Brasileiro 2011 - 24a. rodada - Botafogo 1 x 1 Flamengo

O medo de perder prevaleceu e o técnico pareceu mesmo jogar pelo empate. Enquanto Luxemburgo não mudar seu jeito de escalar o time, vai ser difícil que a "fase ruim" acabe.


* * * * * * * * * *

É até cansativo escrever sempre a mesma coisa. Deem uma passada pelos textos sobre os jogos do Flamengo neste Brasileiro e reparem: em quase todos, mesmo quando o Flamengo vencia, eu escrevia que "na verdade, o time criou muito pouco". Há algumas poucas exceções, como os jogos contra Santos e São Paulo, mas é um padrão: mesmo na fase boa, este time que Luxemburgo montou não cria nada na frente. Quase todas as vitórias vieram ou em lances isolados de Ronaldinho ou depois que o técnico mudou o esquema com substituições durante os jogos.

O motivo é óbvio: ele arma um meio-campo sempre com Renato acompanhado de dois volantes, e é destes jogadores que o time depende para que a bola chegue aos homens de frente. Não vai funcionar nunca, não é preciso ser um gênio para entender o porquê. Falta saída de bola, falta armação no meio, falta gente na frente que abra o jogo e use a velocidade. Sempre foi assim, mesmo quando a fase era boa.

Mas antes a equipe ao menos conseguia manter sempre a posse de bola, o que fazia com que sua defesa - com uma zaga que sempre foi reconhecida como fraca - passasse menos sustos. Agora até isso anda se perdendo e o Flamengo está tendo bem mais dificuldade para manter o domínio dos jogos.


* * * * * * * * * *

Hoje, porém, ainda há algo mais a comentar: faltou ambição de vitória, o que é injustificável para um time que  não vence há tantas rodadas e vai ficando cada vez mais pra trás na classificação. Depois de sair perdendo por 1x0 do primeiro tempo, Luxemburgo não mexeu em seu esquema, limitando-se a trocar um centroavante por outro. Acabou dando resultado, pois Jael fez um golaço em jogada individual logo no início e, por uns 15 minutos, na base da empolgação - e um certo pânico que bateu no time do Botafogo -, o Flamengo foi melhor e rondou a área adversária. Mas, a partir de um lance em que Abreu perdeu grande chance após uma daquelas jogadas que nunca vemos no Flamengo - troca de passes, movimentação coletiva, ultrapassagem para ir à linha de fundo... -, o Botafogo se tranquilizou e reequilibrou a partida.

Daí até o final, o único lance de perigo que o Flamengo criou foi em um cruzamento de bola parada, que acabou com Renato soltando a bomba e Jefferson fazendo grande defesa. Foi só; depois do gol, a bola chegou pouquíssimo em Jael (e, quando chegou, bateu e voltou), como chegava pouco em Deivid antes. É isso: podem até trocar um pelo outro, mas com este time aí, qualquer centroavante vai sofrer. O Flamengo é hoje um time que ataca com muito pouca gente e isso deve ser levado em consideração até mesmo para analisar as atuações ruins de Thiago Neves (que hoje, no primeiro tempo, ao menos entrou na área para concluir, o que já foi uma evolução). Ele está mesmo mal, mas é difícil produzir alguma coisa com tão pouca companhia.

Depois do empate, Luxemburgo não fez nada para tentar ganhar o jogo. Trocou apenas um volante por outro e terminou com uma substituição na mão, que preferiu não usar. No final, os jogadores trocavam passes de lado, esperando a partida acabar, satisfeitos com o empate, coerentes com o comportamento de seu treinador. Não é surpresa então que, nas entrevistas após a partida, ele tenha dito que ficou satisfeito com o time; afinal, conseguiu exatamente o resultado que queria. Mas é bastante triste que, na situação em que o time está, o medo de perder tenha prevalecido e a ambição tenha sido tão pouca.


* * * * * * * * * *

Vale comentar também a participação muito ruim de Alex Silva no gol do Botafogo. Além de ter ficado plantado no chão, sem subir para cortar o cruzamento, deu as costas para o Loco Abreu de maneira infantil e por isso não viu ele se movimentando em direção à bola.


* * * * * * * * * *

O Botafogo até mostrou que hoje, coletivamente, é um time melhor que o Flamengo. Mas não venceu porque seu treinador também não teve ousadia nenhuma. Trocou um atacante por um meia ofensivo, um meia ofensivo por um volante... Nada que mostrasse vontade de ganhar. Também deve ter terminado satisfeito com o resultado. Mas, se quer mesmo ser campeão, deveria querer mais.



18/9/2011 - 16h - Botafogo 0 x 0 Flamengo
Engenhão - Rio de Janeiro, RJ
Renda/Público: R$ 600.495/20.805 pagantes

Árbitro: Péricles Bassols (RJ)
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés (RJ) e Rodrigo Pereira Joia (RJ)
Cartões amarelos: Renato (BOT); Alex Silva, Airton, Renato (FLA)

Gols: Herrera, 25'/1ºT (1-0); Jael, 4'/2ºT (1-1)

Botafogo: Jefferson; Lucas, Antônio Carlos, Fábio Ferreira e Cortês; Marcelo Mattos, Renato, Maicosuel (Cidinho, 38'/2ºT) e Felipe Menezes (Lucas Zen, 30'/2ºT); Herrera (Everton, 17'/2ºT) e Loco Abreu. Técnico: Caio Junior.

Flamengo: Felipe; Léo Moura, Alex Silva, Welinton e Junior Cesar; Aírton (Maldonado, 30'/2ºT), Willians, Renato e Thiago Neves; Ronaldinho e Deivid (Jael, intervalo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

2 comentários:

Eduardo disse...

Realmente, nunca vimos o time sem o Renato. Fui no jogo e vi um time sem nenhum esquema tático. Incrível como o Flamengo não tem jogada pelos fundos, etc... E o Luxa já está há 1 ano lá e não consegue montar um time. E percebo sim um desinteresse de alguns jogadores.
Ontem eu desisti te título. não dá!!

André disse...

Eu não vi o jogo por absoluta decepção com este time...

Entretanto a julgar pelos comentários do jogo podemos perceber que os problemas são sempre os mesmos e posso também colocar em discussão um ponto que faz muita falta no nosso elenco e que os melhores times do campeonato possuem:

Falta, claramente, um atacante que consiga o que o ABEL costumeiramente chama de VITÓRIA PESSOAL. Falta um jogador com velocidade e que consiga algum drible ofensivo para desorganizar a defesa adversária.

O time do flamengo é REPLETO de jogadores LENTOS na parte ofensiva do meio campo e ataque: Renato, Ronaldinho e Deivid. Thiago Neves até poderia ser este jogador mas...JAMAIS consegue superar seus marcadores, seja com um drible, seja em velocidade.

Léo Moura no passado conseguia estas jogadas mas já não possui mais físico para isto, assim como R10.

Por esta razão também não conseguimos encaixar contra ataques.

O time é PRECÁRIO tecnicamente e EXTREMAMENTE lento. Deste jeito é quase impossível vencer jogos sem algum passe genial do R10, ou gol de bola parada (faltas e escanteios)

Vamos perceber:

Vasco tem Diego Souza (sem velocidade, mas tem chute certeiro e bom drible) e Éder Luis (muita velocidade e alguma técnica).

O São Paulo tem o Dagoberto (velocidade, drible, técnica).

Corinthians tem 2: Liédson (Velocidade e colocação) e Emerson (muita técnica, bons dribles e alguma velocidade). Além disto tem o Adriano na espera que é um possui todas as habilidades de um excelente centroavante quando está a fim.

O Fluminense tem FRED com boa finalização e boa técnica além do Lanzini que está se mostrando um jogador rápido e com boa técnica.

O Internacional possui o excelente L.Damião com excelente técnica, alguma velocidade, boa finalização e até consegue dribles.

Até o Botafogo pode-se dizer que tem o Herrea que tem velocidade, muita raça e está acertando finalizações.

O que nós temos na frente??? NADA, ABSOLUTAMENTE NADA !!! Deivid é lento, não dribla e finaliza mal a beça. Thiago Neves é uma NEGAÇÃO. Não acerta mais que um chute no gol por jogo, quando acerta. NUNCA consegue vantagem pessoal em dribles ou em velocidade contra NENHUM defensor, seja do Bahia, seja do Vasco. Ronaldinho possui excelente técnica, ótimos passes, finalização boa mas já não consegue dribles e vantagem pessoal.

Deste jeito, e ainda por cima com uma defesa fraca realmente fica impossível. Para 2012 é preciso repensar o elenco e reformular o grupo. Algumas apostas foram claramente perdidas (Thiago Neves, J.César, Deivid) e as certezas do passado, são do passado (Léo Moura, Angelim, Willians).

Abraço a todos.