Zé Roberto vem aí

E, ao que parece, o Flamengo finalmente acertou com Zé Roberto - o grande reforço do time até agora, o único que as pessoas pensarão em escalar de primeira entre os titulares. E, como já trabalhou com Cuca e ele está apostando no cara, deve mesmo ter boas chances.

Eu, no entanto, tenho minhas dúvidas se é uma boa.

O primeiro aspecto, mais óbvio, é o disciplinar. Zé Roberto não é daqueles de levar a sério a profissão. Veja, por exemplo, a declaração de Bebeto de Freitas após afastar o jogador do elenco do Botafogo, depois de chegar atrasado a um treino pela enésima vez:

"Ele está afastado e não vai para o jogo. Não temos condições de ter um grupo unido enquanto um ou outro jogador não esteja comprometido. Ninguém tem mais paciência com ele. Chega, não dá mais. Por mim ele fica teinando até o fim do ano separadamente."
Os problemas com ele, no entanto, não se limitavam a esse tipo de atraso. Ele chegava de madrugada à concentração após noitadas, deixava de jogar por estar doente mas viajava pra ir a boate em outra cidade e por aí vai.

E, na verdade, isso não é coisa apenas de sua passagem pelo Botafogo. Eu me lembro de tê-lo visto pela primeira vez no Vitória, onde se destacou pela primeira vez, e ter ficado bem impressionado com seu futebol. No entanto, mesmo sabendo jogar, ele costumava passar temporadas no banco de reservas por lá e acabou sendo dispensado, justamente por problemas de indisciplina. 

Em um ambiente como o Flamengo, e possivelmente convivendo com atrasos de salário, pode dar certo? Cuca obviamente o conhece melhor do que eu e acha que sim. Vamos ver.


Mas e em campo?

Jogando bola, como falei, me impressionei bem com Zé Roberto em algumas vezes que o vi jogando no Vitória. Naquela época, ele atuava no meio-campo, armando as jogadas. Mas, apesar de sempre ter gostado de suas atuações quando o vi jogar por lá, ficava com o pé atrás porque volta e meia o cara estava no banco de reservas.

No Botafogo, com Cuca, com o tempo acabou virando um quase atacante, jogando aberto e mais próximo do gol adversário. E, sinceramente, apesar de ter tido seus momentos, ele já me impressionava bem  menos nessa função - embora tenha até ganho a Bola de Prata de Placar no Brasileiro de 2006, em que ainda jogou mais no meio-campo. Depois de deixar o Botafogo após tantos problemas, foi para um time médio na Alemanha e não conseguiu absolutamente nada. De qualquer forma, quando está a fim, ele me parece um jogador que se movimenta bem e tem uma boa visão de jogo. 

Eu não teria certeza que ele vá se tornar titular do time. Vai disputar vaga com Marcelinho Paraíba, Fierro e Éverton - e o número de vagas para estes quatro brigarem vai depender do esquema que Cuca decidir. De primeira, não acho que ele seja necessariamente melhor que os dois primeiros (embora tenha visto muito pouco do chileno em campo), mas boto mais fé nele, como jogador, do que Éverton.

De qualquer forma, tudo depende do quanto ele vai estar a fim de jogar. É isso - e ainda a relação custo-benefício, já que ele não deve ter vindo ganhando pouco e o dinheiro está curto na Gávea - que vai definir se foi, afinal, um bom negócio.

E eu não sou nem capaz de dar meu palpite.


* * * * * * * * * * * * 


Além de Zé Roberto, o Flamengo contratou hoje Éverton, lateral direito, pra ser reserva de Léo Moura. É claro que é difícil dar alguma opinião - não tenho nenhuma lembrança de tê-lo visto jogar.

O pouco que se descobre sobre ele na internet é que jogou no Friburguense o estadual do ano passado, quando fez seus golzinhos, mas também andou fazendo pênalti e sendo expulso. Também jogou na segunda divisão do Estadual pelo Angra dos Reis. 

Enfim: pelo menos, é alguém pra uma posição em que havia um buraco no elenco. 

Um comentário:

Folha disse...

Absolutamente desnecessária a contratação do Zé Roberto.

Se ele já era pouco profissional do Vitória e no Botafogo, me parece que o Flamengo é o time certo pra potencializar essa sua característica.

Fora isso, ô jogadorzinho comum.