Mais sobre Gonzalo Fierro - e a falência e renascimento do Colo-Colo

Então é isso: pelo que se diz na imprensa chilena e brasileira, Fierro já está certo mesmo. O Flamengo vai pagar, segundo o Globoesporte, os US$2,3 milhões que os jornalistas de lá diziam que o Colo-Colo estava pedindo por 60% dos direitos do jogador; no Chile, falam em US$2,4 milhões por 70%.

Fui perguntar a chilenos em um fórum do Colo-Colo sobre o cara. E o que todos dizem é que é um belo jogador. Joga de meia pela direita, gosta de ficar bem aberto e é ótimo nos cruzamentos ("se o Flamengo tiver alguém bom pra concluir, é uma aposta certeira"), além de saber fazer seus gols (no último Clausura, foram 4 em 8 jogos). Segundo contaram, foi um dos melhores jogadores do clube nos últimos três anos e, neste agora, tem sido o melhor do time mesmo, apesar de jogando fora de sua posição habitual - tem sido escalado no ataque, como ponta direita.

Dá pra imaginar um time com ele e Marcelinho, cada um por seu lado, se revezando entre a organização no meio e a chegada ao ataque, com Íbson e Kléberson mais atrás e um atacante mais fixo à frente. Interessante, não?

É questão agora de ver o cara jogando.


* * * * * * * * * * * * * * * *

Como falei no último texto, Fierro estreou nos profissionais do Colo-Colo em um dos piores momentos de sua história. Atolado em dívidas, o clube teve a falência decretada pela Justiça chilena em janeiro de 2002. Para não fechar as portas e ter seus bens postos a leilão, passou a ser administrado por interventores. O primeiro a assumir o controle demitiu empregados, cortou os salários dos jogadores de 30 a 70% e cortou custos de toda espécie.

Em meio a esse caos, jogadores começaram a sair e o técnico foi obrigado a lançar os cadetes das categorias de base entre os titulares. E um deles foi Fierro, que havia chegado ao Colo-Colo aos 15 anos e, 4 anos depois, tinha a chance de ser titular. Era uma época de salários baixos e com atrasos de até 4 meses - mas em que o time acabou conseguindo ser campeão chileno. Diz ele que isso acabou o tornando muito mais colo-colino, por ter enfrentado esse momento de dificuldade e agarrado sua chance (embora, nos dois anos seguintes, tenha tido problemas inclusive de contusão e ficado sem se firmar entre os titulares até 2005).

O Colo-Colo passou então por uma fase dura, cheia de brigas na Justiça por conta de dívidas, troca de interventores e perda de bens. Em 2004, começaram a surgir projetos sobre como poderia ser a reconstrução do clube. Chegou-se finalmente ao modelo que foi implantado definitivamente no meio de 2005: foi criada a Blanco y Negro S. A., empresa que teve todas as suas ações vendidas na Bolsa de Santiago (hoje são mais de 500 acionistas) e passou a controlar o Colo-Colo por um prazo de 30 anos. O clube ainda existe e pode indicar dois membros dos sete da mesa diretora da empresa, mas a ingerência dos antigos sócios na administração fica por aí. Hoje, eles têm apenas vantagens como preferência e descontos em ingressos e coisas do tipo, já que a estrutura social foi desmantelada durante os anos da quiebra.

A partir disso, a vida por lá mudou. O presidente do clube, hoje, é um milionário empresário do ramo de papel, também senador, que hoje tem 24% das ações da Blanco y Negro. Sem problemas de dinheiro, o time foi tetra-campeão chileno (Apertura 2006, Clausura 2006, Apertura 2007 e Clausura 2007), sendo vice no último torneio. E Fierro é mais um dos jogadores com que o clube consegue lucrar na venda - foi assim com Valdívia e com os agora "europeus" Suazo, Sánchez e Fernandez.

4 comentários:

Arthur disse...

olha oq o Lédio Carmona diz sobre ele: http://colunas.sportv.com.br/jogoaberto/2008/08/26/o-jovem-pistoleiro/

e ele não é de elogiar qualquer um não... veremos...

André Monnerat disse...

É, eu tinha lido. Acho que o Lédio conhece pouco o cara (tanto que se enganou sobre o lado que ele joga, assim como deu uma explicação meio errada sobre o apelido dele). Mas, pelo que andei lendo, nesse eu tô colocando fé. Diria que, dos reforços todos, ele é o que eu acredito mais e o único, junto com o Marcelinho, em que eu aposto pra virar titular mesmo desse time.

Pablo Alcântara disse...

Concordo. Olha, acho que reforço mesmo só esse Fierro e o MArcelinho. Eltinho, Fernando, Fernandinho, são reservas garantidos, os últimos dois, são reservas dos reservas. O Éverton pode lutar pra entrar em alguns jogos, vamos ver. O Sambueza, de ínício, deve entrar jogando, e se corresponder pode ficar. Esqueci de mais alguém?

André Monnerat disse...

Esqueceu o Vandinho e o Josiel.

E acho que os dois podem brigar pra serem titulares também, porque quem já está lá não está se firmando e a torcida não tem tido paciência. Mas digo brigar, mesmo - porque, em princípio, não boto mais fé neles do que no Obina ou no Maxi. Teria que ver em campo mesmo quem dá mais certo.