Patético

Bruno diz que o grupo "não é essas coisas", pois alguém foi "x-9" para "dedurar" que ele faltou as refeições na concentração, estipuladas por seus superiores.

Também acha que a "culpa" da "polêmica", mais do que dele - que deixou de cumprir um compromisso profissional -, ou do possível dedo-duro, é da diretoria. Porque o clube não tem CT, então não poderia marcar treino em dois períodos - e, por ter marcado, o deixou insatisfeito, o que o levou a faltar com sua obrigação.

Na boa? 

É óbvio que o Flamengo deveria ter seu CT. Alguns ex-jogadores, ex-empregados do clube, conseguiram construir os seus com seus salários, e o Flamengo não. É ridículo.

Mas Bruno não sabia que o Flamengo não tem CT, quando assinou o contrato? Alguém lhe prometeu um CT e faltou com a promessa? Sua obrigação é cumprir com seu trabalho, e ponto final. E falar mal dos patrões para a imprensa, especialmente após um erro seu, é algo que dá problema em qualquer empresa. Jogador de futebol parece acreditar que vive em uma realidade a parte do resto do mundo. Mas como os seus patrões, de modo geral, também compartilham da mesma crença, fica tudo certo. Né?

E, nessa, descobre-se que o elenco realmente não gosta quando se marca treino em dois turnos, que isso é um assunto entre eles, um ponto de atrito. Mas enfim: foi nessa base que o time chegou, a três rodadas do fim do campeonato, lutando pelo título - algo que não acontecia desde... Sei lá. Poderiam ter ido mais longe se treinassem sem reclamar, o tempo que fosse pedido? Pode ser, é razoável acreditar que sim.

Mas é bom que o assunto morra, o quanto antes, porque não há hora menos própria pra uma dessas aparecer.

2 comentários:

vôo do urubu disse...

O q impressiona nesta declaração do Bruno é q ele fala a sério. Os jogadores trabalhavam meio expediente porque foi acordado com a direção. A direção percebeu q o São Paulo tem o melhor rendimento do 2ºturno justamente porque trabalha em tempo integral e mudou de idéia, cobrando o grupo. A resposta do Bruno, q em linhas gerais diz q toparia sim mas se jogasse no São Paulo, seria hilariante não fosse patética. Dá uma enxada pra essa criancinha mimada ir cavar!

André Amaral disse...

Não existe hora para criticar a diretoria pela falta de estrutura.

Se ele falasse ao fim do campeonato, diriam: "Ah, mané, cala a boca e vai curtir suas férias."

Falar quando acaba o Brasileiro chama muito menos atenção para alguns dos problemas crônicos do Flamengo.

Em março: "Pô, ele vai atrapalhar o grupo no Campeonato Carioca."

Em agosto: "O time vai perder pontos que farão falta lá na frente, unicamente por causa do que ele falou."

Essa é a hora de falar, depois que acabar o campeonato ninguém vai mais repercutir nada.

Imagino também o Bruno falando pro Kléber Leite: "Você quer que o time treine dois turnos???
Ótimo, agora nós dê condições, nos ofereça uma estrutura suficiente.
Nós dê lugar pra ficar entre um treino e outro, com estrutura, quartos, restaurante"

Estranho que só faltando 3 rodadas, a diretoria acordou e percebeu que o São Paulo tem o melhor rendimento do 2º turno justamente porque trabalha em tempo integral e mudou de idéia, cobrando o grupo.

Agora como uma diretoria que faltando 3 rodadas, acorda pra vida, acorda para o profissionalismo vai ter alguma moral de cobrar.

Fazendo tudo com a barriga, armando concentração e hospedagem onde não existe.