentos, por estes pontos, não teve medo de bater de frente com Clóvis Sahione e Plínio Serpa Pinto.

Mostrou um certo romantismo ao defender a camisa do time de futebol sem qualquer patrocínio e a necessidade de uma só empresa para bancar todos os outros esportes, para manter a pureza do Manto (embora a sua defesa do patrocínio único também tivesse argumentos interessantes sobre a maneira como, hoje, a negociação do futebol acaba travando os outros esportes). E falou ainda que, por conta da situação financeira atual, é impossível gerir o clube sem um grande investidor - e, segundo ele, conta com um já engatilhado para entrar em janeiro de 2010. Será? Fica subentendido que, se o tal investidor não vier ou não for aprovado pelos conselhos do clube, sua gestão ficaria inviável.


* * * * * * * * * * * * * *


Plínio Serpa Pinto
, de todos, foi o que teve a postura mais agressiva com os que considera seus mais fortes oponentes - Delair, que estava ausente, e Patrícia. Fala sempre duro sobre os defeitos atuais do clube e questionou Patrícia sobre sua atuação nos esportes olímpicos, seus apoios e sobre como dividiria seu tempo entre o Flamengo e a Câmara dos Vereadores - até o apoio velado a Patrícia Amorim de Renato Maurício Prado em suas colunas veio à tona. Ao mesmo tempo, teve que responder sobre os altos gastos de sua própria campanha, que conta até com inserções na Rede Globo.

Mas na hora de falar de suas ideias para o futuro do Flamengo, que se baseiam no profissionalismo e no choque de gestão, ele conseguiu ser sempre claro e objetivo, até acima da média da fala dos demais. O curioso é ver o contraste entre o discurso pra frente e a atuação pra trás; questionado sobre o que aprendeu com os erros de sua participação durante a primeira gestão Kléber Leite, lembrou da vinda de Romário e disse que hoje nunca trocaria a construção de um CT (que ele promete para os primeiros 6 meses de mandato) pela contratação de um jogador, fosse ele quem fosse. Em seguida, começou a defender a sua participação e de Kléber na montagem do atual time, listando justamente as contratações feitas - e me deixou pensando se a soma do que se gastou pra trazer Marcelinho Paraíba, Fierro, Sambueza e Josiel, por exemplo, não daria nos 6 milhões que ele diz serem necessários para a construção da primeira fase do centro de treinamento.



* * * * * * * * * * * * * *

Pra quem assistiu ao debate: foi útil? Quem se saiu melhor?

Ainda não vou abrir meu voto fictício - sou sócio, mas ainda não poderei votar desta vez. E devo dizer que não é uma escolha fácil, mesmo.

Mas, por curiosidade de ver como anda a opinião de quem passa por aqui, estou abrindo uma pesquisa: em quem vocês votariam? Respondam aí à enquete da barra lateral - vou deixar a votação aberta até meio-dia de sexta-feira. E, por favor, não avacalhem tentando votar mais de uma vez, ok? Ninguém ganharia nada com isso.

11 comentários:

marcelo disse...

Patrícia Amorim não precisa provar mais nada. Ela nasceu nas águas das piscinas do Clube - local de treino que ela via da janela do seu quarto! Conquistou o mundo nadando e sempre com a bandeira Rubronegra no coração! Fez carreira política ilibada, pessoa fenomenal, esposa dedicada e mãe presente. Ela é uma vencedora e aprendeu isso com o Flamengo, por isso ela quer devolver toda essa glória e tudo que aprendeu na VIDA ao Rubronegro e aos seus associados! PATRÍCIA É A LEGÍTIMA RUBRONEGRA!
conte conosco!
abr
Marcelo Rizzo

Marcio Candido disse...

Patricia Amorim sem duvida.

Anônimo disse...

Para mim esse romantismo de 'ama o clube,nasceu no clube' é balela.Todos os candidatos querem o bem do Flamengo,a questão é quem vai gerir com mais responsabilidade e competência o clube.Quem ama de mais e pensa de menos não faz um trabalho bem sucedido.

Por isso não votaria na Patricia,em nenhum momento ela apresentou propostas objetivas em sua campanha.Além disso,precisamos de um presidente que dedique 100% do seu tempo de trabalho ao Flamengo.

Apesar de achar as propostas do Plínio muito boas,ainda me incomoda MUITO essa defesa que ele faz a gestão de Kleber Leite,a pior que o clube já teve.

O candidato que mais me agrada é o Lysias.Me parece ser o mais comprometido com a aproximação do torcedor com o clube(foi o único que respondeu os e-mails que mandei para alguns candidatos),além de boas propostas para gestão.

O Delair também me agrada por ter feito um bom trabalho nesse ano e pelo apoio que ele tem do Areias.Mas ainda assim,meu voto hoje seria no Lysias.

abs,Vicente

AF STURT disse...

Também dexei um enquete la no meu blog ,depois passa e deixa seu voto.
Eu votaria em pedrinho caso vc eleitor...

Bosco Ferreira disse...

Felizmente tenho o bom senso de achar que uma pessoa que pensa como o Kleber Leite não pode ser presidente do FLA.

Fico indeciso entre o Delair por causa do bom apoio do Areias e a Patricia.

Bruno Santana disse...

Não acho nenhum candidato lá essas coisas, não entendo esse apoio a Patricia, mas se eu fosse sócio é bem provável que eu votasse no Delair, só o fato de ele não estar fazendo bobagens já é uma grande coisa fora que ele tem o apoio do unico candidato que realmente era bom, o Areias. E me parece que o Lisias é um bom candidato, parece diferente dos demais, mas não vai ganhar agora, quem sabe na próxima...agora, com certeza o Plinio é o pior candidato de longe

Flávio disse...

Em silêncio, o Delair pagou o futebol em dia resolvendo um problema crônico no Flamengo e, coincidência ou não, podemos ser campeões no domingo depois de 17 anos.
Além disso, demonstrou nesses poucos meses que vai pagar as dívidas e não fazer novas. Isso tudo sem deixar de pensar num Flamengo vencedor.
Se ganharmos domingo, é obrigação votar no Delair.

helbertigrao disse...

Espero que o presidente esteja altura do flamengo parciro.
Não conheço Patricia, mas mulher tem um jeito forte de adiministrar e quem sabe nao fara historia no flamengo como presidente.

Marcos André Lessa disse...

Com todos os defeitos do Delair, ainda acho q é o candidato menos ruim. Mesmo se Pet não jogasse o q jogou, fazer qq coisa pra diminuir as dívidas do clube vale a pena. E ele não vai ter a desculpa de botar a culpa na gestão do anterior. As cobranças poderão ser mais objetivas: diminuiu a dívida ou não? Patricia Amorim não tem a menor pinta que vai dar conta de administrar um clube como o Fla. E Plínio é o mais cínico de todos: afundou o clube ao lado de Kleber Leite e critica decisões nas quais ele estava envolvido há alguns meses. E que negócio é esse do credor só perdoar uma dívida se o Plínio for eleito??? Isso depõe contra o próprio credor. E se o Plinio morrer? Não dá pra levar a sério uma negociação dessas. A dívida é com o clube, não com uma pessoa. Ou será que...?

Diogo disse...

Apesar de não votar... Fiquei surpreso sempre que escutei ou li sobre o Lysias. Me parece bem intencionado e talvez o candidato com mais postura profissional. Porém, o Areias me parecia o melhor candidato. Como declarou apoio ao Delair... Talvez seja uma boa.

Marcus disse...

Patrícia Amorim,èla tem os votos de todos Rubro negro.É uma pessoa vencedora.pelo esporte (incentivadora)campeonissima, defedendo as cores do Brasil e do FLAMENGO,na Politíca o resultado mostrou com a sua reeleição.Patrícia é presente,Vitórias,atitude,raça respeito é um icone para todos nos Rubro Negro
abr Marcus Dias