Brasileiro 2011 - 10a. rodada - Palmeiras 0 x 0 Flamengo

O time que não perde voltou a não perder, mas não fez questão nenhuma de ganhar.



A verdade é que o Flamengo teve ontem, contra o Palmeiras, uma atuação perfeita - pra quem busca um empate. O time marcou forte, foi pouquíssimo ameaçado e, mesmo jogando fora de casa, teve mais posse de bola que o adversário - houve momentos no primeiro tempo em que teve um domínio de mais de 60%. Agora, pra sair de lá com uma vitória jogando o que jogou, tinha que ter uma grande dose de sorte, pois não criou praticamente nada de perigoso em toda a partida. O que nem é surpreendente, considerando o time que vem sendo escalado e como ele vem se comportando a cada jogo.

Luxemburgo adquiriu um padrão nas últimas partidas. Ele escala sempre a mesma formação, que nunca funciona bem ofensivamente - falta articulação no meio e, na frente, faltam velocidade e alguém que saiba jogar aberto. Se o time sai atrás no placar, ele tenta resolver estes dois problemas com Bottinelli e Negueba e as coisas melhoram; no entanto, se não sofre gol e o resultado lhe parece bom, ele mantém o time amarrado até o final, apenas trocando o centroavante ali pela metade do segundo tempo. Foi o caso de ontem: o Flamengo claramente estava satisfeito com o empate e não quis se arriscar em busca de algo melhor. Isso ficou bem claro principalmente no segundo tempo, quando o time passou a abusar dos chutões pra frente, o Palmeiras começou a ter o domínio da partida e mesmo assim o técnico rubro-negro, sentindo que sua defesa se virava sem grandes riscos, não se mexeu pra tentar reverter a situação.


Dá pra lembrar de três lances de perigo: uma jogada individual de Thiago Neves pela direita, que terminou em boa defesa de Marcos; um bom passe de Ronaldinho no segundo tempo para Renato, que concluiu mal; e, forçando a barra, um giro do mesmo Ronaldinho em cima do adversário na entrada da área, finalizado com um chute fraquinho. E foi só. Por outro lado, o Palmeiras deve ter criado menos ainda. Então, se o empate fora de casa com um adversário direto era o objetivo, foi muito bem alcançado. Mas dava pra tentar ir além disso aí.


* * * * * * * * * * 



Individualmente, o Flamengo quase não teve destaques. Ronaldinho deu um ou outro bom passe, mas jogou sempre colado à linha lateral esquerda e participou menos do jogo do que devia, até por falta de alguém no meio que fizesse o time funcionar melhor. Sumiu de vez quando virou centroavante, como Luxemburgo sempre o transforma ao colocar Diego Maurício em campo, só voltando a aparecer quando cavou um cartão amarelo idiota e irritante que o tira do próximo jogo. Já Thiago Neves conseguiu apenas a tal jogada individual no primeiro tempo e, depois disso, não acertou mais nada e perdeu quase todas as bolas que pegou - deveria ter sido substituído muito mais cedo. A atuação que mais me chamou a atenção, vejam vocês, foi a de Wellinton no segundo tempo. Ele falhou feio no primeiro tempo, em um lance em que os palmeirenses pedem pênalti em Kléber, mas no segundo se recuperou e, com o Palmeiras atacando mais, jogou muita bola.

Vale ainda comentar a atuação de Léo Moura. Felipão colocou Luan para forçar o jogo em cima dele o tempo todo, pra prendê-lo na defesa, e deu certo: ele mal passou do meio-campo. A questão é: qual o sentido de liberar Willians pra avançar - é ele o único que busca as jogadas pela ponta direita no time, o que nunca funciona - e deixar Léo Moura sempre na defesa? Willians é ótimo ladrão de bolas - e só. Se tem que ser escalado, que fique atrás pra cobrir os avanços de quem sabe apoiar. Mas também está claro que Léo não resolve mais as jogadas pela ponta sozinho como em outros tempos e precisa da ajuda de algum homem de frente para combinar os lances pela direita. É o papel que Negueba sempre vinha fazendo ao entrar durante os jogos.


* * * * * * * * * *


Quanto ao Palmeiras, também é um time que sente falta de poder de criação no meio-campo. Marcos Assunção, importante sempre na bola parada, não é armador e joga no meio ao lado de dois volantes. O time marca muito e até tem na frente três jogadores que incomodam bastante o adversário, mas tem muita dificuldade para fazer a saída de bola com qualidade e trocar passes. É o que facilitou a vida do Flamengo em controlar a posse de bola durante boa parte do jogo.


* * * * * * * * * * 


E teve o tal lance do Kléber no final. Não sei nem se o Palmeiras não estava mesmo com a bola antes do jogo ser paralisado, mas ainda assim ele não deveria ter feito o que fez. O cara sabe jogar bola, mas tem uma cabeça lamentável - o que não se cansa de mostrar tanto dentro quanto fora de campo. Ainda bem que aquela bola não entrou, ou o tempo ia fechar.

20/7/2011 - 22h - Palmeiras 0 x 0 Flamengo
Pacaembu - São Paulo, SP
Renda/público: R$ 977.922,00 e 33.575 pagantes


Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS/FIFA)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR/FIFA) e Kleber Lúcio Gil (SC/FIFA)
Cartões amarelos: Luan, Gabriel Silva (PAL); Ronaldo Angelim, Thiago Neves, Ronaldinho Gaúcho (FLA)

Palmeiras: Marcos; Cicinho, Maurício Ramos, Thiago Heleno e Gabriel Silva; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Patrik (Tinga, 18'/2ºT); Maikon Leite (Dinei, 32'/2ºT), Kleber e Luan. Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Flamengo: Felipe; Leonardo Moura, Ronaldo Angelim, Welinton e Junior Cesar; Airton, Willians (Botinelli, 41'/2ºT), Renato e Thiago Neves (David Braz, 42'/2ºT); Ronaldinho Gaúcho e Deivid (Diego Maurício, 21'/2ºT). Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

6 comentários:

Mayson disse...

André,

ainda bem que aquele marginal não veio para o Flamengo. Sinceramente, é um cara que não decide, desagrega, e toda vez que o time precisa, ou ele é expulso ou está suspenso por ter sido expulso uma partida antes. E aquela molecagem no final, bem, nem tem o que dizer, queria ver fazer lá no RJ...

Fernando Almenara disse...

Realmente, o Fla tem sido muito burocrático quando o jogo está empatado.

Mudando de assunto.... Já desci a lenha no Willians várias vezes aqui no blog pela quantidade de cartões que toma e pela quantidade de faltas desnecessárias que ele faz. Porém, ele tem me surpreendido. Já são 3 jogos sem nenhum cartão. Será que isso é um sinal? 2012 é logo ali... hehe

heriton disse...

André,

É inadimissível a inoperancia do Renato no meio de campo. Eu acredito piamente que, com o Bottinelli no seu lugar o time teria outra cara ofensiva.

André disse...

O jogo foi bem o que você descreveu. Postura medrosa do Luxemburgo e acho que os 2 laterais não apoiaram porque o técnico mandou e nãõ porque o Felipão colocou esse ou aquele jogador pra jogar nas costas.

Léo Moura não é de hoje que não está apoiando. Realmente falta algum meia encostar com ele para combinar jogadas. Mas em outros tempos também faltava e ele apoiava mesmo assim. Estou achando que a idade está pesando...uma pena...é um excelente jogador de muito boa técnica que será muito dificil a sua reposição. O Galhardo ainda não tem a menor condição.

Temos todos os problemas que todos sabem...mas ainda assim estamos com um aproveitamento de time que em todos os outros anos estaria ou na liderança ou colado no líder. O que está pegando e éssa campanha absurda do Corinthians que só empatou com a gente. Porra...9 vitórias em 10 jogos...impossível.

Vamos ver contra o Ceará sem os 2 "craques" e torcer para o Cruzeiro.

obs: já virei piada aqui em Salvador devido a contratação do Jael, o Cruel. Foda... Eu devia processar o Flamengo por danos morais.

Luis disse...

Acho que o objetivo do Luxa é apenas Libertadores e ficar na moita esperando para dar o bote caso quem estiver em primeiro comece a perder. Está faltando ambição/ousadia, mas talvez dê certo.

A análise acima sobre o lado direito está perfeita. As funções entre Williams (que melhorou bastante o lado "Felipe Mello" dele) e Leo Moura parecem trocadas e o Galhardo por enquanto é apenas uma promessa de jogador razoável.

O time está bem na marcação e a defesa evoluiu.

O Luxa segue errando no posicionamento do Ronaldinho em pelo menos um dos tempos de cada jogo e o Thiago Neves voltou "estragado" do breve período na seleção (mais uma atuação fraca para a grana que ele recebe).

Triste é a besta do Kleber ter o espaço na midia que dão a ele e receber a grana que imagino que ele receba todo final do mês. Espero que o Mengão desista de vez desse cara. Não decide nada e só cria confusão.

Raphael Perret disse...

O Wellinton realmente melhorou bem nos últimos jogos. E olha que não tenho a menor paciência pras pixotadas desnecessárias dele. Deve ser o fator Alex Silva.

Mas, bem ou mal, atentemos pra um detalhe importante: o Flamengo não toma gol há 3 jogos, exatamente o período em que Aírton foi titular. Se incluirmos o jogo anterior, em que Angelim voltou a entrar em campo com o time, são 2 gols sofridos em 4 jogos. Que bom.

Em compensação, o ataque minguou... Dois gols em três jogos...

Se é pra botar um dos meias de centroavante, não seria melhor o Thiago Neves? Acho que ele finaliza melhor e tem mais faro de gol, apesar da má fase...