Ronaldinho e a situação em que todo mundo está errado

Não dá pra livrar a cara da diretoria, do jogador, de seu empresário - e nem mesmo de parte da imprensa.



Ronaldinho não apareceu hoje no Ninho do Urubu, como a diretoria do Flamengo divulgou ontem que aconteceria. Há informações de que Assis e o irmão estão se preparando para uma rescisão pouco amistosa e não pretendem voltar a trabalhar no Flamengo; mas há ainda o clube dizendo que ele foi liberado para visitar a mãe doente e vai retornar normalmente. Escrevi aqui, antes da ausência destes dias, que os sinais todos indicavam que o jogador deixaria o Flamengo em breve. Não sei se realmente acontecerá nestes dias, ou se já está acontecendo. Mas, enquanto esperamos os próximos capítulos, dá pra dizer que esta é uma situação em que os envolvidos estão todos errados.

A diretoria rubro-negra, óbvio, está muito errada - pra começar, por não pagar o combinado. Errou lá atrás ao fechar com a Traffic uma parceria com equívocos em seu modelo e errou mais feio ainda ao assumir o valor total do que Ronaldinho deveria receber, no início deste ano, quando obviamente não tinha condições para isso. Com isso, não pôde tratar o cara de forma realmente profissional e, muito por este motivo, continuou errando em diversos episódios que inclusive levaram à demissão de Vanderlei Luxemburgo. Do jeito que tudo foi feito desde o ano passado, a aposta em Ronaldinho foi alta demais e amarrou todo o resto do clube em torno da relação com o jogador - no marketing, em decisões administrativas do futebol e até mesmo em opções táticas feitas por Luxemburgo e por Joel.

Ronaldinho e Assis estão errados. Claro, têm todo o direito de cobrar o que lhe devem e muito do que andaram fazendo acaba tendo que ser colocado em perspectiva por conta da irresponsabilidade da diretoria. Porém, ninguém pode dizer que Ronaldinho foi um exemplo de dedicação desde que chegou à Gávea e o lamentável episódio do saque à loja oficial do clube foi totalmente dispensável. Antes de sua contratação, eu escrevi que desistiria do negócio no momento em que se viu o que ele fez com o Grêmio, clube onde se formou. Muito rubro-negro, na época, riu dos tricolores gaúchos, mas aquele comportamento já indicava que a dupla jogador-empresário não era nada confiável. Defendo sua saída já faz tempo.

Até mesmo parte da torcida - em especial membros de organizadas - andou vacilando, ao não usar a mesma força usada para pressionar Ronaldinho nas cobranças à diretoria.

E, finalmente, de vez em quando anda também errada a imprensa. Sim, eu sei que o Flamengo dá audiência. Claro, Ronaldinho chama a atenção e é o assunto rubro-negro principal em um momento de crise. Óbvio, as notícias que envolvem tudo isso já são impressionantes por si só e merecem destaque. Mas carnaval tem limite.

Escrevo isso, especificamente, pela capa do Extra de hoje. A primeira manchete da primeira página do jornal é "Ele só não tinha dinheiro para comprar camisa", ao lado de uma foto de Assis contando algumas notas. Fica sugerido que ele anda gastando por aí, despreocupadamente, depois do que fez na Gávea para levar para casa de graça alguns produtos do clube - criou aquele caso todo mesmo nadando em dinheiro.



Só que, ao lermos o texto abaixo, descobrimos que na verdade ele estava pagando o estacionamento do hospital onde foi visitar sua mãe, internada com câncer. Ou seja: a chamada é uma pegadinha, de um sensacionalismo bizarro e de mau gosto. E é uma pequena amostra do que pode acontecer quando parece interessante ganhar audiência de qualquer jeito em cima de situações como esta. Infelizmente, é preciso filtrar muito do que lemos por aí.

4 comentários:

Raphael Perret disse...

Perfeito, André!

Raphael Perret disse...

"Errou lá atrás ao assinar com a Traffic uma parceria com equívocos em seu modelo"

Vocês lembram que, entre o anúncio oficial da contratação e a assinatura pra valer, passaram-se vários dias porque "os advogados de ambas as partes estavam analisando o contrato"? Putz, não quero assessoria jurídica dos caras que o Flamengo arrumaram, não!

saulo disse...

Jornal O DIA dando capa para um levantamento das multas do carro do Adriano. Jornal Extra dizendo que "supostamente uma pessoa de dentro do hospital ouviu o Assis falando ao telefone: -Pode Rescindir". O próprio Renato Maurício Prado que não se cansa de usar seus espaços para fazer campanhas pró ou contra alguém dentro do Flamengo; Sinceramente alguém tem que repensar essa relação do Flamengo com a imprensa. Urge blindar o clube, ou pelo menos o futebol. Hoje enquanto todos os veículos alardeam que o Ronaldo não vai viajar, Perrout e Apolinho afirmaram que ele está em um avião vindo pro Rio e fretara um avião pra Teresina. Quem tem razão?

Juliana disse...

O Flamengo está com uma Diretoria amadora e uma Presidente fora da realidade. O Flamengo está cavando a sua própria sepultura!