Brasileiro 2009 - 27a. rodada - Flamengo 2 x 0 Fluminense

Clássico é clássico, tudo pode acontecer, certo? Hoje, não foi bem assim. A lógica e a diferença gigantesca entre os times de Flamengo e Fluminense prevaleceu. E o Flamengo nem precisou fazer tanto pra chegar a uma vitória tranquila e manter a incrível série de jogos sem levar gol. Já são quantos, mesmo?

Andrade desistiu de começar o jogo com Juan e até mandou o time a campo com três atacantes - mas mantendo Dênis Marques como um deles. O time mantinha a posse de bola, mas atuava torto - atacava basicamente apenas pela esquerda -, trocava passes com lentidão e ameaçava pouco o Fluminense. Pet parecia num mau dia, até dando furadas que não combinam com seu futebol, e Adriano, paradão entre os zagueiros, parecia que ia consagrar o jovem zagueiro tricolor Digão. O Fluminense, apesar de ter três atacantes, jogou mais no contra-ataque e até teve alguns poucos lances mais perigosos do que os que o Flamengo criou - a rigor, apenas uma conclusão perigosa, com Zé Roberto.

No duro, a melhor chance do Flamengo sairia de um lançamento sensacional de Adriano para Dênis Marques, mas ele não conseguiu nem chutar a gol. Taí uma característica de Dênis Marques: ele faz alguns dos lances mais perigosos do time nem irem pros melhores momentos, simplesmente por não conseguir nem concluí-los. Sua atuação desastrosa também foi boa parte da explicação para o fraco primeiro tempo do Flamengo - e até do jogo, bastante chato mesmo.

Tanto é que sua substituição por um volante conseguiu tornar o Flamengo muito mais produtivo no ataque. Willians entrou aberto pela direita e não só criou lances por ali como, com seu poder de marcação, ajudou Léo Moura a aparecer mais no ataque. Zé Roberto passou da direita para a esquerda e, com a companhia de Éverton, conseguiu aparecer mais no jogo e fazer provavelmente sua melhor partida pelo Flamengo. O time passou a ter jogadas pelos dois lados, a torcida sentiu que os jogadores voltaram mais ligados e começou a cantar - e foi o que bastou para que o jogo se resolvesse rapidamente.

Antes mesmo do primeiro gol, que aconteceu ainda aos 6 minutos do segundo tempo, Petkovic já tinha feito um grande lançamento para Adriano perder uma chance na cara do gol. Aos 18 minutos, em falha incrível da zaga tricolor, saiu o segundo (e olha que o jogo ficou parado quase todo o tempo entre um gol e outro, devido ao atendimento a Alan, que saiu do campo de ambulância após um choque de cabeça pelo alto). E aí o jogo acabou para o Fluminense.

Apesar do placar não ser tão dilatado, o Fluminense mostrou porque está na lanterna do campeonato com diversos lances bizarros de seus atacantes. A pequena torcida tricolor presente percebeu que não havia chance de reação e deixou o estádio cedo. No final, os rubro-negros gritaram olé até cansar, com o adversário olhando sem reação uma troca infinita de passes do Flamengo - e olha que o meio-campo do time, naquele momento, era formado pelos volantes Aírton, Maldonado, Willians e Toró. Com um pouquinho mais de capricho e vontade de ampliar o placar, poderia ter sido uma grande goleada.

Agora, são apenas 4 pontos separando o Flamengo do G4 e a semana reserva mais dois grandes testes para as ambições rubro-negras. Para continuar a recuperação na tabela, o time terá que vencer na ausência de Adriano, convocado para a Seleção - e, pela atuação de hoje de Dênis Marques, Andrade vai ter que pensar bem num caminho para que isso aconteça.



4/10/2009 - 18h30 - Flamengo 2 x 0 Fluminense
Maracanã - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$ 1.016.016,00 / 78.409 pagantes (82.566 presentes)

Árbitro
: Marcelo de Lima Henrique (Fifa-RJ)
Auxiliares: Marco Aurélio dos Santos Pessanha (RJ) e Ricardo de Almeida (RJ)
Cartões amarelos: David, Maldonado (FLA) Diguinho (FLU)

Gols
: Adriano, 6'/2°T (1-0); Adriano, 18'/2°T (2-0)

Flamengo
: Bruno, Léo Moura, David, Ronaldo Angelim e Everton; Aírton, Maldonado, Zé Roberto e Petkovic (Toró, 34'/2ºT); Denis Marques (Willians, intervalo) e Adriano. Técnico: Andrade

Fluminense: Rafael, Ruy, Digão (Cassio, 25'/2ºT), Luiz Alberto e Dieguinho; Fabinho (Marquinho, 23'/2ºT), Diguinho e Conca, Adeílson, Fábio Neves e Alan (Roni, 15'/2ºT). Técnico: Cuca.

4 comentários:

Flanatismo disse...

O G4 cada vez mais perto!!!
Adriano é foda mesmo...

SRN, Bruno Rocha


www.flanatismototal.blogspot.com

Mário Teresa, disse...

Fiquei feliz com a conciência tática da equipe, o Pet por exemplo, sofria marcação especial e inteligentemente recuou abrindo espaço pro Airton se adiantar sem qualquer marcação, e aparecer na frente.
O Léo Moura, tomou duas nas costas no primeiro tempo e na humildade, ficou mais preso a marcação até a entrada do Willians. Isso é maturidade tática.
Gostei da equipe, gosto desse comportamento dos jogadores, isso revela comprometimento.

DCF - SRN

Ique Muniz disse...

André, pensando nesse lance do ataque, o que você diria das opções que temos? Desde que foi pra Turquia e voltou, dá pra 'apostar' no Mezenga? O carinha foi goleador por lá, é novo e leve, poderia ser uma boa alternativa pra encarar o Vitória por exemplo... Ou não?

André Monnerat disse...

Ique, eu acho o seguinte: o Andrade é quem acompanha os caras no dia-a-dia, nos treinos. Ele deve ter mais subsídios do que nós pra saber quem tem jeito de melhorar, quem pode evoluir, quem mostra alguma coisa durante o trabalho lá deles.

E os casos do Pet e, agora, parece, do Zé Roberto tão aí pra comprovar isso.

Então, pela ausência de muitas alternativas e pelas características, eu vou entender se ele seguir com o Dênis Marques. E é o que ele deve fazer, mesmo.

Mas eu, olhando de fora, provavelmente daria chance ao Mezenga mesmo.