A missão de Silas

Silas foi anunciado ontem como o novo treinador do Flamengo. Ainda vou escrever mais sobre a escolha, mas de primeira posso dizer que não conheço seu trabalho de perto, mas me parece uma aposta válida. Fato é que uma mudança de modo de trabalho agora é bem vinda. O campeonato está chegando à metade e há muito o que fazer para o Flamengo jogar o que pode.

Eis uma pequena lista de tarefas para Silas, com prazo curto para serem resolvidas com sucesso:

- Manter o bom desempenho da defesa, uma das melhores do campeonato. O time precisa produzir mais na frente, mas sem comprometer o que já funciona lá atrás.

Atenção: "manter o bom desempenho da defesa" não é a mesma coisa que "manter Jean como titular", ok?

- Acabar com a dependência de Petkovic. O time só tem ele para armar jogadas, e ele simplesmente não tem condições de jogo - ainda mais com todo adversário sabendo que basta anulá-lo para o meio-campo do Flamengo não ter mais alternativa nenuma. É possível mantê-lo como titular? Talvez (tenho já sérias dúvidas), mas não mantendo a forma em que o time vinha atuando.

Silas vai precisar encontrar um outro esquema, uma nova escalação e ensaiar movimentos para que o time consiga se virar na criação sem Petkovic. Mesmo que ele ainda esteja em campo.


- Saber lidar com os limites físicos do elenco. Há jogador com muita idade, há jogador que estava sem jogar há tempos e ainda não está na melhor forma, há jogador que acabou de chegar, há jogador que está acima do peso... É gente demais fora da melhor condição em um time só, não há equipe que resista a isso. Não dá pra colocar mais de meio time se arrastando em campo e esperar que fique tudo bem o tempo todo.

É preciso trabalhar bem pra todo mundo chegar ao seu máximo o quanto antes. Já se sabe que, para isso, o time contará agora com um novo preparador físico trazido por Silas - torçamos para que faça um bom trabalho. Porém, enquanto não se chega lá, o treinador tem que ter a inteligência de saber quem pode ser utilizado, de que forma, em que função, por quanto tempo.

Esta talvez seja a tarefa que inclui decisões imediatas mais difíceis. O que é melhor: colocar Deivid pra jogar já, sem qualquer espera, insistir em Leandro Amaral também ainda longe de seu ideal ou ficar escolhendo entre Val Baiano, Borja e Diego Maurício? Qualquer uma das opções vai levantar críticas. Mas talvez o mais importante seja entender que se colocar um cara correndo menos, outro vai ter que correr mais. Se forem dois correndo menos complica bastante mesmo. Três, quatro ou cinco, não tem a menor condição.

- Avaliar melhor quem merece ou não mais oportunidades. Insisto que Camacho faz um tipo de papel que nenhum outro no elenco consegue fazer e por isso deveria ter mais espaço. Galhardo é outro garoto que parece levar jeito e ajudar o time a ter mais opções de jogo pelas pontas - assim como o renegado Fierro também pode fazer. Vinícius Pacheco, por outro lado, já cansou de mostrar até onde pode chegar. Reparem que estou deixando de falar de próposito dos atacantes recém-contratados...

5 comentários:

mborges disse...

Por falar em Fierro, cadê o cara??? Alguém sabe dele? Deve ter uns 3 meses que ele não joga... Ele está treinando? Se não, ele tá recebendo o salário normalmente? Nunca vi um cara ficar tanto tempo afastado pra uma negociação frustrada...

Paulo Sales disse...

Caro André,
Acho que o mapa da mina está mesmo naquilo que você falou no final. Essa molecada pode dar novo ânimo ao time, embora ainda não veja nem em Camacho nem em Galhardo condições para começar jogando. Mas são alternativas, assim como Fierro. O problema é a condição física dos jogadores mais velhos. Pet pode ser uma boa opção jogando meio tempo, talvez o segundo, e Renato, Val Baiano e Leandro Amaral precisam de recondicionamento urgente. Escalá-los ao mesmo tempo é uma mostra de insanidade. Acho que Silas pode render muito mais do que Parreira e do que Rogério. Vamos esperar.

Flávio disse...

A melhor notícia depois da saída do Rogério é a troca do preparador físico. Não sei se esse Emerson Buck é bom, mas certamente é melhor do que o que estava.
O Galhardo entrou bem contra o Atlético, mas contra o Guarani entrou mal, muito mal. É claro que ele não fez o pênalti, mas fez a falta que originou o escanteio do 1º gol dos caras.
Esses garotos devem ser muito bem lapidados, senão ficam queimados com a torcida e aí já era.

André disse...

O negócio esse ano é não ser rebaixado e começar do zero em 2011 mantendo a boa base que temos e planejando uma boa pré-temporada.

Com isto podemos fazer um bom papel na copa do brasil e na sul-americana para voltarmos em 2012 a libertadores.

Devemos também aposentar o Petkovic que já nos deu muitas alegrias nas tem uma hora que deve parar.

Abraço a todos e desisti de 2010.

Régis disse...

Acho que um dos grandes erros da comissão técnica demitida foi a falta de um planejamento para aproveitar melhor o Pet. É claro que não dá mais para o Pet ser titular em um time aos 37 anos, jogando domingo e quarta 90 minutos por jogo. É preciso poupa-lo de alguma forma. E o técnico e o preparador físico precisam chegar a um consenso como isso poderia ser feito.
Pode ser poupando ele em alguns jogos para aproveita-lo nos mais importantes, aproveita-lo apenas no primeiro ou apenas no segundo tempo, etc. Mas o que precisam fazer é deixar o Pet em condições físicas boas quando entrar em campo, e jogando a quantidade de partidas que ele tem jogado, vamos ter ele sempre "meia-boca" em campo, ou logo logo tendo uma contusão mais grave. SRN