Brasileiro 2009 - 23a. rodada - Atlético-PR 0 x 0 Flamengo

Um empate contra o Atlético Paranaense, na Arena da Baixada, não pode ser considerado de todo um mau resultado - o São Paulo, por exemplo, foi derrotado por lá, sem falar no tétrico retrospecto que o Flamengo tem em Curitiba. Mas este jogo tem que servir como mais uma lição para Andrade, pois muitos dos problemas que o time teve, especialmente no ataque, eram fáceis de se prever ao ler a escalação que ele decidiu mandar a campo.

No primeiro tempo, com um bom bloqueio no meio e a marcação adiantada, o Flamengo conseguiu manter a bola no ataque e o Atlético longe de seu gol a maior parte do tempo. Porém, como era previsível, Willians não funcionou como um segundo meia armador; o time dependia só de Petkovic pra criar e, também de forma previsível, Antônio Lopes preparou um bom esquema para marcá-lo - e o gringo, sem essa mobilidade toda, não conseguiu escapar. O time, então, errava passes demais quando chegava perto da área adversária e Dênis Marques e Zé Roberto - que voltou ao seu normal, ou seja, esteve muito mal - não entraram no jogo. Apesar do aparente domínio, a única grande chance de gol do time surgiu numa ultrapassagem de Aírton, que veio de trás e foi travado na hora da conclusão. E Bruno fez a única defesa difícil do jogo - em um lance que, é verdade, surgiu de uma falta não marcada em cima de Álvaro em um contra-ataque paranaense.

No segundo tempo - de novo: de maneira previsível - o time, que contava com Pet e um Maldonado sem jogar há meses no meio-campo, não conseguiu manter o ritmo. O Atlético passou a ter mais a bola e a rondar a área do Flamengo. A situação piorou depois que Willians foi expulso, num lance totalmente besta, e Andrade foi infeliz nas substituições que fez: montou um time com apenas três volantes no meio-campo (com a entrada de Lennon no lugar de Petkovic) e dois centro-avantes no ataque (com Bruno Mezenga no lugar de Zé Roberto). Não tinha como dar certo e o máximo que dava pra esperar, dali pra frente, seria mesmo um empate. Que até veio sem muito susto, porque o Atlético se mostrou mesmo durante todo o tempo um time sem imaginação nenhuma na frente - não é à toa que é o segundo pior ataque do campeonato. A verdade é que foi um jogo de baixo nível, um festival de passes errados, em que os goleiros passaram os 90 minutos praticamente sem trabalhar.


* * * * * * * * * * * * *

Para a próxima partida, Andrade deve contar com as voltas de Fierro e Adriano, o que pode ajudar a melhorar o desempenho ofensivo do time. Sem Willians, mesmo tendo Aírton e Maldonado para escalar, o time até perde algo na marcação - hoje, embora tenha funcionado pouco com a bola no pé e tenha arrumado uma expulsão bastante idiota, ele voltou a se destacar nas roubadas de bola. Mas diminui-se muito o risco do treinador voltar a lotar o meio-campo de volantes como fez hoje, torcendo para Petkovic continuar resolvendo sozinho. E ter Adriano no lugar do Zé Roberto costumeiro que vimos hoje sempre vai ser um belo upgrade.

Lá atrás, o time até portou-se bem. Álvaro teve boa atuação, e Angelim também voltou a jogar bem. Com os laterais se alternando no apoio e dois bons volantes ali à frente, a defesa parece estar razoavelmente bem resolvida.

6/9/2009 - 16h - Atlético-PR 0 x 0 Flamengo
Arena da Baixada - Curitiba, PR
Renda e público: R$ 350.000,00/18.116 pagantes

Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Fifa-RS)
Auxiliares: Autemir Haussman (Fifa-RS) e Emerson Augusto de Carvalho (SP)
Cartões amarelos: Aírton, Willians e Everton (FLA)
Cartão vermelho: Willians, 20'/2ºT (FLA)

Atlético-PR: Galatto, Manoel, Nei e Chico; Wesley, Rafael Miranda (Raúl, 25'/2ºT), Valencia, Paulo Baier e Márcio Azevedo; Marcinho (Wallyson, intervalo) e Alex Mineiro - Técnico: Antônio Lopes.

Flamengo: Bruno, Léo Moura, Álvaro, Angelim e Everton; Aírton, Maldonado, Willians e Petkovic (Lenon, 22'/2ºT); Zé Roberto (Bruno Mezenga, 33'/2ºT) e Denis Marques (David, 45'/2ºT) - Técnico: Andrade.

7 comentários:

Tiago Cordeiro disse...

Concordo na maior parte com vc...

Flávio disse...

Prezado André: voltando ao nosso debate, repito: está claro que detesto o Zeroberto, mas não é improvisação ele como atacante?
Então, qual o mal em improvisar outro jogador, talvez o David, por exemplo. Qualquer um.
Se é para mantê-lo em campo, então que seja na sua posição: meio-campo. Seria um tentativa aceitável ao lado do Pet com a justificativa de não termos alternativa.
Escalar o Willians, um cabeça de área muito bom, como meia direita é um crime. Nem o Cuca arriscava uma heresia dessas.
Mas vou responder sua pergunta: quem escalar no lugar do 0berto? Eu teria escalado o Jorbison! Isso mesmo. Devolveria o Éverton ao meio com o Pet num 4,3,2,1. Um atacante isolado é péssimo, mas o Pet isolado é pior ainda.

Tiago Cordeiro disse...

Opa, saiu cortado...Vamos lá:

Concordo em quase tudo com vc. Só achei que no primeiro tempo tomamos pressão na metade do tempo, não considerei uma boa atuação não especialmente porque o time até tocava e chegava, mas não criou nada.

A entrada do Pet só serviu para ele se desgastar em um campo pesado. Se era pra segurar o jogo assim melhor usá-lo só um tempo.

Pra não dizer que tudo foi uma droga, a defesa parece estar realmente segura. Foram raros os lances em que alguém subia nas costas deles.

Agora, se o time joga no 4-4-2 sem um ponta que participe do jogo ou um criador efetivo, complica. O Zé Roberto voltou a ficar mal hj melhorando um pouquinho quando o Pet saiu. E eu acho que o Dênis Marques sai e entra o Adriano. Aposto que o ZR segue no time.

O Andrade tinha opções pra mudar o time ofensivamente apesar do Fierro ser um desfalque tático relevante dava pra ter tentado outra formação que fizesse a bola chegar no ataque.

E me pergunto oq o Erick Flores fez de tão grave...Até o Maxi tem lugar no ataque.

Tiago Cordeiro disse...

Flávio, se não me engano, o André sugeriu exatamente essa formação na semana passada. E pra mim era a melhor mesmo.

André Amaral disse...

Monnerat

Acho que ficou claro que o Andrade está com um pensamento diferente da torcida: ele que primeiro tirar todos os riscos do rebaixamento, e depois tentar alguma coisa além, coiso que não acredito.

Ele quer acumular pontos, e esse empate deve ter sido comemorado por ele.

oPerna disse...

não gostei nem um pouco do jogo,
muito apático e sem uma emoção convincente.

o Fla jogou mau, o furacãosinho menos ainda, wilians é muito bom em MMA, Muai Thay e lutas de chão mas não acerta um passe de meio metro, o lugar do cachaça não é no ataque, no máximo um meio campo mais ofensivo, Emerson faz falta e Adriano tem estrela, resolve do nada, mas é sempre uma caixinha de suspresas e não vem jogando o que realmente sabe.

Wilians tem que ser cabeça de Área mesmo e o Álvaro tirou tudo ontem.

e tenho dito.

SRN

Marcos Monnerat disse...

Foi o jogo mais chato da história. Em 90 minutos o Flamengo conseguiu fazer apenas uma jogada de ataque! Uma só! E com o Aírton!!!

Isso é muito bizarro. É qualquer coisa, menos futebol...