Há dinheiro para reforços?

Janela de meio de ano chegando, especulações múltiplas sobre transações em vários times. O Brasileiro já tem um quarto de caminho andado e já começa a dar pra ter uma ideia de onde cada time pode chegar. E muitos, por isso, começam a projetar que tipo de reforço seu time precisa.

No caso do Flamengo, em um mundo ideal (sem falar naqueles que eu gostaria mesmo que fossem embora, mesmo sendo hoje titulares absolutos - já falei disso aqui), me parece que o elenco precisaria pelo menos de um grande zagueiro. Há hoje, também, carência de um volante ao menos para compor elenco. E, ainda mais depois da saída de Íbson, não são poucos os que desejariam um bom meia de criação. Não vou nem falar em reposição para possíveis novas perdas do elenco, já que ainda não se sabe quais serão.

Mas há dinheiro pra isso?


* * * * * * * * * * * * * * *


Em 2008, pelo balanço do clube, a folha salarial foi de perto de 71 milhões no ano. As despesas operacionais ficaram em R$125 milhões anuais, enquanto as receitas foram de apenas R$81 milhões. O déficit grande foi coberto por um lucro de mais de dez milhões nas transferências de atletas (graças principalmente à venda de Renato Augusto) e por adiantamentos e empréstimos bancários diversos, que aumentaram esse tipo de dívida em mais de 30 milhões. Ou seja: as contas já não fechavam no ano passado, nem de perto. Pra sobrar algum dinheiro agora, o Flamengo precisaria estar gastando pra este ano muito menos do que em 2008 e ganhando muito mais.

Houve uma aparente redução de gastos em compras e empréstimos de reforços - mas também uma enorme redução de receita com vendas de jogadores, o que está dando num grande desfalque no orçamento em relação a 2008. Com patrocínio de camisa, a receita este ano também é bem menor, pelo tempo todo que se passou com a camisa limpa. A compensação para os dois pode estar na entrada da Olympikus, com um contrato muito maior do que o da Nike - mas não só boa parte do pagamento não é em dinheiro, mas em material, como o Flamengo já havia adiantado 10 milhões da grana no ano passado. Nas outras grandes fontes de receita do clube - bilheteria e TV -, não dá pra dizer que esteja havendo um crescimento relevante.

Ou seja: com tudo isso, o máximo que dá pra dizer, com muito boa vontade, é que o clube está ficando na mesma em relação ao ano passado. No duro, pode estar até pior em seu fluxo de caixa, pelas dívidas que não param de ser cobradas (como as dos clubes europeus que já estão até batendo na FIFA pra receber por transferências longínquas como a compra de Souza), pelo tempo todo sem pingar dinheiro de patrocínio e pela dificuldade crescente em conseguir novos empréstimos e adiantamentos, graças à conhecida falta de crédito na praça. Daí todo o esforço em renegociações de dívidas ancestrais, como a que deu na polêmica contratação de Petkovic.

Ou seja: pra estar sobrando dinheiro agora, teriam que ter reduzido em muito a folha salarial do futebol - que é mesmo a principal despesa operacional do Flamengo.

Houve esta redução? Não é tão simples de responder.


* * * * * * * * * * * * * * *


Em 2009, já foram embora Tardelli, Sambueza, Vandinho, Marcelinho Paraíba, Jônatas, Íbson, Josiel, Fábio Luciano, Obina. Estou esquecendo de alguém? Em uma observação rápida, diríamos que a folha salarial deve ter tido uma baixa realmente grande.

Porém, analisando melhor, vamos perceber que muitos destes que deixaram o Flamengo este ano ficaram no clube por poucos meses no ano passado. Josiel, por exemplo - o Flamengo deve ter gasto mais em salários com ele em 2009 do que em 2008, considerando o tempo que ficou recebendo seus salários em cada ano. Fierro e Éverton, da mesma forma, chegaram no ano passado depois da metade do ano, e permanecem no clube em 2009 por toda a temporada - ou seja, está se gastando mais com eles este ano do que no ano passado.

É complicado falar nos salários de jogadores específicos; os números que são divulgados na imprensa me parecem todos muita especulação e pouco fato. Mas, pra brincar pra este texto, fiz uma conta rápida envolvendo os possíveis salários de quem entrou e saiu do ano passado pra cá, pesando o número de meses que passaram no clube em 2008 e 2009. Entram na conta, além dos nomes já citados que foram embora este ano, outros que saíram no meio do ano passado (como Souza, Marcinho e Renato Augusto, que receberam algo ano passado e não estão recebendo este ano) e os que chegaram (como Adriano, Zé Roberto, Emerson, Denis Marques - não incluí o Pet, porque no caso dele tem tanto o salário quanto a dívida que parou de ser paga e o peso financeiro disso é complicado de pesar). O resultado? O Flamengo teria aumentado sua folha anual em uma besteira de 50 mil reais.

É uma aproximação grosseira, baseada em números especulados, claro. Mas deu pra ver que não houve uma enorme economia que esteja permitindo reforços de peso para este Brasileiro - a não ser que mais gente esteja pra ir embora, de preferência em boas vendas.

Lembrando: no ano passado, o Flamengo já foi a segunda maior folha salarial do Brasil, pouquinho abaixo do São Paulo, muito acima de Inter, Palmeiras e demais.

5 comentários:

Tiago Cordeiro disse...

Boa análise, Monnerat!

Eu acho que a folha tem que baixar. Depois de tantos erros em 2008 e de um começo tão ruim acho que esse ano deveria servir para planejarmos melhor 2010 e começarmos tão fortes quanto 2008, quando parecia que poderíamos vencer a Libertadores.

Eu tomaria as decisões difíceis agora, tentaria pegar os jogadores que podem assinar em pré-contrato agora e já iria vendo quais juniores podem ser preparados para 2010.

Pode ser pessimismo, mas esse ano não aspiro nada além de libertadores. Vou ficar muito surpreso se algo diferente ocorrer.

André Monnerat disse...

A grande questão pra esse tipo de raciocínio, Tiago, ainda que se chegasse à conclusão de que o melhor negócio seria deixar 2009 um pouco de lado, é o fator eleição.

Como é que essa galera que está lá pode agir mais de olho no ano que vem, ainda preocupada em se garantir até lá?

Bruno disse...

Na verdade, a ultima vez que tivemos dinheiro para reforço foi em 2000 com dinheiro da ISL!
O Flamengo contrata pq é necessario e não pq tem dinheiro!
Eu vejo como necessario a vinda de reforços, o que se pode fazer diferente é como eles chegam:
ou vindo de algum investidor que queira comprar algum jogador jovem valioso sul americano, ou do proprio mercado interno.
Não faltam (ou faltavam) opções de jogadores que não estavam sendo aproveitados pelos seus clubes que poderiam fazer parte do nosso elenco (sorondo, molina, jonas, etc...)
Seriam jogadores " baratos " que poderiam reforçar e ao mesmo tempo impedir gastos exorbitantes.
O certo é que pela condição financeira que o Flamengo sempre se encontrou, não permite jogadores com "altos salarios" no banco de reserva(ou fora deles), ou seja, hoje não se pode contratar o molina para o ze roberto ficar no banco ou jonas para que nem no banco fique o maxi!

Obs.; Pode juntar aquele pessoal que saiu: o dininho, leonardo, luizinho, egidio, jailton e outros de menores salarios

reinaldo segano disse...

Faltou uma coisa na análise: além de tudo o que foi escrito, há outro ponto que rege os negóciso no Flamengo, o quanto a galera vai embolsar. Quanto maior a transação, quanto maior o salário, mais a turma vai colocar no bolso. O Flamengo que se dane, interessa é fazer o pé de meia da vida inteira o quanto antes.

Tiago Cordeiro disse...

André, só pra constar: eu entendo o que você diz. E é assim mesmo.

Quando eu digo isso é falando o que considero o ideal. Melhor do que ter um 2009 e 2010 corrido e no afã de conseguir alguma coisa sem se planejar era começar 2010 antes e tentar gerenciar 2009 do jeito q está.