Copa do Brasil - Quartas-de-final - Flamengo 1 x 2 Ceará

Aconteceu: acabou a invencibilidade. E num momento bastante complicado.




* * * * * * * * * *

Luxemburgo voltou a usar a mesma formação dos dois últimos jogos, dando a entender que finalmente achou seu "time ideal". No primeiro tempo, isso foi o bastante para controlar a posse de bola quase todo o tempo e se aproximar com facilidade da área do Ceará. Só que, dali pra frente, o time não sabia como definir os lances, que invariavelmente terminavam em cruzamentos ruins, nunca da linha de fundo, de Rodrigo Alvim, Galhardo e Ronaldinho Gaúcho.

A questão é que a dupla de meias não funcionava. Bottinelli ainda criou uma boa jogada - a única do time em todo o primeiro tempo, que terminou com chute perigoso de Galhardo -, mas participou pouco do jogo. Thiago Neves, como acontecera contra o Vasco, também esteve muito apagado. E, sem os armadores aparecerem, sobrava para - vejam vocês! - Deivid armar o jogo, saindo da área o tempo todo. Fato é que, com todo o controle de bola que teve, o Flamengo deve ter chutado a gol mais ou menos o mesmo número de vezes que o Ceará. E desceu perdendo para o vestiário.

Pro segundo tempo, Luxemburgo abriu Thiago Neves pela direita, Bottinelli pela esquerda e o time melhorou. As jogadas saíam mais pelas pontas e deixaram de terminar sempre nos burocráticos e mal feitos cruzamentos dos laterais - eram os meias quem definiam os lances. Bottinelli não fez boa partida tecnicamente, mas ao menos passou a participar mais. Já Thiago Neves, pelo outro lado, passou a criar lances seguidos de perigo. O gol de empate parecia maduro.

Só que, no primeiro contra-ataque que conseguiu, o Ceará ampliou o placar. Com a grande desvantagem, Luxemburgo mexeu no time - mas de um jeito que ninguém no Engenhão entendeu, colocando Fierro no lugar de Rodrigo Alvim. Fato é que deu certo: o chileno foi algumas vezes à linha de fundo, cruzou muito melhor do que os que tentavam antes e conseguiu, dali pra frente, criar as melhores jogadas do time - inclusive a do gol de Wanderley, que entrara bem no lugar de Deivid.

Porém, depois do gol, o Flamengo não conseguiu realmente criar jogadas organizadas para o empate. Thiago Neves não manteve o ritmo e o time teve uma única grande chance - em cruzamento de Fierro, Angelim cabeceou para defesa milagrosa de Fernando Henrique -, mas não teve forças para vencer a enorme retranca cearense. Poderia ter sido até pior, se Geraldo não tivesse perdido quase embaixo do travessão a chance de fazer o terceiro gol de seu time, num lance inacreditável armado nas costas de Galhardo quando ele jogava improvisado de lateral esquerdo.

É o tipo do jogo que alguns analistas dirão que teve um resultado injusto. De fato, o Flamengo dominou o tempo todo, teve até bons momentos (outros ruins...) e criou o bastante pra ter um placar melhor; se compararmos com atuações anteriores, esteve longe de ser dos piores jogos deste time na temporada. Mas deficiências conhecidas de seu elenco e falhas feias nos gols cearenses acabaram definindo o jogo.


Dois gols entregues

O Ceará fez muito pouco pra conseguir o grande resultado que conseguiu: apenas aproveitou enormes bobagens da defesa rubro-negra, em duas das raras oportunidades em que tentou atacar.

No primeiro gol, Willians - que hoje errou passes demais, como já tinha feito contra o Vasco - fez uma falta boba, totalmente desnecessária. E Felipe lembrou uma falha recorrente de Bruno: na cobrança de falta, deu um pulinho que finge que vai mas não vai e, quando tentou se mexer mesmo, a bola já tinha entrado.

No segundo, a marcação demorou uma eternidade para se recompor em um contra-ataque que nem foi muito rápido. A zaga ficou exposta, Wellington saiu mal na marcação de Geraldo, parte dos defensores demorou a ir atrás dele por reclamar um toque de mão e Felipe foi mal na bola. Uma falha generalizada que deixou o Flamengo numa situação bastante difícil pra passar de fase.



É difícil um time jogar bem com laterais tão mal

Léo Moura está fazendo muita falta. Galhardo está tendo a chance de fazer uma sequência de jogos e não foi bem em nenhum deles. Hoje, me convenci de que, enquanto Léo Moura não voltar, o melhor é usar mesmo Fierro improvisado por ali - e olha que eu, dos poucos que defende até hoje a utilidade do chileno, nunca gostei dele nesta posição.

Pela esquerda a situação é mais complicada. Alvim segue provando que é tão ruim quanto todos acham, mas e aí? Egídio não convence e não ficou nem no banco e as demais opções que Luxemburgo testou durante o ano - as improvisações de Angelim e Renato - também não animam. Acho cada vez mais estranho que ele não tenha nem testado até hoje o garoto Anderson, que fez uma boa Copa São Paulo. Mas não dá também pra cravar que ele, que nunca jogou entre os profissionais, possa ser a solução.



Ronaldinho testa os limites da paciência

Vai ser preciso muito contorcionismo de retórica pra defenderem a atuação de Ronaldinho hoje - e o pior é que não foi tão diferente assim da maioria de seus jogos desde que chegou ao Flamengo.

Mesmo nos momentos em que apareceu pro jogo, mais no primeiro tempo, ele matou quase todas as jogadas de que participou - ou perdendo a bola, ou errando um passe, normalmente fazendo um cruzamento forçado da intermediária. No segundo tempo, quando o time foi pra cima, ele quase sumiu de campo, principalmente depois do segundo gol cearense. E logo antes perdeu uma chance incrível de marcar.

Até agora os resultados andaram salvando ele de receber vaias mais pesadas da torcida do Flamengo. Hoje já aconteceu de leve. A verdade é que, por mais que haja um discurso de que "ele pode resolver um jogo a qualquer momento", ninguém que esteja assistindo aos jogos realmente espera que isso aconteça.



5/5/2011 - 22h - Flamengo 1 x 2 Ceará
Engenhão - Rio de Janeiro, RJ
Renda e público: R$ 306.520,00 / 14.711 pagantes / 17.127 presentes

Árbitro: Marcos André Gomes da Penha (ES)
Auxiliares: Fabiano da Silva Ramires (ES) e Kléber Lúcio Gil (ES)
Cartões amarelos: Bottinelli e Willians (FLA); Geraldo e Fernando Henrique (CEA)

Gols: Marcelo Nicácio 43'/1ºT (0-1), Geraldo 20'/2ºT (0-2) e Wanderley 30'/2ºT (1-2)

Flamengo: Felipe, Galhardo (Diego Maurício 39'/2ºT), Welinton, Ronaldo Angelim e Rodrigo Alvim (Fierro 23'/2ºT); Willians, Renato, Bottinelli e Thiago Neves; Ronaldinho Gaúcho e Deivid (Wanderley 29'/2ºT) - Técnico Vanderlei Luxemburgo.

Ceará: Fernando Henrique, Boiadeiro, Fabrício, Erivélton e Vicente; João Marcos, Eusébio, Thiago Humberto (Murilo 32'/2ºT) e Geraldo; Iarley (Osvaldo 39'/2ºT) e Marcelo Nicácio (Washington 23'/2ºT) - Técnico: Vagner Mancini.

17 comentários:

Gabriel Folha disse...

No ataque o Flamengo tem dois de seus piores jogadores, Ronaldinho Gaúcho não funciona ali, talvez fosse melhor mais recuado, se é que surtiria algum efeito.

Não da mais pra insistir com o Deivid, de longe o atacante mais inofensivo que vi no Flamengo. Ele se mantém pq, embora extremamente lento e inoperante, ainda consegue passar a bola pra trás.

Fato é que o tal Wanderlei em 20 minutos fez mais do que o Deivid em todos os seus jogos pelo Flamengo.

Não, o Wanderlei não é um grande atacante, isso só escancara a absoluta falta de condição de termos o Deivid sequer como opção.

Com esses dois a menos fica complicado vencer.

Me parece ainda mais grave do que a lateral esquerda (embora seja gravíssima a situação) e a zaga.

Luis disse...

Já tenho até uma fita gravada ou texto pronto para copy/paste: a zaga é fraca, não temos lateral esquerdo, o meio de campo está mal armado (e o Ronaldinho mal posicionado em campo) e o ataque não existe. O time é ruim.

Para piorar, o trainee de lateral direito ainda tem que treinar muito fundamentos e o Williams segue porra louca.

Sorte que perdemos agora e que deve cair a ficha para todos, porque o Carioca pode ter enganado muita gente. Vamos ver se a casa é arrumada daqui pra frente. De novo: o time é ruim.

Eduardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo disse...

André,

Seu comentário foi perfeito. Com Alvim realmente não dá.

Agora queria lhe chamar a atenção para outra coisa. O amadorismo da direção do Flamengo.

Ontem resolveram fechar o setor Oeste do Engenhão, pois esperavam pouco público. O que eu vi ao chegar no estádio foi o caos. Bilheterias superlotadas as 21:40, impossível comprar ingressos, uma zona total, sem ninguém para organizar nada. Como não me programei e não tenho mais saco para encarar esses tumultos achei nos cambistas a solução. Eles atuavam na porta do estádio livremente vendendo ingressos de meia entrada por R$ 50,00, enquanto o Setor Oeste fechado.
Realmente, eles estão pouco se lixando para nós.

Murdock disse...

Com Alvim dá. Dá pra perder tudo o resto do ano. A lateral direita melhora com o Léo Moura mas com aquela avenida ali na esquerda fica difícil.

Ontem na hora que o Fla era melhor o Ceará conseguiu o contra-ataque, típico de time que joga pra se defender, coisa que eles nem fizeram no primeiro tempo.

De qualquer forma, acho que não é ruim perder a invencibilidade, tira um peso, um tipo de dever, do time.

fla_2010 disse...

Não foi necessário nem enfrentar um time melhorzinho pra ficar evidente que o Flamengo não tem time pra jogar o Brasileiro.
Galhardo pode ser até que seja útil daqui a 3 anos, mas enquanto isso, Fierro, mesmo fora de posição, é muito superior! Fato é que sem Leo Moura, o time (que já não tinha saída pela esquerda) fica só jogando pelo meio.. e, se os jogadores de meio estiverem mal (como ontem), time fica totalmente estático!
Por fim, goleiro (que tem crédito) foi mal ontem.. displicente das duas faltas cobradas no 1.tempo!

Marcos Monnerat disse...

Não concordo que perder agora pode ter sido bom porque tira o peso do time. O compromisso de vencer sempre tem que ser permanente no Fla. Especialmente num time que tem jogadores tão caros quanto Ronaldinho Gaúcho, Thiago Neves, Felipe, Deivid (!) e outros.

O time do Flamengo precisa urgentemente melhorar os fundamentos. Vi claramente o time tentando trocar passes no meio campo para tentar abrir a defesa do Ceará. A lá Barça. Só que o passe do Willians era forte demais, o do Renato sem direção. Galhardo e Botineli não conseguiam matar a bola direito e Ronaldinho e Thiago Neves levavam 10 segundos para conseguir controlar a bola.

Aí não tem jeito. Só restou o chuverinho pra área que o time tentou no segundo tempo inteiro sem sucesso.

Os dois gols tiveram colaboração do Felipe que anda se inspirando mesmo em Bruno Pulinho. Especialmente nas faltas.

E descobri quem é o bonde sem freio. Nosso zagueiro Wellington. Como é fácil driblar esse rapaz. Meu Deus!

daniel disse...

eu só queria saber quando é que o R10 vai tentar as jogadas individuais, quando é que ele vai pelo menos tentar usar toda a habilidade que Deus lhe deu e partir pra dentro dos beques!! a impressão que se tem é que ele ta sem confiança pra fazer isso. alem disso quando é que o Luxa vai perceber que ele ta sendo mal escalado? ele não é nem nunca foi centroavante!

Bosco Ferreira disse...

Derrota repercutiu no mundo todo e serviu de chacota para nós. Será que o R10 liga para isso e vai devolver 80% por cento do que ganha até jogar metade do que joga o Angelim? Só quero a metade.
http://blogs.diariodonordeste.com.br/timedefora/repercussao-mundial/comment-page-1/#comment-22592

Pablo Alcântara disse...

O Ronaldinho é burocracia pura. Ele não quer arriScar, ir pra cima. Ele quer dar sempre toques geniais, com style e erra SEMPRE.

Chegou pro Deivid.

Não dá pra entender aquele imbecil do Welinton ficar pedindo mão na bola e ficar parado. Pra mim, a zaga tem que ser a que foi campeã em 2009, Angelim e David. O Welinton, como diria o Cuca, é burro. Só dá chutão.

lussiannosousa disse...

Não achei uma boa atuação como alguns dizem. Primeiro tempo teve o controle de bola mas não foi agudo. Segundo tempo foi agudo na correria e pq o Ceará se encolheu, mas ng aguenta jogar assim 90 minutos.

Mas o duro mesmo foi ver o R10 ENCALHADO na grande área a partir dos 30 do 2° tempo obrigando o WANDERLEY sair da área e ARMAR as jogadas. Não sei o que é pior, ele está encalhado pelo físico ou pq se escondeu por não jogar nada.

Ainda acredito muito na classificação, mesmo no empurra, sem tática. Engenhão não é casa do Flamengo mais do que Fortaleza será.

Tiago Cordeiro disse...

Sem velocidade e agressividade a gente tinha que ter Messi e Cristiano Ronaldo pra resolver. Um centroavante rápido e finalizador no lugar do Deivid já melhoraria demais as coisas.

daniel disse...

eu só queria saber quando é que o R10 vai tentar as jogadas individuais, quando é que ele vai pelo menos tentar usar toda a habilidade que Deus lhe deu e partir pra dentro dos beques!! a impressão que se tem é que ele ta sem confiança pra fazer isso. alem disso quando é que o Luxa vai perceber que ele ta sendo mal escalado? ele não é nem nunca foi centroavante!

Giovani disse...

Todo mundo comentou, falou do Deivid, do Galhardo, do Rodrigo Alvim, do Wellington, do Ronaldinho Gaúcho, do Felipe....

...e ninguém falou nada do Luxemburgo!

Ora, o problema do Flamengo está no técnico!

Ruim, ultrapassado, monta o time com base em esquemas extra-campo!

Vai ser preciso tomar uma goleada de algum time, tipo o desmoralizante 6 a 0 do Coritiba para o Palmeiras, para que a torcida caia na real e enxergue que o time é ruim, porque o técnico é ruim?

Já não passou da hora de exigir da diretoria a saída do Luxemburgo?

Ou vamos esperar uma sequência de tropeços no Brasileirão (que, inclusive, comprometam a disputa do título) para nos vermos livres do Luxemburgo?

daniel disse...

concordo em parte com vc giovani... acho que o Luxa tem parcela de culpa no fato de o time não estar jogando bem... mas não acho que a culpa seja somente dele... acho que ele precisa mesmo rver seus conceitos... como eu disse no meu post anterior, acho errado ele colocar R10 como centroavante, mas não acho que ele seja hoje um técnico tão ruin... o cenári do futebol brasileiro é desanimador no que se refere e treinadores. Luxa já foi melhor, hoje há alguns melhores que ele, mas também ele não é dos piores!!

Eduardo H. Costa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo H. Costa disse...

O primeiro gol foi uma falha medonha do Felipe. É armar a barreira de um lado e fica de olho no outro lado. Mas correu pro lado errado...

No segundo gol, percebam onde está o nosso lateral ESQUERDO. O fela do R. Alvin larga a esquerda ao relento, perde na direita e a zaga inocente leva um gol.

Tem é que insistir no Egídio até dar certo. Tipo Obina. É SÉRIO!

Thiago Neves me demonstra uma raça felomenal. To gostando dele no Flamengo.

Galhardo mesmo vacilando, é esperto e conserta a maioria dos seus erros.

Wellinton sempre foi um brucutu. O problema é que ele se acha o fodão experiente e sempre que tentar ser esperto a gente se lasca. O cara tem porte físico e só. Tem que se focar no simples sem nos comprometer.

Ah sim, mesmo com a lambança de R. Alvin e cia, achei o segundo gol irregular. Foi mão.

Enfim, nesse jogo FINALMENTE ENTENDI a tática do Luxa. Ele anda jogando muito poker e aprendeu uma jogada chamada BLEFE. Então ele resolveu blefar no futebol também. Na verdade é um blefe seguido de ALL IN(aposta tudo)! Ele diz que jogamos como o Barça arma o time errado e quando o adversário saca a cagada, abre o placar. Dai ele muda o time pra consertar e parte pro ALL IN(seja o que Deus quiser).

To pensando em mandar um 38 pro Luxa brincar de roleta russa...

Foi mal Zico, mas o seu padrinho ta vacilando!

Ah sim, R10 ta velho moçada. Não esperem muito dele. Vai ser sempre um futebol nota 6 com raros lampejos nota 10.