Luxemburgo, estádio, tijolinhos, Zico presidente*

Eis que surgiram de uma vez só uma porção de assuntos para se falar de Flamengo sem tocar no time em si. É bom, né? Por que ninguém pode estar se animando a falar do que o Flamengo tem produzido dentro de campo. Em termos de futebol mesmo, só que dá pra torcer é pro ano acabar.


Não só porque não há mais objetivos a serem alcançados – a não ser a fuga do rebaixamento, que só não conseguirão se derem muito, muito, muito mole. Mas também porque não há motivo nenhum para se acreditar que o time vá conseguir, ao menos, apresentar um futebol um pouquinho mais agradável nestes poucos jogos que faltam, pra ao menos não irritar aqueles que ainda se dispõem a gastar seu tempo assistindo ao Flamengo jogar.

Depois de uma certa euforia inicial pelos efeitos de ter “um técnico de verdade” treinando e orientando o time, o que se vê agora é um Luxemburgo repetindo problemas de seu tempo de Atlético – mostrando falta de clareza no que imagina do time, efetivando de titular gente que nunca tinha entrado em campo antes, barrando outros pra depois recolocá-los no jogo seguinte, mudando de esquema seguidas vezes. E vamos combinar: este meio-campo anunciado para amanhã, com Maldonado, Correa, Willians e Pet, é exatamente o tipo de coisa que despertava comentários irados sobre como Rogério Lourenço não tinha a menor condição de ser treinador do Flamengo.

Mas é isso: em termos de futebol, o negócio é esperar mesmo o ano acabar. E torcer para que, em 2012, o povo por lá já comece o ano tendo idéias mais claras sobre o que estão fazendo.


* * * * * * * * * * * * *


Mas, como disse, surgiram vários assuntos interessantes extra-campo para ocupar melhor as conversas rubro-negras. É o caso da campanha do tijolinho (sobre a qual já escrevi dizendo que espero mais clareza em alguns de seus pontos e contando que ela foi conceituada pela Ambev, que continuará participando de sua gestão e deve investir em mídia na TV e em impressos para divulgá-la); do tão aguardado Museu do Flamengo, que terá sua pedra fundamental lançada nesta terça-feira; e de todo o papo sobre a chance do clube construir seu próprio estádio, o que já foi bastante comentado aqui no FlamengoNet.

Vejo esta questão do estádio como algo muito complexo, difícil de se dar opinião sem dados mais concretos. De primeira, me parece que Duque de Caxias seria uma localização que levantaria uma porção de dificuldades para que a nova arena rubro-negra rendesse tudo o que poderia em outro lugar, e talvez ter um estádio próprio com estas limitações simplesmente não faça sentido. Por outro lado, seria bonito ver um projeto grandioso com a marca do Flamengo revitalizando uma área necessitada, dando um impulso econômico a uma região cheia de rubro-negros. Mas há muito mais o que se analisar para ser contra ou a favor de algo assim – coisas que incluem os termos da parceria com quem for erguer o estádio, o seu modelo de negócios, as obras que seriam feitas no entorno pelo poder público (e é bom ter bem claro na mente que não há chance de qualquer clube, com qualquer diretoria, erguer um estádio para 50 mil pessoas sem uma enorme dose de boa vontade do poder público, em qualquer lugar que escolham), o papel do Maracanã na equação, quais seriam as alternativas possíveis e muitas outras mais.

De qualquer forma, há uma looooonga estrada pela frente até algo assim poder sair do papel. Estrada que passa inclusive pela aprovação nos conselhos do Flamengo, o que não deve ser nada simples. Estamos muito, muito, muito longe de ver isso se tornando realidade.


* * * * * * * * * * * * *


E hoje foram publicados no Urublog mais vídeos da entrevista de Arthur Muhlemberg com Zico. Assistam. Trata-se do pré-lançamento da candidatura dele à presidência do Flamengo – assunto tratado pelos dois com todas as letras.

* Texto da coluna semanal no FlamengoNet

3 comentários:

Bosco Ferreira disse...

Por onde ando vejo sempre essa frase, tomara que o ano acabe, como se o problema do Flamengo fosse a falta de tempo para se reerguer.

Esse ano acabará para o Flamengo daqui a tres rodadas, até agora não ouví falar em nenhum plano para formar um um novo elenco.

Só se ver promessas faraônicas, algumas irrealizáveis, outras serão realizadas somente se o torcedor pagar a aconta.

Esse mesmo torcedor que mesmo associando-se, ainda está impedido de votar por conta de uma injustificavel carência estatutária.

Vendo o seu FLA nivelado por baixo com um bando de timecos pequenos, de empresários e prefeituras para não cair ou por uma mísera vaga na SA.

A imprensa acompanha a decadência do clube provocada pelo abndono e pela incompetência da presidente e seus asseclas, caladinha e na cumplicidade.

Será que se o Zico estivesse na Gávea mandando, e o Flamengo lutando para não cair como agora, a torcida organizada e a imprensa estavam calmas assim?

A imprensa forrada de jabá até a tampa, e a torcida ébria de mentiras sobre construções faraônicas de um estádio que nem no Rio será.

Fernando Almenara disse...

Essa administração é uma comédia mesmo. Irão pagar 15 mil por jogador se o time escapar do rebaixamento. Escapar do rebaixamento é OBRIGAÇÃO. Ai querem que o torcedor pague R$ 250,00 reais para a campanha do tijolinho. - 15.000,00 x 11 = 16.5000,00 (contando q só os titulares vão ganhar esse "premio"), dá para comprar 660 tijolinhos!!

O certo mesmo é os torcedores, ao invés de comprarem tijolinhos, se associarem. Por que assim poderão votar para presidente do clube.

Daniella Simões disse...

Falando do assunto do Luxembburgo, meu tio falou uma frase interessante que não sei se já de autoria de alguém... "O Luxemburgo prometeu tirar o Galo do rebaixamento e o fez"...