Estadual 2009 - Taça Rio - Final - Flamengo 1 x 0 Botafogo

Pelo segundo clássico seguido, o Flamengo dominou, mostrou ser mais time que o seu rival - mas só saiu com a vitória magra graças a uma falha individual feia de um adversário. No Fla-Flu, um frango de Fernando Henrique; contra o Botafogo, um gol contra. Gol mesmo, de uma jogada construída pelo time, ainda não foi desta vez. E, na verdade, a atuação não foi tão animadora quanto a do jogo passado - nem perto disso. 

Desde o início, a posse de bola foi toda do Flamengo. Com o Botafogo recuado - mesmo quando ensaiava um ataque, ficavam sempre cinco jogadores no campo de defesa para marcar os dois atacantes do Flamengo -, cabia sempre ao Flamengo a iniciativa de buscar o ataque. No entanto, o time não conseguia transformar o controle territorial do jogo em chances de gol. Com Íbson desaparecido, toda a criação do time ficava por conta de Kléberson; mas este, apesar de se apresentar bem pro jogo, insistia em jogadas pelo meio com poucas chances de dar certo. A equipe ainda estava torta em campo, com Juan tendo a ajuda de Zé Roberto e do próprio Kléberson pela esquerda, enquanto Léo Moura não tinha apoio nenhum pela direita.

O Botafogo conseguia ir levando o jogo sem ver Renan ser ameaçado - mas também não conseguia encaixar o contra-ataque que buscava. Apesar de ter tido chances de partir na base do três contra três algumas vezes, os jogadores erravam os passes, erravam os dribles. Mesmo assim, as duas únicas chances concretas de gol do primeiro tempo foram alvi-negras - um contra-ataque concluído pessimamente por Victor Simões e uma bola na trave que surgiu de uma rebatida errada de Willians, após um cruzamento pra área feito de antes do meio do campo.

Na volta para o segundo tempo, estas chances de contra-ataque do Botafogo desapareceram,, Kléberson melhorou e o domínio do Flamengo parecia ainda maior. Emerson, que passou o primeiro tempo inteiro sem ver a cor da bola, desperdiçou um bom passe dentro da área, permitindo o corte antes da conclusão; e Kléberson teve um bom tiro da entrada da área defendido por Renan. Foi no rebote deste chute que Juan sofreu a falta pela esquerda que acabou dando no bizarro gol contra do zagueiro Emerson - um negócio realmente lamentável.

A partir daí, o Botafogo, até então uma equipe com postura de time pequeno mesmo, passou a ao menos tentar jogar. E o Flamengo recuou demais, passou a dar chutões pra frente e abriu mão da posse de bola. Emerson, totalmente isolado na frente, não conseguia dar sequência a nenhuma jogada. E o time passou a ser pressionado - e foi a vez do Botafogo não conseguir transformar o controle do jogo em chances de gol.

Essa situação durou até a expulsão de Thiaguinho, em uma entrada feia em Juan. Com um a mais, e com a substituição de Emerson, o Flamengo ganhou confiança para ao menos tentar contra-atacar com um pouquinho mais de frequência. E, nesse fim de jogo, finalmente surgiram chances claras de gol para o Flamengo - um contra-ataque desperdiçado de maneira bisonha por Josiel, outro em que a cabeçada não pegou em cheio pra terminar dentro do gol. 

A verdade é que o jogo, como um todo, foi muito ruim, com atuações fracas dos dois times. Mas o 1x0 foi o bastante pra forçar uma decisão. E depois do Botafogo ter sido eliminado da Copa do Brasil de maneira inesperada e perdido a Taça Rio justamente para seu adversário na final, a vantagem psicológica parece ser toda do Flamengo.




19/4/2009 - 16h - Flamengo 1 x 0 Botafogo
Maracanã - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$ 1.456,470,00 / 75.395 pagantes (83.354 presentes)

Árbitro: Luiz Antonio Silva dos Santos (RJ)
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas (RJ) e Jorge Luis Campos Roxo (RJ)
Cartões amarelos: Emerson e Ibson (FLA) Reinaldo, Alessandro, Maicosuel e Emerson (BOT)
Cartões vermelhos: Thiaguinho, 41'/2ºT (BOT)

Gol: Emerson (contra), 17'/2ºT (FLA)

Flamengo: Bruno, Aírton, Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura, Willians, Kleberson, Ibson (Toró, 43'/2ºT) e Juan; Zé Roberto (Erick Flores, 33'/2ºT) e Emerson (Josiel, 40'/2ºT). Técnico: Cuca.

Botafogo: Renan, Emerson (Túlio Souza, 44'/2ºT), Juninho e Leandro Guerreiro; Alessandro, Fahel (Renato, 28'/2ºT), Léo Silva (Gabriel, 28'/2ºT), Maicosuel e Thiaguinho; Reinaldo e Victor Simões - Técnico Ney Franco

2 comentários:

vôo do urubu disse...

Dos 5 que armavam o jogo, Leo Moura, Juan, Kléberson, Ibson e Zé Roberto, só o Kléberson e o Juan jogaram alguma coisa. Esta alguma coisa foi suficiente, já que o Botafogo entrou inquestionavelmente com a idéia única: um chutão pra frente vai encontrar um dos 3 neguinhos que vai resolver. E o Flamengo sempre encontra dificuldade com time pequeno.

Saudações rubronegras!

Ácido Poético disse...

Deixa os botafoguenses chorarem pelo Emerson...

SRN
Bruno Kzo
http://www.sempreteamarei.com.br/