Tudo muito complicado

Juca Kfouri publicou ontem, no seu blog, um e-mail de Augusto César Sansão, falando da tal reunião conturbada na Gávea onde Márcio Braga foi tratar com os conselheiros sobre o apocalipse financeiro que se aproxima do clube. Com o título "E o Flamengo quebrou", o texto traça um futuro negro e, em meio à descrição da catástrofe, elogia a galhardia com que o Dr. Leonardo Ribeiro, presidente do Conselho Fiscal do clube, rebateu os argumentos de Márcio Braga.

Está claro, como já escrevi aqui, que as contas do clube vivem um momento caótico. E que, por mais que as dívidas de anos anteriores sejam monstruosas, não dá pra eximir de responsabilidade os administradores que lá estão já há alguns anos - até porque parte deles é justamente responsável por uma boa parcela destes débitos, em admnistrações passadas.

Mas é preciso cuidado pra falar da política interna do Flamengo. Poucos realmente entendem as disputas e os grupos que existem na Gávea. Eu não sou um deles. Mas dá pra tentar arranhar a superfície da coisa.

Augusto César Sansão, o autor do e-mail, é o 2o. secretário do Conselho Fiscal do Flamengo - foi eleito para o cargo justamente na chapa encabeçada pelo Dr. Leonardo Ribeiro, elogiado por sua galhardia. Textos de sua autoria, como este enviado a Kfouri, são fáceis de encontrar em fóruns e listas de e-mail espalhados pela internet - tente o Google. Não o conheço, não sei quais são suas atividades extra-clube, mas é interessante pescar em uma notícia antiga que este mesmo conselheiro, que hoje cobra o controle rígido do dinheiro que passa pela Gávea, foi o único a votar a favor da contratação dos medalhões Romário, Sávio e Aldair - isso em 2002, quando o presidente interino pós-impeachment de Edmundo Santos Silva era Gilberto Cardoso Filho, que assumiu o cargo em meio a uma crise financeira monstruosa, antepassada da atual.

Dr. Leonardo Ribeiro é ninguém menos que o Capitão Léo, ex-chefe de torcida organizada, ex-dirigente do futebol do clube (durante a gestão Edmundo Santos Silva), ex-candidato à presidência (mas abdicou da disputa no último dia, para apoiar Edmundo, e declarou que teve, na campanha, a ajuda de Romário, então jogador do Flamengo, bancando camisetas). O mesmo que hoje ataca o descontrole das finanças rubro-negras foi, segundo ele mesmo, o grande responsável - junto com a Jovem Fla - pela aprovação das contas de Edmundo Santos Silva pelo Conselho do clube, quando o ex-presidente já sofria em meio à CPI do futebol.

E é claro que tudo isso tem a ver com as eleições de novembro na Gávea. Há apenas um candidato já declarado - José Carlos Peruano, o Barack Obama da Gávea, também oriundo de torcidas organizadas.


* * * * * * * * * * * * * * * *

Atenção: nada disso diminui o tamanho do buraco criado na Gávea ou a responsabilidade sobre ele de Márcio Braga, Kléber Leite e outros. Mas é bom entender que esta crise atual estourou em ano de eleição, o que complica tudo. Que, por lá, os nomes que disputam o poder mudam pouco ao longo dos anos. E é óbvio que, até novembro, ainda vamos ler muito mais histórias desse tipo. 

2 comentários:

Marcos Monnerat disse...

Pois é. Se for fazer uma pesquisa para cada nome desses que aparece falando da política e das finanças do Flamengo você vai ver uma ligação anterior com Edmundo Silva, Marcio Braga e/ou Kleber Leite. O que só confirma a tese de que são todos do mesmo barco disputando quem vai sugar mais as receitas do Flamengo. Deprimente...

vôo do urubu disse...

O filme que não sai de cartaz na Gávea é Ali Babá e os 40 ladrões.

Ainda assim, saudações rubronegras!