O time de hoje


Cuca surpreendeu muita gente escalando o garoto Marlon como zagueiro para o jogo de hoje. Mas é uma escalação que até faz sentido. Se ele queria manter o esquema de três zagueiros, sem Wellinton e Fabrício, não haveria outra solução - a não ser que resolvesse improvisar dois volantes, Aírton e Willians, na zaga e colocar um garoto como Lennon de volante. A simples entrada de Marlon parece mesmo mais simples.

Nunca vi Marlon jogar na vida - pode ser que o cara seja bom, vai saber. Mas as referências não são as melhores possíveis. Esteve emprestado ao Ipatinga no ano passado, onde disputou o Campeonato Mineiro - o time foi rebaixado e seu contrato, rescindido. De lá foi para o Thrasivoulos, da Grécia. Foi titular em 16 dos 30 jogos da equipe no campeonato grego. O time foi o último colocado, com a pior defesa da competição.

Não é animador.


* * * * * * * * * * * * * *

Outra novidade é a entrada de Jorbison como titular, pela primeira vez na carreira. Sem Juan, e sem poder improvisar Éverton, Cuca simplesmente coloca em campo o único lateral esquerdo que tem. Vá lá, se o cara está no elenco, deve ser pra jogar em algum momento.

Mas não acho uma boa. Vi Jorbison jogar pouco, apenas dois jogos, pela Taça São Paulo de Juniores. Não pareceu ruim, tecnicamente falando, mas nada de impressionante. O que chamava a atenção mesmo era o seu físico. Até entre os garotos, Jorbison parecia fraquinho demais.

Sinceramente, não acho que ele esteja pronto, com o corpo que tem, pra atuar entre os profissionais. Ainda mais tendo uma função importante na marcação.

Fosse eu o técnico, nem Marlon nem Jorbison entrariam em campo hoje. Eu optaria por dois zagueiros - Aírton e Angelim. E usaria Éverton Silva improvisado na lateral esquerda, como já chegou a atuar este ano.


* * * * * * * * * * * * * *

Mais uma surpresa foi a não escalação de Camacho, já que o próprio treinador havia anunciado em entrevista após o jogo contra o Botafogo que o garoto jogaria. Normal mudar de opinião; sem necessidade anunciar algo para a imprensa de que não se tem tanta certeza assim. Imagino a decepção do rapaz ao ver que ficaria de fora, depois de ter dado n entrevistas falando da expectativa para o jogo, comparações com Íbson etc. e tal.

Também vi Camacho jogar na Taça São Paulo de Juniores, e este já me animou mais que Jorbison. Tem um tanto mais de corpo e, embora não parecesse nenhum craque, tinha características interessantes como meia. Talvez sua escalação pudesse preencher melhor o meio-campo do Flamengo; como comentei aqui depois da última partida, todos os que têm entrado na vaga de Íbson estão com o cacoete de se colocarem sempre abertos, o que deixa Kléberson sem companhia e acaba com qualquer opção de jogada do Flamengo pelo meio. Camacho não parece ter essa característica de abrir sempre, até pela própria maneira com que entrou contra o Botafogo.

Mas para aqueles que depositam muita esperança no cara, mesmo sem conhecê-lo direito, é melhor ter calma. É bom lembrar que Camacho esteve emprestado no ano passado ao Paraná Clube, junto com Fabrício - esse aí que tem entrado em campo nos últimos jogos, sem convencer. E enquanto o zagueiro tornou-se titular e destaque do time por lá, Camacho não conseguiu espaço. Isso na série B. Ou seja: não dá pra colocar tanta fé que ele agora já esteja pronto pra entrar tranquilo e resolver o problema do Flamengo.

Mas pra hoje, com todos os desfalques (recapitulando: Wellinton, Fabrício, Toró, Éverton, Juan e Zé Roberto), talvez fosse interessante vê-lo em campo.


* * * * * * * * * * * * * *

A opção de Cuca foi dar a Fierro mais uma chance de começar jogando (eu até escalaria os dois juntos). Pra funcionar, dentro dessa escalação que o treinador escolheu, seria bom que o chileno se colocasse mesmo como meia - na verdade, ele até fez isso contra o São Paulo e durante parte do tempo em que esteve em campo contra o Botafogo (no fim, ele já tinha virado ponta direita). Mas também que, além disso, participasse mais e melhor do jogo. Arriscasse mais as jogadas, em vez de apenas os toques pro lado em que insistiu no Maracanã enquanto esteve no meio; e, em arriscando, acertasse mais os passes, com menos erros bobos como os do Morumbi. Por enquanto, ele não foi muito além de medíocre enquanto esteve em campo, o que é pouco para um jogador que terá a responsabilidade de ser o armador do time. O que sempre pode ser posto um tanto na conta da falta de sequência, de entrosamento, e do pouco tempo que passou jogando.

Mas hoje já será mais uma oportunidade de começar jogando. É hora de mostrar um pouco mais de serviço. Ele veio do Chile, por exemplo, com a fama de chutar bem de fora da área. Seria bom se ele mostrasse um pouquinho disso aí, a partir de hoje.

7 comentários:

Eduardo Matheus disse...

Hoje o Flamengo com o time que for tem que começar pressionando e buscando o gol logo no início para dar tranquilidade principalmente aos garotos. Tenho visto que quanto mais o time demora para fazer gol, mais nervoso fica, ai acaba relaxando e dá um vacilo. Hoje precisa ser diferente para a torcida jogar junto, senão já viu né...

Paulo Sales disse...

Caro André,
Encontrei seu blog por acaso na internet, e em pouco tempo virei seguidor. Gosto das suas análises criteriosas, embasadas e, o principal, serenas, sem aquele travo de paixão dos torcedores fanáticos. É bem melhor do que ler os blogs de colunistas da grande imprensa, como Alex Escobar, André Rizek, Juca Kfoury, entre outros, muitas vezes repletos de superficialidade e desinformação. E com uma vantagem: você só fala do Mengão, o que é sempre bom.
Grande abraço e continue escrevendo.

Tiago Cordeiro disse...

Realmente, o Camacho tem um estilo mais interessante de organizador de jogo e não de meia-atacante que é o mais comum. O Cuca usava o Lúcio Flávio nessa função e é bem difícil encontrar jogadores ofensivos assim.

Ele e o Kleberson poderiam fazer uma boa dupla embora eu ache que precisaríamos de um meia-esquerda mais incisivo e que chegasse ao ataque mais ou menos como o Zé Roberto no Bota ou como se supôs que o Fierro seja.

E até agora o Fierro ainda não justificou a predileção da torcida por ele.

Tiago Cordeiro disse...

Ah sim e o Jorbinson realmente pode ser jogador para 2010, 2011, mas para 2009 é loucura. Espero que ali pelos lados ele tenha mais espaço pra fazer uso da sua habilidade e que os desfalques do Barueri impeçam que eles atuem muito ali.

Carlos Vinicius - BM/RJ disse...

Monnerat,

tenho medo dessa escalação hoje, desses garotos.

Mas pode ser que ocorra uma boa surpresa, que eles entrem com muita disposição, pra mostrar serviço.

Vamos torcer. Mas precisamos de reforços. Talvez fosse a hora de fazer realmente uma reformulação, mandando embora (e fazendo dinheiro com) a base do time dos últimos três anos e montando outra espinha dorsal, baseada em outro goleiro, um bom zagueiro a ser contratado e mais Willians, Airton, Sheik e Adriano. Com essa turma dá pra investir no título da Sul-Americana e tentar vaga na Liberta. E aí, já sendo otimista, quem sabe brigar lá em cima...

Saudações Rubro-Negras.

Carlos Vinicius - BM/RJ disse...

Traduzindo o que disse com "base dos últimos três anos": o trio Bruno/Léo Moura/Juan.

Carlos Vinicius - BM/RJ disse...

O Cordeiro citou o Fierro aí. Concordo com ele. E também não entendo a predileção da torcida pelo jogador. Nunca vi nada demais no cara.