Brasileiro 2009 - 25a. rodada - Flamengo 3 x 0 Coritiba

50 mil pessoas no Maracanã, uma bela vitória e três belos gols. O mais rabugento dos rubro-negros vai ter problemas para encontrar quem esteja disposto a ouvir reclamações. O time soube aproveitar o momento da tabela e o time quase inteiro à disposição e em forma para criar um clima totalmente favorável para a reta final do campeonato. Agora é aguardar pra ver até onde podem ir jogando contra quem está no topo da classificação.

Os primeiros minutos do jogo tiveram o Coritiba marcando bem, concentrando todo mundo atrás da linha do meio-campo. O Flamengo tentava, como contra o Sport, valorizar a posse de bola - mas, com o bloqueio armado por Ney Franco, acabava trocando muitos passes no campo de defesa. Pet, como era previsível, era marcado sempre de perto e, com Fierro colocando-se basicamente como atacante, não havia muito mais opções de armação de jogadas. Com a bola, o Coritiba até conseguia chegar à entrada da área do Flamengo com certa frequência, embora não criasse chances.

O jogo parecia complicado. Com o tempo, o Flamengo até começou a conseguir alternativas para atacar usando Fierro e Éverton pelas laterais, e criou boas oportunidades - infelizmente, três delas caíram nos pés de Dênis Marques, que não conseguiu nem mesmo concluir a gol as bolas que se ofereceram a ele dentro da área.

Mas aí aparece a vantagem de ter jogadores decisivos no seu time. No que teve a chance de bater uma falta, Petkovic fez uma cobrança até emocionante - pra quem está vendo feliz este renascimento improvável do gringo, ela trouxe uma mistura de nostalgia com empolgação. E aí, pro segundo tempo, com o Coritiba tendo que sair mais por estar em desvantagem, o Flamengo recuou para usar bem os contra-ataques, os espaços apareceram e o cara desfilou um repertório de lançamentos impressionantes. Mesmo com a 43, ele fez a torcida reviver a sensação de ter um verdadeiro 10 em campo.

E com a vantagem de ter na frente um atacante como Adriano. Nestes dois últimos jogos, dá pra dizer que a dupla Pet-Imperador foi a coisa mais interessante de se ver em campo neste campeonato - é um tipo de futebol que time nenhum tinha mostrado até agora. Foram só dois jogos, ambos contra adversários rebaixáveis, claro. Mas quem pode não se empolgar com um gol como este que os dois nos apresentaram hoje? A movimentação, o lançamento, o toque por cobertura - tudo perfeito. E Adriano ainda fez questão de tirar a camisa na comemoração, pra levar o cartãozinho besta, mas mostrar como anda seu físico.

E, embora desta vez o adversário tenha conseguido ameaçar bem mais do que nas rodadas anteriores, criando algumas grandes chances de marcar - o bloqueio no meio hoje nem sempre funcionou tão bem assim -, foi o quarto jogo consecutivo sem tomar gol. Não há como negar: nesta fasezinha de jogos consecutivos contra adversários mais fracos, o Flamengo soube fazer o seu trabalho, com 10 pontos de 12 possíveis.

Agora vão começar os testes mais fortes para saber até onde este time pode chegar. Há muitos candidatos se apresentando para pegar uma vaguinha no G4 - tirando o Avaí, todos os que estão acima do Flamengo na classificação têm pinta de poder brigar pelo lugar na Libertadores, e até o Cruzeiro anda subindo de produção. Pra sonhar com alguma coisa, vai ser preciso se dar bem contra os times que estão na ponta. É bom que o Flamengo entre nestas partidas olhando os adversários de cima, sem medo e com a faca entre os dentes. Se ainda dá mesmo pra chegar em algum bom lugar neste campeonato, a hora de mostrar isso é agora.




20/9/2009 - 18h30 - Flamengo 3 x 0 Coritiba
Maracanã - Rio de Janeiro, RJ
Renda/público: R$ 797.765,50/47.921 pagantes (50.552 presentes)

Árbitro: Wilton Pereira de Sampaio (DF)
Auxiliares: Enio Ferreira de Carvalho (DF) e Cesar Augusto de Oliveira (DF)
Cartões amarelos: Aírton, Everton, Adriano e Bruno (FLA); Jéci, Leandro Donizete, Renatinho e Ariel (COR)

Gols: Petkovic, 33'/1ºT (1-0); Adriano, 11'/2ºT (2-0); Willians, 37'/2ºT (3-0)

Flamengo: Bruno, Léo Moura, Álvaro, Angelim e Everton; Aírton, Maldonado, Fierro (Willians, 20'/2ºT) e Petkovic (Erick Flores, 43'/2ºT); Denis Marques (David, 35'/2ºT) e Adriano - Técnico: Andrade

Coritiba: Edson Bastos, Rodrigo Heffner, Jeci, Dirceu e Renatinho; Jailton (Marcos Aurélio, 16'/2ºT) Leandro Donizete (Luciano Amaral, 16'/2ºT), Pedro Ken e Carlinhos Paraíba; Marcelinho Paraíba e Ariel (Rômulo, 24'/2ºT) - Técnico: Ney Franco

7 comentários:

Raphael Perret disse...

Vão dizer que as vitórias vieram contra times mal na tabela. É verdade. Então o Flamengo não fez mais do que obrigação. E quando o time se complicava contra as piores equipes do campeonato? Espero que esses tempos fiquem pra trás. Parabéns ao time, que vem se impondo. Agora, é encarar o Inter lá. Inter que tomou um vareio do Vitória, pelo menos no segundo tempo, e jogou como timinho, só no contra-ataque e falhando muito na defesa. Na boa, dá pra ganhar lá. É só não se acovardar.

André Monnerat disse...

É o que eu escrevi mesmo: tem que entrar em campo sem medo. O Andrade já teve o discurso de que "fora de casa o esquema tem que ser outro", que me deixa meio receoso.

Agora, quanto ao Inter, é bom dizer que eles são um time que costuma mesmo ter uma atitude diferente dentro e fora de casa, há muito tempo. É só lembrar como eles entraram pra jogar com a gente no Maracanã, na Copa do Brasil, e como foi depois em Porto Alegre. Acho que dá pra ganhar, tem que entrar achando que dá pra ganhar - o Cruzeiro foi lá e ganhou, não foi? -, mas não tem moleza não.

Raphael Perret disse...

As laterais são um bom caminho. Apodi e Leandro deitaram e rolaram no sábado, chegavam à linha de fundo com uma facilidade inacreditável. Como agora temos um centroavante decente, as chances com abertura pelas pontas aumentam.

Uma coisa que me chamou a atenção: Aírton toda hora aparecendo na frente. Será isso uma orientação tática do Andrade ou empolgação do volante? Willians tb apareceu bastante na ponta-direita, mas nesse caso já era fim de jogo e a disciplina tática não era tão forte.

Rodrigo Machado disse...

Cara, estou na linha da 'humildade'... Podemos olhar que temos 10 em 12 pontos, ou 10 em 18... ambos são verdadeiros.
Para evitar surpresas, prefiro olhar 10 em 18. Vencer o Inter é fundamental para pretensões ambiciosas. Empate não é de todo mal para quem briga pelo G-4.
Mas para o campeonato todo tenho um grande receio... Estamos em grande dependência do Adriano. Isso não é bom, porque infelizmente pode se machucar, ser suspenso, convocado e outras baboseiras...
Antes com o Emerson ainda tinhamos uma esperança, mas com Denis Marques, não!
Abraços e SRN

Renato Freire disse...

O grande problema do Flamengo fora de casa é a empolgação do adversário, qualquer que seja.

O estádio fica cheio, os caras vêm babando e a Globo transmite. Quando a fase está ruim, geralmente o Flamengo se estrepa.

O jeito é confiar na serenidade do Andrade e deste time. E lembrar que a imprensa gaúcha achou que o Inter atropelaria o Flamengo da Copa do Brasil, o que não aconteceu. Eles estão mais humildes.

Daniel Felix disse...

André, você acha que o Flamengo está tão equilibrado assim?
Vejo as notícias explodirem na mídia, até em título eu escutei.
Você acha que o time está equilibrado? sera que os jogos em casa facilitaram?
Abraços

André Monnerat disse...

Daniel, como falei, acho que o time fez mais do que bem o seu trabalho nesses joguinhos aí. Eram partidas de vitória obrigatória, mas o time venceu e convenceu.

O negócio agora é ver se passa no teste contra os adversários mais cascudos. Mas que tá bonito de ver o Pet e o Adriano jogando, tá.