Estadual 2009 - Final - 2o. jogo - Flamengo 2 x 2 Botafogo (4x2 nos pênaltis) - Flamengo tricampeão carioca 2007/2008/2009

Vamos ser sinceros: o título de ontem era praticamente obrigatório para o Flamengo. Com um adversário mais modesto, desfalcado de seus principais jogadores, era claro para todos quem tinha a maior responsabilidade de vencer. O resultado final foi mesmo o que se esperava - mas não sem uma dose de sofrimento enorme, que ninguém poderia imaginar depois de ver o primeiro tempo terminar com uma bela vantagem rubro-negra. Mas dizem que com sofrimento fica mais gostoso, não é? Enfim: tricampeão!

O Botafogo, desde o início, deixava clara não só sua pobreza técnica, com uma sequência infinita de passes e matadas de bola erradas, como também que tinha consciência dessa inferioridade. Sem seus dois melhores homens de frente, colocou-se na defesa, deixou Victor Simões sozinho na frente e preocupou-se apenas em marcar forte. E a verdade é que, no primeiro tempo, o Flamengo não soube como sair desta marcação adversária. Com Leonardo Moura e Juan mal, Íbson e Kléberson apagados, a saída de bola parecia depender exclusivamente de Ronaldo Angelim - pouco, muito pouco. Na frente, Erick Flores, a surpresa de Cuca, não funcionou em nada como atacante; e Emerson, jogando de centro-avante, pouco pegou na bola, apenas de costas para a defesa adversária, sem conseguir criar nada.

E vejam vocês que, mesmo sem conseguir furar o bloqueio adversário, mesmo sem conseguir criar uma única boa jogada de ataque em todo o primeiro tempo, o Flamengo foi para o intervalo com 2x0 a seu favor no placar - graças a uma cabeçada tão inteligente e precisa quanto improvável de Kléberson e um outro chute de longe do meia, que desviou num adversário pra morrer no ângulo de Renan. Parecia um presente dos deuses do futebol, aquelas coisas que já estão escritas, sabe como é? 

Todo mundo na arquibancada, nas duas torcidas, acreditava que o tri já estava encaminhado e viria tranquilo. O problema é que o time do Flamengo voltou para o segundo tempo achando a mesma coisa. Já o Botafogo trocou um zagueiro por um atacante e foi pra cima. Na base da raça, passou a dominar o jogo, enquanto os rubro-negros pareciam dormir em campo. Logo nos primeiros minutos, houve o pênalti (que eu não daria - mas em seguida aconteceu outro, não marcado, que eu já achei que aconteceu) desperdiçado por Victor Simões. Mesmo assim, o Botafogo, ao contrário do que eu imaginaria, não desanimou. Cuca percebeu a pressão e colocou Obina para que o time tivesse dois atacantes em campo - mas só isso não adiantou, e Obina foi visto até marcando na lateral esquerda. Os espaços para o contra-ataque que mataria o jogo eram óbvios, mas o Flamengo rifava a bola e não conseguia encaixar a jogada fatal (tirando uma boa oportunidade com Émerson, que chegou a dividir a bola com o goleiro adversário na intermediária). E o Botafogo acabou chegando ao empate.

A torcida do Flamengo, incrédula, assistia à festa dos botafoguenses do outro lado das arquibancadas enquanto, no campo, o seu time parecia não acreditar no que acontecia. Por um tempo, o que se via era os jogadores do Flamengo se escondendo do jogo, ninguém querendo aparecer para receber a bola. Deu pra temer pelo pior.

Mas, com o tempo, o ímpeto do Botafogo diminuiu. Íbson cresceu no jogo, Léo Moura também apareceu mais e Emerson, finalmente podendo atuar como segundo atacante, era o melhor em campo (embora Cuca o tenha substituído um tempo depois por Josiel - provavelmente por ter se arrependido pela escolha por Obina mais cedo, depois de vê-lo desastradamente tentar um gol de duplo twist carpado, o popular 'Dos Santos', dentro da área do Botafogo). O Flamengo ia pra cima, a torcida comprou a história e empurrou o time, que finalmente dava pinta de que poderia construir seu gol. E foi a hora em que o Botafogo voltou a demonstrar não ter nenhum constrangimento em se comportar como um Olaria ou Madureira - se encolheu atrás e apelou para o cai-cai, com uma sequência de jogadores se estirando no chão para gastar um tempo que o juiz não compensou corretamente no final. E assim, o jogo foi pros pênaltis.

O resto é história. Como no título de 2007, após dois empates por 2x2, o Flamengo acabou batendo o Botafogo na disputa de pênaltis. Bruno, que já havia pego o pênalti do tempo normal, fez mais duas defesas. A torcida do Botafogo, que tem mesmo vocação para o sofrimento, voltou pra casa em silêncio, depois de sentir o gostinho de que poderiam conseguir uma conquista improvável. Mas não deu, né? A rotina é essa aí mesmo.



Os gols do tempo normal


O título veio nos pênaltis

3/4/2009 - 16h - Flamengo 2 x 2 Botafogo (4x2 nos pênaltis)
Maracanã - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$ 1.989.415,00 / 78.393 pag.

Árbitro: Péricles Bassols Cortez (RJ)
Auxiliares: Wagner de Almeira Santos (RJ) e Vinícius da Vitória Nascimento (RJ)
Cartões amarelos: Ibson, Willians (FLA); Emerson e Leandro Guerreiro (BOT)
Cartão vermelho: Fábio Luciano, 48'/2ºT (FLA).

Gols: Kleberson, 19'/1ºT (1-0); Kleberson, 38'/1ºT (2-0); Juninho, 16'/2ºT (2-1); Túlio Souza, 18'/2ºT (2-2).
Nos pênaltis: Kleberson, Juan, Aírton, Léo Moura (FLA); Léo Silva, Gabriel (BOT)

Flamengo: Bruno, Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Willians, Ibson, Kleberson e Juan; Erick Flores (Obina, 11'/2ºT) e Emerson (Josiel, 35'/2ºT). Técnico: Cuca

Botafogo: Renan, Emerson (Jean Carioca, intervalo), Juninho e Leandro Guerreiro; Alessandro, Léo Silva, Fahel, Eduardo, Túlio Souza (Rodrigo Dantas, 31'/2ºT) e Thiaguinho (Gabriel, 29'/2ºT); Victor Simões. Técnico: Ney Franco.

8 comentários:

Patrick disse...

Monnerat, vamos combinar, Obina nunca mais, ok?

Abraços e saudações de mais um pentatri campeão!

Lucas Dantas disse...

Monnerat, sério, você ficou nervoso? Batemos em cachorro bêbado.

André Monnerat disse...

Lucas, se você fica tranquilo vendo decisão de título por pênaltis, seja com quem for, ao vivo no estádio... Parabéns, tu é zen pra cacete! :)

Lucas Dantas disse...

Eu não tava no estádio, tava em sampa, na minha casa mesmo.

Não sou zen (nem um pouco, pra falar a verdade) e é fácil falar agora, mas eu realmente estava tranquilo. Confiava no Bruno e o time do Botafogo não tinha controle emocional nenhum. Se tivesse, virava a partida. A m.. é que não tenho testemunha para provar o que digo.

André Monnerat disse...

Mas eu tava no estádio. E nervoso pra caralho. :)

Lucas Dantas disse...

E o que importa no fim de tudo isso? Faz um 31.

Max disse...

Parece que o Emerson pediu pra sair por cansaço.

Cuca ta perdoado :)

Folha disse...

Cuca está semi-peroado: ele soltou a pérola de que optou por Obina pra "PRENDER A BOLA NA FRENTE"!!!!!!! (infinitas exclamações)

Não posso reclamar de um goleiro que pega 3 penaltis em decisão, mas vou faze-lo: ele falhou feio no segundo gol do Botafogo, eu pegaria aquela bola. É justamente de lances como esse que eu falo.

Posso estar sendo ranzinza, mas, apesar do gol de sorte de cabeça (ele obviamente não tentou encobrir o goleiro) e do gol de sorte de falta, não estou vendo todo esse futebol que estão vendo no Kleberson, ele me chama atenção pela quantidade enorme de passes errados.

Não posso dizer que não tivemos méritos, algum temos que ter tido, mas fosse outro no lugar do Ney Franco, talvez nada disso tivesse acontecido (embora ele tenha feio um time safadinho jogar alguma coisa).

Oh cara bundão esse, vai ser medroso em Ipatinga mermão!!!!!

De positivo, as comemorações mais espontâneas e passionais de nossos jogadores, tanto nos gols do jogo, quanto na disputa de penaltis, e em lances na defesa.

Já que não há qualidade técnica nenhuma, pelo menos deu pra ver uma certa vontade nessas reações.

Andretti, genial o duplo twist carpado!!!!