E passou o debate

Sabe aqueles debates eleitorais em que o primeirão nas pesquisas se recusa a comparecer para não arriscar sua posição, fica lá a cadeira do cara vazia e os demais candidatos se juntam para, a cada oportunidade, criticar o ausente? Pois é - o debate de hoje entre os candidatos à presidência do Flamengo, na Rádio Bandeirantes, teve um tanto disso aí.

Afinal, nenhum dos links que publiquei para se ouvir online o debate funcionou. Assim, só pude acompanhá-lo já na segunda metade, a partir do momento em que um link na Justin.tv foi criado para transmitir o programa. Mas a impressão que este bom pedaço que ouvi me deixou é que não devo ter perdido muita coisa.

Já se sabia que Clóvis Sahione e Patrícia Amorim (que chegou a twittar durante o debate que estava entregando uma camisa do Flamengo ao Shimon Perez - então tá, né?) não estariam presentes; mas, além deles, também Delair Dumbrosck acabou não comparecendo. O resultado é que sobraram apenas Plínio Serpa Pinto, Pedro Ferrer e Lysias Itapicuru, que se mostraram candidatos com discursos muito parecidos - e, aliás, faziam questão de ressaltar isso em diversos momentos do debate, cheio de elogios mútuos e de levantadas de bola para o outro cortar de parte a parte. O confronto foi dos presentes contra os ausentes - com críticas até mais contundentes a Patrícia Amorim do que a Delair. Sahione até que escapou sem apanhar.

No final, foi feita a pergunta: se não pudessem votar em si mesmos, em quem votariam? E quem não escolheriam de jeito nenhum? Pra deixar claro o espírito da coisa, cada um disse que não daria seu voto a um dos que não estavam lá (com Plínio dizendo que "não entregaria a administração nem de uma loja minha à Patrícia"), e declararam suas escolhas hipotéticas entre os companheiros de mesa. Tomara que, se o vencedor acabar saindo dali, prevalesça essa bonita união em prol do Flamengo. E ficou a pergunta: afinal, com discursos tão afinados, porque são três chapas diferentes mesmo?


* * * * * * * * * * * *


Claro que seria mais elogiável se todos os candidatos lá estivessem - nunca é bonito fugir do debate. Mas João Silva, o apresentador do programa A Voz da Nação, não fez muita questão de esconder qual o seu posicionamento quanto aos candidatos ausentes e chegou a fazer um minidiscurso no final, pedindo votos apenas para os que lá estavam e batendo firme nos demais. Quer dizer: taí o álibi para a ausência dos que preferiram não se expor.

E o próprio formato do debate, com respostas sempre bastante curtas, não ajudou a aparecerem posições mais profundas dos candidatos em seus discursos sem grandes novidades sobre modernização, profissionalização, gestão responsável, reestruturação financeira etc. etc. Uma ou outra declaração chamou mais a atenção - como as de Plínio sobre os empréstimos que fez ao clube para que pagasse os salários dos funcionários e atletas -, fora um ou outro plano específico diferente aparecendo, mas sem muitos detalhes.


* * * * * * * * * * * *


Quem quiser ler um apanhado do que se falou no debate pode ir ao Twitter para conferir os meus posts durante o programa, com a tag #DebateFlamengo - como já citei, comecei a acompanhá-lo pela metade. Acreditem: os 144 caracteres nem me pareceram muito limitadores para publicar as respostas que ia ouvindo.

Mas também pelo Twitter apareceu a promessa de que o áudio completo será disponibilizado no site da AmoFla e até no Urublog. É só ficar ligado, ouvir e formar suas opiniões por conta própria.

6 comentários:

Nigro disse...

Mataram a candidatura do Areias, o único candidato realmente com propostas para o Flamengo e não para si. Infelizmente, seja lá quem ganhe, tenho convicção que perderemos mais 3 anos sem avançar em quase nada. Mas, torço para que eu queime a língua, o que acho bem difícil.

SRN

Tiago Cordeiro disse...

Como o Nigro disse aí, é uma pena a saída do Areias. Agora seria um momento de direcionar o debate para questões realmente relevantes.

Acho horrível que os dois candidatos não tenham aparecido e estranho que esses três estejam tão afinados. Talvez seja um sinal de que a disputa fica ente Delair e Patrícia. Oremos.

Tiago Cordeiro disse...

E a Patrícia entregando camisa na hora que debatiam os rumos do clube foi triste DEMAIS.

Sillas disse...

Sou só eu msm q tô botando fé no Delair?

Rodrigo Machado disse...

Minha opinião sobre os candidatos:
Patrícia: vai fazer algumas mudanças, nenhuma profunda. Continuaremos como estamos.
Delair: tem tocado alguns projetos interessantes junto com o marketing: cidadao rubro-negro, site oficial, pintura da Gávea, etc. Mas ainda teremos estrutura amadora.
Lysias: me surpreendi positivamente, pois não o conhecia. Mas tem umas idéias malucas, como abrir a folha de pgto dos jogadores para o público.
Pedrinho: Tipico PSTU, fala, brada, mas não vai conseguir nada no final. Tem idéias sem projeto que as sustente.
Plínio: se fizer tudo o que promete, seremos uma potência. Principalmente depois que incorporou idéias do movimento Fla21. Mas não confio nele.

Meu voto iria para o Delair. Pena o Areias e o Fla21 terem sido passados para trás.

Rodrigo Machado disse...

Minha opinião sobre o debate: pouco tempo para os candidatos apresentarem propostas. O Plínio não consegue cumprir com o tempo. Pedrinho gosta de bater na oposição e não de apresentar propostas. Ridículo o apresentador (e não o moderador - Arthur) se mostrar extremamente contra Delair e Patrícia (postura correta seria a da isenção). Como o André disse, essa posição deve ter sido um dos motivos da não participação dos candidatos.
Acharia melhor rodada de perguntas e respostas específicas para cada candidato, de forma que eles pudessem desenvolver melhor suas ideias...