O título mundial do Corinthians simboliza o desafio atual do Flamengo

Vai ser preciso trabalhar muito.



Eis que o Corinthians é o campeão do Mundo.

É também o clube com o maior patrocínio do Brasil. Tem o maior contrato de material esportivo. A maior média de público, com o programa mais bem sucedido do país em termos de fazer o torcedor comparecer ao estádio. Um dos melhores centros de treinamento do Brasil. Constrói seu novo estádio. E ontem, pela primeira vez, viu uma pesquisa de um instituto importante colocar sua torcida empatada em tamanho com a do Flamengo.

Tivemos grandes transformações nos últimos três anos no mercado do futebol brasileiro. O Flamengo ficou parado no tempo. O Corinthians não.

Aí está o desafio da nova diretoria do Flamengo: fazer frente a este Corinthians.


* * * * * * * * * *

Claro, existem muitos caminhos para se dar bem no futebol. Mas é inteligente tentar aprender com quem tem sucesso.

Os novos dirigentes rubro-negros tiveram o discurso, durante a campanha que os elegeu, de que "o Flamengo precisa de ídolo". Falavam da importância de ter no time um craque que chame atenção, que alavanque a venda de produtos.

Quem é este cara no Corinthians?

É importante não perder o foco: marketing é legal mas, na hora de escolher jogadores, o mais importante é que eles ajudem seu time a ser vencedor. O resto é o resto.


* * * * * * * * * *

No ano passado, o vexame do time de Muricy fez muita gente discursar sobre o gigantesco abismo que existiria entre o futebol brasileiro e o europeu. Hoje ficou a impressão de que aquilo tinha mais a ver com o abismo entre Barcelona e Santos.

É claro que é na Europa que estão os maiores jogadores do Mundo. E que todos sabíamos que o Chelsea, embora seja um clube muito rico, não é um supertime no nível do Barcelona e de campeões anteriores da Champions League. Mas o fato é que o Corinthians hoje jogou de igual pra igual, dominou boa parte do jogo e não venceu por acaso. Mesmo com Cássio tendo uma grande atuação, não foi uma partida como as que deram os títulos mundiais mais recentes a clubes brasileiros, com Inter e São Paulo se fechando na retranca e contando com lances isolados para vencer. O Chelsea poderia ter vencido, mas em nenhum momento parecíamos estar vendo um confronto de time grande contra time pequeno.

E, por mais que a gente saiba que este torneio é mais valorizado por aqui do que por lá, a postura dos jogadores do Chelsea durante o jogo e após a partida, com direito a imagens de David Luiz chorando no gramado, deixaram claro que eles encararam sim o jogo como decisão de um título muito importante.

O que só aumenta o mérito deste Corinthians.

10 comentários:

Luis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis disse...

Eu tinha quase 18 anos quando o Mengão foi campeão mundial e me lembro de tudo (jogo, time e festa) como se fosse hoje. São tempos e realidades bem diferentes, mas o Liverpool (exceto naquele jog, quando entrou de salto alto) era muito melhor do que o Chelsea e tomou um passeio. Aquele tiome foi um dos 5 melhores times sulamericanos de todos os tempos.

O time do Corinthians é esforçado e sem estrelas, mas, além da casa arrumada pós Vicente Matheus e outros que seguiram, tem uma área de marketing super profissional, que trouxe a Globo para dentro do projeto deles.

O Fla precisa então arrumar a casa e limpar sua área política, contratar melhor, investir nas bases e, mais do que nunca, ter um marketing profissional que explore adequadamente o Manto e nossa Torcida.

Espero estar passeando com a família no extremo oriente no final de 2014!!!

Tiago Cordeiro disse...

Concordo sobre o craque, mas por outro lado foi com o Ronaldo que começou essa guinada do Corinthians. Ao menos no começo, embora não seja imprescindível, acho que isso pode ser importante.

lussiannosousa disse...

O que o Tiago falou tem sentido. Contrata a estrela pra levantar a moral e fazer uma força no mkt. Mas aí o craque tem que ser daquele naipe "indiscutível", que 'chama' jogadores e os fazem dizer "quem não quer jogar com fulano" e etc. Não é o caso do Robinho. Entre um Robinho de 10mi¢ e 1.2mi$R Eu prefiro 2 de 5mi¢ e 600milR$ - pra não dz 3 rss.

E antes que alguém que dorme de calça jeans venha com essa, deixo claro que isso não é uma reclamação, apenas uma discordância rs. Se o cara vier, massa.

lussiannosousa disse...

Pra não dz que eu não dei exemplo: Aimar. Um 10 clássico, experiente que poderia até servir de espelho pros moleques Adryan e Matheus. O contrato do cara acaba no meio do ano e parece que não haverá renovação, rolando inclusive especulação na Argentina. Viria sem multa, só salário que hoje não chega a 6miR$/ano. Alguém avisa ao Pelaipe.

André Monnerat disse...

Tiago, nada contra termos jogador famoso, reconhecido em todo o mundo, se o cara realmente jogar bola e estiver comprometido com o trabalho. Mas o principal é ter um time vencedor. Este é o foco, o objetivo é ter um time que ganhe títulos e não um cast de garotos-propaganda.

Lussiano, taí, gostava muito do Aimar. 33 anos, né? Não sei como ele está jogando hoje, teria que dar uma pesquisada, mas de primeira me parece uma boa ideia.

André Monnerat disse...

Pelo que li agora, o lance do Aimar é ver sua condição física. Ele vinha bem em Portugal até a temporada passada, mas nesta quase não jogou por contusão. Se fizerem exames e chegarem à conclusão de que ele tem jeito, acho mesmo uma bela ideia.

lussiannosousa disse...

Então André, eu tô "de olho" nele desde o meio do ano, qnd o contrato estava pra acabar e fizeram essa renovação por mais uma temporada. Talvez a contusão tenha algo a ver, mas acho que era carta marcada mesmo a saída dele, senão renovariam por mais tempo. Gostaria mesmo de vê-lo no Fla.

Paulomarcus Ferreira disse...

Prezado Andre ,

sou obrigado a discordar da sua analise,porque inicialmente ela já começa equivocada . O " projeto " corinthians começou atrelado ao imagem do Ronaldo Fenômeno . Que inicialmente deu retorno em campo e fora dele , levando inúmeros patrocínios ao clube e aumentando significativamente a exposição da marca na midia. Outro ponto importante foi a posição de destaque e influencia que o Andres Sanches assumiu no futebol brasileiro ,via Ricardo Teixeira e Rede Globo . Não podemos esquecer que o Itaquerão foi fruto da influencia do Lula . ressaltando , ainda que o chelsea é atualmente um time em reconstrução que vai mal das pernas em todas as competições que vem disputando.abs.
PM

André Monnerat disse...

Paulo Marcos, o projeto Corinthians começou bem antes do Ronaldo - na Série B, quando trouxeram o Mano Menezes, já tinham o Rosenberg, lançaram o Fiel Torcedor. A diretoria começou a trabalhar de outra forma ali e a torcida comprou a ideia, em um projeto que já era elogiado por todos e que foi tomado como modelo pelo Vasco no ano seguinte, inclusive.

O Ronaldo chegou em um segundo momento e foi mesmo importante, como um grande catalisador de um processo que já estava caminhando bem. Se não houvesse o trabalho anterior, a linha traçada, a chegada dele não teria o mesmo efeito. Aliás, R10 no Flamengo é um exemplo extremo do que estou falando.

Mas meu ponto, quanto a questão da necessidade do ídolo obviamente midiático, é que ele já deixou a equipe no início de 2011 e não buscaram nenhum substituto para este papel. Em campo, o time seguiu fazendo seu trabalho, melhor até do que com ele. E o que seguiu alimentando o crescimento do Corinthians e a conexão com o torcedor foram as vitórias. O perfil "operário" do time não atrapalhou, porque os resultados vieram.

É bacana ter uma figura carismática, que chame a atenção, inspire grandeza? Claro que é - mas mais importante é o time ganhar. Se for vencedor tendo este cara, bacana. Mas, de novo, o foco principal tem que ser se tornar vencedor.

No mais, claro que o Corinthians teve seus ganhos com a política e que o Chelsea não é, hoje, um time com desempenho em campo de top europeu, nível Barcelona ou ManUtd. O que não apaga o trabalho bem feito deles, não adianta querer se enganar.