Copa Sul-Americana 2009 - 1a. fase - Jogo de volta - Flamengo 1 x 1 Fluminense

Andrade começou o jogo surpreendendo, ao menos a mim, na formação tática do time. Colocou Lennon para fazer marcação individual em cima de Conca, o único armador do Fluminense; e, para não deixar a entrada da área desprotegida, usou Aírton como volante, saindo do esquema de três zagueiros. Desta forma, o Flamengo tinha dois volantes, Willians um tanto mais adiantado - onde não funciona muito bem - e Petkovic completando um quarteto no meio-campo. Assim, conseguiu congestionar o meio e manter o adversário quase sempre longe de sua área.

Para isso funcionar, Fierro jogou mesmo como um lateral, e não como um ala - e, novamente, saiu-se bem na marcação, embora tenha sido discretíssimo (até por orientação de Andrade, captada à beira do campo) no apoio. Haveria um caminho óbvio para o Fluminense atacar: as costas de Éverton, pelo outro lado do campo. Mas Renato não enxergou isso e o tricolor mal avançou por ali durante todo o jogo.

E foi justamente em combinações de ataque por aquele lado, com Éverton, Pet e Dênis Marques, que o Flamengo começou ameaçando o Fluminense. Numa dessas jogadas, Diguinho fez, dentro da área, uma falta com o braço em cima de Petkovic igualzinha a outras duas ou três que cometeu ao longo do primeiro tempo, em outras partes do campo. Mas só as longe do gol foram marcadas, sem grande surpresa de ninguém.

Esses bons avanços do Flamengo por ali duraram, na verdade, os 15 minutos iniciais, talvez. Depois disso, o jogo ficou de intermediária a intermediária, com muitos erros de passe de lado a lado, o Flamengo pouca coisa melhor. Porém, no último lance do primeiro tempo, David saiu mal na marcação em cima de Kieza, foi batido e Ronaldo Angelim, atabalhoado na cobertura (provavelmente seu único erro no jogo), fez o pênalti que deixou o Fluminense em vantagem, talvez em sua primeira jogada de perigo desde o apito inicial.

Precisando virar o jogo, o Flamengo voltou do intervalo conseguindo manter mais a bola no seu ataque, mas sem finalizar. O gol de empate, num raro chute de fora da área em que Dênis Marques deu sorte pelo desvio em um adversário, coincidiu mais ou menos com o momento em que Petkovic, previsivelmente, morria de vez. Após este gol, quando apenas mais um resolveria a parada, o time já não conseguia mais pressionar o Fluminense. Andrade lançou Camacho, mas o garoto não conseguiu organizar o time. Daí para o fim, o Flamengo se lançou para o ataque de qualquer jeito, o que resultou em alguns lances de perigo - mas sem nunca concluir em gol - e muitos contra-ataques do Fluminense, que causaram duas expulsões. E assim, por força do regulamento, o Flamengo acabou mesmo, após dois empates em campo neutro, ficando sem a sua "salvação da temporada".

* * * * * * * * * * * * * *

Éverton, além de não conseguir marcar como lateral, precisa treinar muito, mas muito cruzamento se quiser jogar na posição, ou mesmo de ala - é bom lembrar que ele tem atuado este tempo todo improvisado, longe de sua função original. Na base da correria, disposição e até alguma habilidade, ele consegue chegar com frequência do lado da área adversária. Mas isso não adianta nada se, na hora H, ele erra sempre na hora do passe que vai definir a jogada.

* * * * * * * * * * * * * *

Alguém aí se surpreendeu ao ver Émerson saindo, sentindo novamente sua contusão, ainda no primeiro tempo? Como falei: não vale agora reclamar de azar.

Valeu a pena?

27/8/2009 - 21h50 - Flamengo 1 x 1 Fluminense
Maracanã - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$ 133.228,00/10.539 pagantes

Árbitro: Carlos Chandía (CHI)
Assistentes: Lorenzo Acuña (CHI) e Cristian Julio (CHI)
Cartões amarelos: Willians, Aírton e David (FLA); João Paulo e Luiz Alberto (FLU)
Cartões vermelhos: David, 37'/2ºT (FLA); Fierro, 46'/2ºT (FLA)

Gols: Roni, 47'/1ºT (0-1) , Dênis Marques, 15'/2ºT (1-1)

Flamengo: Bruno, David, Aírton e Ronaldo Angelim; Fierro, Willians, Lenon, Pekovic (Camacho, 28'/2ºT) e Everton; Emerson (Zé Roberto, 25'/1ºT) e Denis Marques - Técnico: Andrade.

Fluminense: Rafael, Ruy, Cássio, Luiz Alberto e João Paulo; Fabinho, Diogo, Diguinho (Marquinho, 34'/2ºT) e Conca (Maicon, 40'/2ºT); Roni e Kieza - Técnico: Renato Gaúcho.

6 comentários:

Ed disse...

Acompanhar o Flamengo tem sido um tiro no pé!
Deus queira que o ano se salve sem o rebaixamento...
Não consigo entender! Ou os caras que mandam (ou deveriam mandar) no Flamengo não são flamenguistas como eu que sofre com esse time RIDÍCULO que é mais do que capenga, ou eu não sei dizer...
É impossível que um flamenguista se contente ao ver a P@#$%!$@$orra da escalação dessa merda.
O time é sem alma. Sem caráter, sem padrão nenhum de jogo, uma confusão total. O jogo de hoje parecia um 2o. tempo de um casados e solteiros de fim de ano de uma empresa qualquer.

O pior é que eu me irrito tanto, sofro tanto (pros caras, como o Zé Roberto não conseguirem acertar um passe de, sei lá, TRES METROS), sei que é um negócio passional, irracional e queria muito, mas muito mesmo desistir do Flamengo...

Infelizmente, não consigo! Gostaria muito de não poder ver o time das cores que tanto amo, que todos amam odiar caindo para segundona (o que, convenhamos, é um futuro que, a continuar como está, NÃO PODEREMOS EVITAR).

Abs e saudações sofridas....

Gabriel disse...

Acho que essa maré de azar está deixando nosso mengão completamente sem reação, o tempo todo os principais jogadores do fla estão sofrendo com contusões e suspenções, assim não tem time que consiga fazer sequencia de bons jogos, mesmo o flamengo estando desfalcado, eu gostei do jogo, acho q o juizinho ajudou mt na eliminação do mengão nessa copa sul-americana. Mas que ta dificil de assistir os jogos está!

É uma pena ver o mengão jogando como tem jogado! Muitas vezes agnt joga melhor, mas dá azar e quem não faz leva!

Saudações!!!

Marcos Monnerat disse...

Eu acho que perder jogadores por suspensão não pode ser considerado azar. É incompetência e deslealdade dos nossos atletas mesmo.

Sobre as contusões, pode até ser azar, mas acho mesmo que é incompetência da equipe de preparação física.

Colocar o Emerson em campo tava na cara que ia dar merda mesmo.

Agora, não dá pra aguentar jogador profissional errar tanto passe como erram esses do Flamengo. É muita falta de treino, na moral!

Folha disse...

Azar?!

O amor é, definitivamente, cego!!!

Menos uma coisa pra eu me preocupar esse ano...

Anônimo disse...

Kd o "imperador" que não faz nada?!
Pow aí fica difícil msm!!!

Marcelo Constantino disse...

Acho que essa eliminação tem um significado muito além do que estão dando. O Flamengo teve dois jogos pra vencer o pior time do Brasileirão. Não venceu. Pior: num deles, o tal pior time entrou com reservas que nitidamente não estavam sequer interessados em vencer. E o Flamengo não venceu.

Ou seja, o Flamengo tem hoje um futebol inferior ao pior time do campeonato.

Quanto a jogar bem: eu realmente não me lembro de uma partida em que o time tenha efetivamente jogado bem este ano. Acho que a última vez que isso aconteceu foi na goleada contra o Palmeiras, no ano passado.

O time está desmatelado, desfalcado, etc.? Está. É preciso treinar, organizar, blablabla.

Quem joga com Williams, Airton e David *sempre* terá alguém suspenso, temos de nos acostumar a isso.

Talvez um dos retratos da situação atual do time seja o Pet: de contratação para resolver problemas de caixa do time e para efeitar o banco, o veterano tornou-se desfalque do time.

Ou Denis Marques, que vem evoluindo. Se antes era peça nula, agora já um atacante muito ruim.

Um ataque de Denis Marques e ZeRo é iniminável. E pensar que os salários dos dois deve pagar meio time do Avaí ou do Barueri.