Salvação?

O Vasco pode agradecer à Champs, sua atual fornecedora de material esportivo, pela vitória de ontem contra o Mesquita. Afinal, ela só aconteceu graças ao empate que caiu do céu, no finzinho do primeiro tempo - e que veio em um pênalti daqueles que acontecem em todos os cruzamentos pra área. Só que, neste, a camisa de Fernando rasgou, e a jogada ficou clara de mais. Talvez se o uniforme do Vasco ainda fosse feito pela Reebok...

Até ali, o primeiro tempo do Vasco foi desastroso. O time de Dorival Júnior vinha se destacando em vários jogos pela marcação por pressão no campo do adversário - pois, neste jogo, o que aconteceu no primeiro tempo é que quem usou esta tática foi o Mesquita, em pleno São Januário. O time da Baixada dominou o jogo, não deixava o Vasco sair jogando e vencia com justiça.

A explicação para a fraca atuação talvez esteja nos desfalques. O Vasco é um time acertadinho, mas limitado - e não tem esse elenco todo. Ontem, jogou sem dois de seus principais destaques no campeonato, Carlos Alberto e o lateral Ramon. Com Léo Lima, o time não conseguiu manter a consistência no meio-campo; e Edu Pina não foi nem de perto tão produtivo no apoio quanto o titular.

Tanto os dois não agradaram que foram substituídos no intervalo. E o Vasco melhorou muito, perdendo chances seguidas de gol mesmo antes da expulsão justa de um jogador do Mesquita. Rodrigo Pimpão ganhou a posição de titular para esta partida talvez por ter se destacado nos passes em jogos passados - e realmente, ele parece um jogador interessante pela movimentação e toque de bola. Mas como perde gol! O desempate acabou saindo em uma jogada dele que sobrou para um belo chute de Jeférson, que me parece mesmo ter sido uma bela contratação do Vasco para este ano. Assim como o volante Nílton, que fez uma jogada de cinema ontem, driblando quatro ou cinco em sequência e deixando Élton na cara do gol. No final, o mesmo Élton ainda perdeu a chance de ampliar desperdiçando um pênalti - fez a paradinha, o goleiro também ficou paradinho e ele acabou chutando pra fora.


* * * * * * * * * * * * *

A vitória não foi a melhor notícia de ontem para o Vasco - e sim a decisão da Justiça que deu ao clube a possibilidade de conseguir a certidão negativa  de débito com o Estado, documento necessário para finalmente assinar o contrato com a Eletrobras. Um perrengue que o Vasco passava bem parecido a questão do Flamengo com a Petrobras.

Com o dinheiro entrando, a diretoria deve colocar os salários em dia, normalizar a vida do clube e seguir tranquilo para subir de volta para a primeira divisão. Talvez desse pra esperar um pouco mais da gestão Roberto Dinamite, mas há uma porção de pontos positivos - na montagem do elenco sem grandes loucuras, na escolha do técnico, na contratação de um profissional de currículo para dirigir o futebol. 

E, além disso, a simples mudança que sua chegada representou foi capaz de atrair para junto do clube vascaínos ilustres, dispostos a ajudar. Um grupo formado por gente de nome (como o empresário Olavo Monteiro de Carvalho, Isac Zagury, ex-diretor do BNDES e da Aracruz, e vários outros) se juntou para formar a Associação de Amigos do Vasco, que pretende levantar doações para pagar as dívidas do clube. A idéia é que os vascaínos depositem dinheiro direto nas contas da associação, que será usado para comprar as dívidas direto dos credores - sem a grana passar pelas mãos dos dirigentes do Vasco. Além do dinheiro dado pelos torcedores, o movimento ainda organiza eventos para arrecadar fundos com o mesmo propósito - é o caso de um show de Chico Anysio, que acontecerá no próximo dia 6 de abril, com ingressos a R$100. É claro que uma campanha assim só pode acontecer se houver um mínimo de confiança na diretoria; afinal, não adianta todo mundo se juntar pra pagar dívidas antigas se quem está lá continua fazendo novas.

Na primeira prestação de contas do movimento, foi divulgado que a associação já arrecadou mais de R$86 mil, em 16 dias úteis. É um número até impressionante para uma campanha do tipo, sem tanta divulgação assim, que não oferece ainda a possibilidade de contribuir via cartão ou boleto - tem que ser depósito bancário - e que não dá nada em troca do dinheiro do vascaíno. Porém, mesmo seguindo este ritmo forte, levariam décadas até juntar grana o bastante pra zerar as dívidas do clube. Obviamente, não é assim que vai se resolver o problema; mas o simples fato de um grupo de gente ilustre, competente, com contatos e dinheiro ter se juntado e se aproximado do clube já é positivo e pode dar em outras iniciativas mais efetivas.


* * * * * * * * * * * * * * *

Enquanto isso, surgem cada vez mais movimentos de rubro-negros anônimos querendo participar da salvação do Flamengo. Porém, sem o mesmo tipo de gente de peso, as coisas caminham de maneira bem mais complicada. De qualquer forma, são uma mostra de como tem gente por aí com boa-vontade para ajudar o clube, embora dê pra duvidar do quão efetivas possam ser as idéias da maioria deles.

O movimento NaAção, por exemplo, ganhou alguma divulgação depois que uma integrante enviou uma carta a Arthur Muhlemberg, do Urublog, protestando contra o aumento das mensalidades do sócio off-Rio. A idéia do pessoal é juntar o maior número possível de sócios em um mutirão, para formar um grupo capaz de influenciar decisivamente nas eleições do clube em 2012 - pra este ano não dá, já que a pessoa tem que ser associada há pelo menos 3 anos pra poder votar.  E eles, obviamente, contavam com uma adesão grande de sócios off-Rio, pois o preço das mensalidades (15 reais, até o aumento) era bem mais acessível.

No momento, a comunidade do movimento no Orkut, que é a sua "central" de funcionamento, tem 267 membros - poucos sócios entre eles. As ações são planejadas em reuniões via MSN, e até agora a mais prática é a decisão de fazer uma faixa, a ser levada para o Maracanãzinho em jogos do basquete, protestando contra o aumento da mensalidade. Além disso, redigiram um documento com as intenções do movimento - que se resumem mesmo basicamente a juntar o máximo de sócios possíveis, pra depois ver como agir. Há ainda a intenção de formalizar a coisa, registrando-se como uma ONG ou algo do gênero.

Há ainda várias outras iniciativas de gente que, como os vascaínos ilustres, querem juntar dinheiro para pagar as dívidas do Flamengo (ou construir um CT, outro objetivo bem popular). O Filhos da Nação, por exemplo, coloca na home de sua comunidade orkútica o famoso "são 35 milhões de rubro-negros, se cada um der um real...". Por enquanto, também estão na fase de formalização da ONG, pra ter um CNPJ e abrir conta própria em banco. O organizador pediu doações para chegar aos R$870,00 que orçou serem necessários para isso, e vai dando o extrato da conta por lá mesmo para dizer como andam os depósitos. Até agora, arrecadou R$484,00.

Talvez a solução mesmo possa vir de um grupo de ilustres, como os tais Amigos do Vasco, ou ao menos de bons profissionais, que seja capaz de reunir e direcionar de maneira mais efetiva a força de todo esse povo que mostra vontade de ajudar.

5 comentários:

Anônimo disse...

Mudaram o blog e não me avisarão??? Agora é sobre o vascú?

Pasquale disse...

Avisarão, sim... o comunicado deve chegar na sua residência a qualquer momento.

André Monnerat disse...

Meus caros - a proposta do blog não é falar só sobre o Flamengo. Ele é o assunto principal, mas não o único. Quem olhar os arquivos vai ver uma porção de textos sobre Vasco, Fluminense, Botafogo, seleção, São Paulo, Palmeiras e por aí vai.

Até porque o Flamengo não está sozinho no mundo - o que acontece com os outros em volta também pode afetar, servir de exemplo, enfim.

E bom - esse post também tratou do Flamengo, oras.

Paulo Lima disse...

Monnerat,
Por incrível que pareça, o momento é auspicioso (sem querer parodiar o verbo mais usado na novela das 8). Ideias fervilham e hão de ser bem aproveitadas.
O problema é que o status quo não me parece nem perto de mudança nos próximos três anos.
Dinamite, em meio a sua larga inexperiência, me parece ser do Vasco a renovação que o CRF tanto deseja.
Este tipo de Associação, creio eu, não se permitiria lograr na nossa atual gestão.
O que me diz?
SRN

André Monnerat disse...

Paulo Lima, é o que eu falei - essa associação do Vasco só existe porque há uma confiança na diretoria que está lá. Não adianta gente de fora se juntar pra pagar as dívidas atuais do clube se sabe que quem tá lá dentro está fazendo novas, muito maiores. A administração do Roberto me parece ter um punhado de defeitos, mas ao menos deu bons sinais de querer trabalhar com o pé no chão - e isso foi o bastante pra atrair aquelas pessoas pra junto do clube.

Já com a diretoria que o Flamengo tem hoje e o jeito dela administrar o clube, simplesmente não dá pra confiar.

(Esse lance da novela com "auspicioso" é muito engraçado.)