Brasileiro 2008 - 36a. rodada - Cruzeiro 3 x 2 Flamengo

O título já era muito, muito difícil. Mas, na luta pela Libertadores, muito palpável, tudo o que não poderia ter acontecido - embora fosse o resultado mais normal mesmo - era a derrota para o Cruzeiro. Infelizemente, ela veio de maneira dolorosa, em um jogo em que ficou a impressão de que o resultado poderia ter sido melhor.

O Flamengo até começou bem o jogo e o manteve equilibrado até uns 20 minutos do primeiro tempo. Coincidentemente, a partir da saída de Aírton por contusão, a marcação do time recuou e o Cruzeiro começou a criar seguidas chances. O 1x0, que veio em lance que juntou desatenção da defesa com um tanto de azar - o passe desviado nas pernas de Kléberson que foi cair nos pés de Fernandinho, na cara do gol -, ficou até barato.

O segundo tempo já foi bem melhor. Além dos dois gols, o time ainda criou pelo menos mais duas ou três chances claras de marcar. A mais impressionante surgiu depois de um belo passe para a esquerda de Obina (que jogou bem, embora a bola lhe chegasse pouco e ele tivesse que sair muito da área), que virou um chute/cruzamento meio sem ângulo e parou nos pés de Juan, que não conseguiu empurrar para o gol vazio.

Mas a defesa pôs tudo a perder, jogando incompreensivelmente em linha, tentando deixar o ataque adversário em impedimento seguidas vezes. Antes mesmo do gol de empate do Flamengo, o Cruzeiro já poderia ter ampliado o placar em um lance do tipo. E os dois gols que garantiram a vitória mineira vieram assim.

E não dá pra falar da partida sem citar a influência decisiva da arbitragem de Carlos Eugênio Simon. No primeiro tempo, ele já marcou um recuo de bola inexistente para Bruno, que acabou não dando em nada. Mas, no último lance da partida, ele definiu o placar ao não marcar um pênalti claríssimo em Diego Tardelli. É claro: tão decisivos quanto Simon foram os erros da defesa do Flamengo, que entregou dois gols de bandeja infantilmente. Mas foi um pênalti que poderá fazer falta não só no placar daquela partida, mas também na classificação final do campeonato.

O erro do juiz ainda levou a dois desfalques para a próxima partida. Fábio Luciano e Tardelli perderam a cabeça e acabaram sendo expulsos, ficando fora do jogo decisivo contra o Goiás. A falta que o capitão fará é óbvia. Mas é bom dizer que Tardelli, em quem eu nunca botei a menor fé, entrou muito bem na partida de domingo e poderia ter definido o jogo - se não tivesse contra si Fábio, que fez uma defesa milagrosa evitando o gol de empate, e o juiz. Eu achava um erro apostar em um jogador como Tardelli, há meses inativo, em um momento decisivo como aquele. Mas por pouco não deu certo.





23/11/2008 - 17h - Cruzeiro 3 x 2 Flamengo
Mineirão, Belo Horizonte - MG
Renda/Público: R$ 516.976,50 / 50.789 pagantes

Árbitro: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS)
Auxiliares: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Erich Bandeira (PE)
Cartões amarelos: Ibson, Toró (Fla)
Cartões vermelhos: Diego Tardelli (46'/2ºT) e Fábio Luciano (após o fim do jogo)

Gols: Fernandinho, 32'/1ºT (1-0); Ibson, 10'/2ºT (1-1); Thiago Ribeiro, 20'/2ºT (2-1); Obina, 25'/2ºT (2-2); Ramires, 40'/2ºT (3-2)

Cruzeiro: Fábio, Jonathan (Elicarlos, 27' 2ºT), Léo Fortunato, Thiago Heleno e Fernandinho; Henrique, Marquinhos Paraná, Ramires e Gerson Magrão (Wanderley, 30'2ºT); Jajá (Fabrício, 16' 2ºT) e Thiago Ribeiro. Técnico: Adilson Batista

Flamengo: Bruno, Jaílton, Fábio Luciano, Ronaldo Angelim; Léo Moura, Aírton (Toró, 17' 1ºT), Ibson, Kleberson e Juan (Luizinho, 32' 2ºT); Marcelinho Paraíba (Diego Tardelli, 20' 2ºT) e Obina. Técnico: Caio Júnior.

5 comentários:

Cleiton disse...

Senhores, aconselho-vos a chorar na cama que é lugar quente, pois na partida houve também as agressões criminosas do sr. Toró pra cima do Ramires e TAMBÉM UM PENALTI NÃO MARCADO DESTE MESMO CIDADÃO PRA CIMA DO THIAGO RIBEIRO.Então, se o Simon tivesse errado contra o Cruzeiro, ele era o melhor abitro do Brasil, e agora estão crucificando o cara. Estamos aí, pro que der e vier. Voltem em 2009, cambada !!!

André Monnerat disse...

Cleiton, meu caro, obrigado pela audiência - apesar do blog ter no nome um time que obviamente não é o seu..

Você tem razão. Eu achei mesmo que foi pênalti do Toró naquele lance. Assim como teve um impedimento absurdo do Tardelli, marcado de maneira incompreensível, que poderia também ter dado em gol.

O pênalti do fim do jogo fica marcado por isso: foi no fim do jogo, último lance, com ele a dois metros da jogada. Ele amarelou e não quis marcar. Paciência.

O cara é ruim mesmo. Errou à beça nesse jogo (nos pênaltis, nos impedimentos, na bola recuada), como erra sempre.

Cleiton disse...

Olá, André Monnerat, boa tarde !!!
Que legal... Acho saudável discutir futebol sem que seja do mesmo time. Acho que como bom brasileiro e principalmente "minerim", e bom comentar futebol.
Mas, não foi só vc, ou a nação flamenguista que reclama deste senhor. E também não é de hoje que ele vem fazendo lambanças. Acho que o Brasil inteiro não gosta deste intitulado "Arbitro FIFA". Teria que ir pro congelador, nem pra geladeira não era. Não sei se vc estava no Mineirão, mas eu estava e vi lances que a tv não mostra que ele era absurdo de ruim. Mas, fazer o quê, ano que vem nós tentaremos conter o impetuoso SP e fazer um jogão daquele de domingo, quem sabe, disputando o título...
Abraço.

André Monnerat disse...

Cleiton, beleza, todos reclamam dele, concordo contigo. Não disse que o cara tinha a intenção deliberada de prejudicar o Flamengo por um interesse qualquer.

Agora: é natural, pra qualquer torcedor, reclamar de um juiz quando ele erra contra seu time em um lance capital - ainda mais em um jogo decisivo. Isso sempre foi assim, sempre vai ser. E tão aí os comentaristas de arbitragem, ganhando seus salários para servirem de legenda pra replay, mostrando que esse tipo de discussão sempre vai render.

Ao longo de um campeonato como esse, esses erros se diluem. O Flamengo empatou com a Portuguesa no Canindé com dois gols de mão, por exemplo. No fim, é discutível dizer que ganhou ou não o campeonato por causa de juiz.

(Tirando, é claro, o campeonato do Corinthians em 2005...)

No fim das contas, o que vai acontecer é que a diretoria do Flamengo vai reclamar, ele vai ficar aí duas ou três rodadas fora, depois volta a apitar normalmente. Assim como aconteceu com outros n juízes ao longo do campeonato, com outros clubes. E ano que vem, isso vai se repetir igualzinho.

Folha disse...

Me incomodou muito mais a liberdade e a facilidade com que o Cruzeiro trocava passes até a área do Flamengo do que o penalti não marcado.

Na verdade, o "penalti" só ajudou a encobrir o fato do setor defensivo do Flamengo se comportar de maneira inadmissível para uma equipe de futebol profissional.

Mais uma vez, só critiquei nosso treinador, deixei o Simon fora dessa.