Estadual 2009 - Final - 1a. partida - Botafogo 2 x 2 Flamengo

Todo o pessoal que deixou pra só ir ao Maracanã no segundo jogo, porque "é esse o que vale", deve estar agora satisfeito com sua escolha. Foi mais um Flamengo x Botafogo bem ruim tecnicamente. E o empate, que realmente deixou tudo pra ser resolvido no próximo domingo, acabou caindo do céu para o Flamengo, que não fez muito por merecê-lo.

O time começou o jogo, como no domingo passado, conseguindo impor a marcação no campo do adversário e dominando a posse de bola. E, como no domingo passado, não conseguia transformar isso em chances de gol. Taticamente, mantinha-se o erro de insistir demais pelo meio; e, tecnicamente, o cenário era bem pior que na última partida, com várias atuações individuais abaixo da crítica.

No entanto, aos 19 minutos, surgiu o pênalti bobo que se transformou no primeiro gol. Pouco tempo depois, vieram duas chances claras, perdidas por Léo Moura e Emerson. Parecia que o jogo seguia por um caminho tranquilo para o Flamengo. No entanto, a partir daí, foi ladeira abaixo.

Logo o Botafogo passou a controlar a posse de bola. Criou chances em chutes de fora, teve a oportunidade de concluir na cara de Bruno em outro momento. Maicossuel, desta vez, estava mais inspirado e conseguia jogar. E, antes do fim do primeiro tempo, veio a virada, em dois gols seguidos de bola parada.

No segundo tempo, em desvantagem, o Flamengo voltou a controlar a bola. E voltou a não conseguir criar nada - por insistir em chuveirinhos e em jogadas pelo meio e por ter uma atuação tecnicamente muito ruim de quase todos os jogadores. O Botafogo, mesmo jogando recuado, era quem construía algumas chances de gol. Mas acabou sendo castigado pelo empate, em uma jogada de raça de Willians e azar do zagueiro Emerson - que, se eu fosse Ney Franco, passaria longe do Maracanã no próximo jogo, independente de achar ele bom ou ruim. Chame de superstição, se quiser. Mas isso não é justo coisa de botafoguense?

* * * * * * * * * * * * *

Eu gosto bastante de analisar as partidas taticamente. Mas, desta vez, apesar do Flamengo insistir em erros no seu esquema que já vêm de outros jogos, o determinante para a má atuação do time foi a tarde ruim de vários jogadores.

Por que isso aconteceu? Pode ter sido simplesmente um dia infeliz generalizado. Mas pode ter sido também uma certa auto-suficiência pela certeza de ter um time tecnicamente superior ao adversário, fato comprovado na última partida. Entraram tranquilos demais e nisso, quando viram que o jogo tava complicado, simplesmente não conseguiram entrar nele como deveriam.

Íbson esteve muito mal. Kléberson, idem. Juan insistiu em jogadas individuais com o único objetivo de cavar faltas, errou todas as que cobrou e ainda escapou de ser expulso, por benevolência do juiz, em um lance em que ridiculamente passou recibo de como se sentia inferior ao seu adversário. Émerson, que realmente não me convence, ainda mostrou mais uma vez que não tem condições de jogar uma partida inteira - a partir de determinado momento, não conseguia mais matar nem as bolas mais simples, coisa que já acontecera na final da Taça Rio. Willians, tão elogiado pela marcação a Maicossuel no primeiro jogo, neste só conseguiu pará-lo com faltas seguidas, que poderiam ter-lhe rendido pelo menos um cartão amarelo.

Cuca, hoje, poderia escolher tranquilamente entre seis ou sete jogadores que estavam muito mal para substituir. Infelizmente, só três substituições eram possíveis. As escolhas de Zé Roberto e Léo Moura pra sair, ambos com atuações ridículas, além de Wellinton, em um momento em que resolvia usar um esquema mais ofensivo pra tentar o empate de qualquer jeito, foram bem aceitáveis. Mas talvez não tenha sido lá muito feliz na escolha dos substitutos - Erick Flores ao menos é daqueles que não se esconde do jogo, mas a verdade é que nem ele nem os outros que entraram foram capazes de criar um impacto positivo no time.

Fica a expectativa para ver se o time consegue se acertar até domingo. Mas é bom lembrar: na quarta, tem Copa do Brasil. E é bom que, contra o Fortaleza, não resolvam entrar tranquilos demais por uma suposta superioridade. 


26/4/2009 - 16h - Botafogo 2 x 2 Flamengo
Maracanã - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$ 1.462.853,00 / 58.711 pagantes (63.061 presentes)

Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá (RJ)
Auxiliares: Rodrigo Pereira Joia (RJ) e Eduardo de Souza Couto (RJ)
Cartões amarelos: Juninho, Alessandro, Eduardo (BOT); Fábio Luciano, Emerson, Juan, Erick Flores (FLA)

Gol: Juan, 19'/1ºT (0-1); Juninho, 37'/1ºT (1-1); Reinaldo, 43'/1ºT (2-1); Willians, 39'/2ºT (2-2)

Flamengo: Bruno, Welinton (Erick Flores, 25'/2ºT), Fábio Luciano e Ronaldo Angelim; Léo Moura (Everton Silva, 16'/2ºT), Willians, Kleberson, Ibson e Juan; Zé Roberto (Josiel,intervalo) e Emerson. Técnico: Cuca.

Botafogo: Renan, Emerson, Juninho e Leandro Guerreiro; Alessandro, Fahel, Léo Silva, Maicosuel (Renato, 16'/2ºT) e Eduardo (Gabriel, 7'/2ºT); Reinaldo (Jean Carioca, 19'/2ºT) e Victor Simões - Técnico Ney Franco.

6 comentários:

Raphael Perret disse...

A dificuldade de hoje deve mudar a atitude (ê clichê!) do time no domingo que vem. Também acho que o time jogou muito mal e está sem ataque. Os laterais e os meias, quando estão inspirados, ajudam. Mas se somem como hoje, a coisa fica complicada. É bom lembrar que os últimos três gols foram contra ou de pênalti (e ainda assim meio maroto...). Cadê as jogadas? Por que, quando elas aparecem, o time finaliza tão mal? Acho que o esquema tático não tem sido muito infeliz. É preciso apenas treinar mais os chutes e as finalizações.

Eduardo Matheus disse...

Muito boa análise como sempre. Também fiz uma em meu blog.

SRN

vôo do urubu disse...

Não é azar do outro Émerson: é destino.

Saudações rubronegras!

Marcos Monnerat disse...

Acho que o Flamengo deve esquecer totalmente do Botafogo e pensar em ganhar do Fortaleza. Será que a comissão técnica do Flamengo sabe como joga o seu adversário de quarta-feira?

O Flamengo deve agir racionalmente e priorizar a competição mais importante. Não haverá o que comemorar no domingo (caso ganhe o estadual) se tivermos entregado a fatura na Copa do Brasil.

Tiago Cordeiro disse...

Não concordo sobre as substituições. Acho que depois delas o time foi crescendo. Exceto a primeira: o Josiel pelo Zé Roberto não fez rigorosamente nenhuma diferença.

Mas ainda acho que o messias deveria começar jogando. Até pra dar confiança para quem tem mais gols no time.

André Monnerat disse...

Eu já acho que o time foi atacando mais - e não "crescendo" - porque o Botafogo perdeu o Maicossuel, perdeu o Reinaldo, recuou de vez e queria só o contra-ataque.

Mas, mesmo assim, a pressão do Flamengo era inútil, insistia em chuveirinhos, quase não criava oportunidade nenhuma de gol.