Produtos culturais rubro-negros


Na terça-feira aconteceu o lançamento do Manual do Rubro-negrismo Racional, coletânea de textos escritos pelo Arthur Muhlemberg originalmente para o Urublog. Infelizmente não deu pra dar um pulo no Belmonte como eu pretendia, mas já tive a chance de dar uma lida.

Quem passa por aqui já deve ter visitado o Urublog, verdadeiro Jornal Nacional da blogosfera rubro-negra, e sabe qual é o esquema do cara: fanfarronismo explícito diário, sem nenhum constrangimento. Mas ele faz com estilo. Quem mais na Internet você já viu escrever sobre o Flamengo apontando nele as características do herói arquetípico construído pelos gregos antigos, comparando a estrutura narrativa dos 12 trabalhos de Hércules com os grandes momentos históricos rubro-negros - e, no mesmo texto, citar o vem-que-vem-que-vem-quicando funkeiro? Misturadas aos apelidos múltiplos e pouco sutis criados para jogadores e rivais, as citações que vão de Nietzsche e Schopenhauer ao Barão de Itararé mostram que ou o cara não ia pra escola só pra jogar bafo ou é um dos mais hábeis utilizadores do Google que existem por aí.

O livro traz exemplos desse estilo particular que Arthur foi construindo nesses anos de ativismo blogo-rubro-negro na web e mostra pelo que o Flamengo andou passando nesses últimos dois ou três anos - da arrancada joelsantânica de 2007 ao penta-tri de 2009, não deixando de falar do desastre do América do México no meio do caminho. Mas meu destaque é logo para o primeiro texto - o sensacional relato de como o urubu foi adotado definitivamente como mascote do Flamengo.

E é interessante ainda ver que a orelha foi escrita, vejam vocês, por um tricolor. Manda bem.


* * * * * * * * * * * *

Há pouco menos de um mês, ganhei de presente o DVD Flamengo - Pentatri - A hegemonia - que, parece, tem vendido muito. E é mesmo bem bacana.

Conseguiram construir uma narrativa boa de assistir, juntando comentários de um jornalista que acompanhou o time na campanha, cenas de bastidores, imagens bonitas da torcida no Maracanã, entrevistas com o elenco e todos os gols marcados ao longo do campeonato - sem deixar de falar dos momentos ruins, como os salários atrasados ou a derrota vexaminosa para o Rezende na semi-final da Taça Guanabara. O foco é bastante no capitão Fábio Luciano, que encerrou a carreira com o título. E é até impressionante ver a emoção com que Angelim fala de seu ex-companheiro de zaga.

Destaco ainda as duas músicas que compuseram para a trilha sonora original do DVD - um samba-rock sobre Fábio Luciano e o skazinho Tri de novo, que toca no trailer abaixo. Bem legal.





* * * * * * * * * * * *

Antes eu havia ganho também outro DVD, de um assunto com bem mais apelo pra mim: o Zico na rede. Mas olha, fiquei meio decepcionado.

Óbvio: tem muitos gols de Zico, muitos mesmo, e o Galinho comentando cada um deles - e só isso já o torna interessante. Mas o formato que criaram para mostrar o material ficou muito engessado, com um ritmo monótono mesmo, deixando o DVD um tanto frio demais - e olha que estou falando de um filme sobre o meu ídolo maior. Não acertaram no tom.



Ainda prefiro o DVD dedicado a Zico da Coleção Placar: Grandes craques, produzido na Itália, com uma narrativa bem mais bacana e emocionante. Mas esse só deve dar pra encontrar à venda hoje em dia num Mercado Livre da vida.


* * * * * * * * * * * *


E o outro produto rubro-negro a ganhar seu espacinho lá em casa é o livro O Mais Querido do Brasil em quadrinhos, em que Ziraldo conta a história do Flamengo em várias HQs. São episódios dedicados à fundação do clube, ao surgimento do departamento de futebol, à história do Manto Sagrado e a diversos dos mais importantes títulos rubro-negros. Não é genial, mas é educativo e pega as crianças (minha filha, que ainda está no meio do livro e agora já sabe que o clube nasceu no remo, conhece a primeira camisa etc. e tal, me contou que teve mais colegas dela de escola devorando as historinhas por lá).

E é bacaninha a primeira história, em que Ziraldo conta como ele mesmo - que também está fazendo trabalhos semelhantes sobre outros clubes - se tornou rubro-negro no interior de Minas, ouvindo a gaitinha de Ary Barroso comemorando os gols do Flamengo pelo rádio.

Um comentário:

AF STURT disse...

fAZ UMA PROMOÇÃO PRA GALERA AI...