O que Cuca pode estar armando?

Em sua primeira passagem no Flamengo, tentando armar o time no 3-4-3, Cuca recuou André Santos - esse mesmo lateral ofensivo que se destacou no Corinthians ano passado - para a zaga. No Botafogo, no mesmo 3-4-3, fez os também laterais Triguinho e Luciano Almeida se transformarem em zagueiros. 

Ao que parece, ele pode agora está repetindo esse seu cacoete. Éverton Silva, lateral direito, que foi bem no apoio nas poucas chances que teve, está ganhando a vaga de titular e já deu entrevistas falando de como será pra ele jogar de zagueiro.

Tem cara de que ele pode estar mesmo preparando uma repetição de seu 3-4-3, que usou com sucesso no Botafogo e no Goiás. Na frente, a gente já sabe que estão Zé Roberto e Josiel. Mas quem seria o terceiro atacante?

É preciso ver isso em campo pra ter certeza. Mas, pelos jogadores que ele está usando nos treinos, podem ser dois: Juan ou Léo Moura - com mais jeito de ser o primeiro, pois Cuca deu entrevistas falando que "Léo Moura vai encorpar o nosso meio-campo". O Flamengo teria então contra o Ivinhema um time com Bruno, Éverton Silva, Douglas e Fábio Luciano; Toró (Aírton), Kléberson (Aírton), Íbson e Léo Moura; Zé Roberto, Josiel e Juan.

Pode ser que não seja nada disso. Mas é bom se preparar psicologicamente pra ver um time com três laterais em campo - mas nenhum jogando de lateral. Um na zaga, um no meio, um no ataque. Que tal?


* * * * * * * * * * * * * * *

Com estes mesmos jogadores, dá pra enxergar o time num 4-4-2 simples, também - só com a improvisação de Léo Moura no meio. Seria Bruno, Éverton Silva, Fábio Luciano e Juan; Aírton, Kléberson, Íbson e Léo Moura; Zé Roberto e Josiel.

Mas tudo isso, em se tratando de Cuca, é só uma questão de modo de escrever a escalação, porque em campo tudo muda. No Botafogo, Luciano Almeida era um zagueiro, mas que muitas vezes apoiava como lateral; Joílson podia ser visto como lateral direito, como meia ou como volante; Jorge Henrique, o atacante, marcava na defesa como um lateral. Me lembro que, mesmo no Flamengo 2005, certa vez eu fiz a piadinha: Cuca gosta de mudar todo o esquema do time sem trocar jogadores, só mudando a posição do ponto-e-vírgula. É o que ele gosta de fazer: times em que os jogadores tem funções múltiplas, trocam de posição o tempo inteiro, se movimentam por todo o campo.

Quando dá certo, se transforma num carrossel; quando dá errado, é só uma zona mesmo.


* * * * * * * * * * * * * * *

Mas não deixa de ser algo intrigante. Do meio do ano passado pra cá, o Flamengo contratou Marcelinho Paraíba, Éverton, Sambueza, Fierro e Zé Roberto. São cinco meias.

E, no fim, vai improvisar Léo Moura na função.

6 comentários:

Arthur Costa disse...

Eu acho q ele vai colocar o LM na posição em q o Fierro é especialista...

um meia aberto pela direita.

e o lance já deu outra escalação "confirmada" André. Deu com o MPB em vez do Kleberson (q nem foi citado na matéria).

então pode ser Toró e Ibson de volantes msm, com LM e MPB na direita e esquerda abertos, e Zé Bob e Josiel na frente. Mas sei lá, só esperando pra ver jogar msm, pq se o time ficar sem movimentação como no jogo contra o resende, não vai funcionar.

Sacaneator disse...

VICE-CAMPEONATO DO MUNDIALITO DE CLUBES
Em 1983, em Milão, na Itália, organizaram pela segunda vez um torneio chamado de Mundialito de Clubes Campeões. Convidados por um canal de TV, participaram 5 times: Milan, Internazionale, Juventus, Peñarol e Flamengo. Na época, apesar de só ter participantes da Itália, três, e da América do Sul, dois, a Flapress se apressou em alardear que o Flamengo poderia ser de fato Campeão Mundial, pois possuía apenas a Copa Toyota. Então, com os jogos transmitidos para o Brasil pela televisão, vibraram com a estréia: Flamengo 2 X 1 Internazionale. Em seguida, empate em 1 X 1 no jogo com o Milan e vitória por 2 X 0 no jogo contra o Peñarol. Só faltava a final contra a Juventus e bastava o empate contra aquele time que até ali empatara duas e vencera uma, para a conquista daquela glória. Mas Platini não estava para brincadeiras e a Juventus detonou o Flamengo por 2 X 1. Resultado: FLAMENGO VICE-CAMPEÃO DO MUNDIALITO DE 1983. Rapidamente a Flapress abafou o episódio, a festa programada para receber os pretensos campeões foi desmontada e até hoje pouco se fala desse grande mico do Urubu.

less disse...

Mto bom texto, Monnerat.

Só acho que o Flamengo tem características mto particulares. Nosso time, independente do treinador ou do esquema, só sabe jogar na base do toque de bola e tem uma certa dificuldade pra jogar no contra-ataque, procurando jogar sempre da mesma forma, impondo nosso ritmo independente do adversário. Isso significa que qualquer treinador que queira mudar uma ou mais dessas características vai encontrar resistências.

Material humano à parte, penso que esquemas dinâmicos com jogadores polivalentes, tendem a funcionar melhor em clubes sem uma identidade tão forte quanto a nossa. Vamos ver o que o Cuca vai conseguir fazer.

Flávio disse...

Estou com o Arthur, se é para subir para o meio e apoiar o ataque o Fierro deve ser testado antes do Everton Silva.

Jorge Lucio disse...

Só vejo os torcedores do Flamengo, em qualquer formação que citem, só exitem 3 titulares absolutos: Bruno(porque também não tem mais ninguém), Fábio Luciano ( que realmente merece) e inacrditavelmente o TORÓ, que já jogou até com a camisa do Zico, na minha opinião o maior ultraje que o Flamengo podia fazer com o nosso GALO.
Gente já nos livramos do Jailton, e precisamos urgentemente nos livrar deste Toró, pois talvez assim os nossos técnicos comecem a pensar em uma escalação coerente, sem cair nos devaneios do defensivismo.

FORA TORÓ

Arthur_Costa disse...

Jorge Lúcio, não sei se vc voltará aqui pra ler minha resposta ao seu comentário, mas acho q 80% da torcida q tenha algum conhecimento de futebol (não q eu saiba muito não) acha Willians e Airton MUITO melhores q toró...

oq eu falei aí no primeiro comentário era sobre a escalação do time pra quarta-feira, q o Cuca dará uma chance ao cara...

mas Willians e Airton são bem melhores q ele.